quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Lufada de ar fresco

No meu local de trabalho procria-se à velocidade da luz. Todos os anos há uma ou mais grávidas. Como aqui referi, adoro as minhas colegas, mas por vezes torna-se cansativo ouvir falar a toda a hora dos seus rebentos - que são sempre os mais engraçados, os mais inteligentes, os mais giros, os que fazem mais gracinhas - dos partos, das epidurais, das cesarianas. Por isso, quando descobrimos que uma das novas colegas é solteiríssima e sem filhos, sentimos sempre uma lufada de ar fresco.

14 comentários:

Drika disse...

Aqui tem muitas mulheres mas nenhuma gravida, nao tantas como ai, tipo umas 12 mulheres.
Umas casadas, outras namoram (como eu) e outras na pista.

Deve ser meio estressante ficar ouvindo as lamurias.

bjk

Precis Almana disse...

Já passei por isso e é uma seca. Percebo-te!

Menos disse...

Pfui... a quem o dizes. Este ano há duas na minha escola e parece que já andam a fazer o ranking das barrigas...

prada disse...

Não se aguenta, embora se compreenda.
Podiam ser um pouco mais parcimoniosas, com essas manifestações de amor.

Fernanda disse...

Como eu te compreendo, sofro do mesmo mal no meu trabalho. Já deito crianças pelos olhos (e adoro crianças)

made in ♥ love disse...

dei uma gargalhada!!! é tão verdade, mas é um estado de graça, as pessoas sentem necessidade de falar, falar, falar... venham mais solteiras então :)



Um beijinho
made in ♥ love

GATA disse...

Graças a Bastet que trabalho com homens, e eles não são dados a essas mariquices!

Anônimo disse...

Ainda bem que no meu local de trabalho as moçoilas não são dadas à procriação!!!
O que me chateia ouvir falar de criancinhas dos outros, ui!

Claudia

joana disse...

Sou solteira (pronto junta) sem filhos!...Quando há reunião da malta casadoira e com filhos as conversas não se aguentam! (vá lá que já passou as fases das fraldas pelo menos já não há conversas sobre cocós!)

River disse...

Podes crer! Eu que já estou numa fase à frente, com filhas adolescentes (sou a única), falta-me a paciência para ouvir falar de birras, biberões, fraldas, etc... :/

Little Miss Sunshine disse...

Olha, até a mim, que tenho dois filhos pequenos, um ainda com fraldas e chucha, outro já sem fralda mas ainda nem anda na primária, dois bebézinhos portanto, me chateia ouvir falar de filhos e falar de filhos imagino quem não os tenha!

rafaela disse...

Kitty, eu sou mãe e até estou grávida, mas queria só dizer sou solidária, não há pachorra, chega quase a parecer um concurso, faz lembrar até aquele sketch dos gato fedorento, do filho que tinha que mal nasceu engravidou a enfermeira e com cinco anos já tinha um doutoramento.

=)

Rapunzel disse...

E eu que o diga! Já não há pachorra!

Clau disse...

Não sei se já te aconteceu, mas presumo que sim, os vizinhos dos teus pais e familiares afastados, quando te encontram perguntarem: "Então? Para quando um bebé? " ou então "Quando dá um netinho à sua mãe?" Não sei que idade terás, mas se aos 23 anos ouvisses isto quase diariamente ficarias de trombas para o resto do ano. Não percebo qual é a coisa de quererem que todas engravidemos ao mesmo tempo ou pior que isso, e isto tem a ver com um dos posts acima ou abaixo, quererem que estejamos comprometidas, porque senão somos umas falhadas completas. Credo! Nunca ouviram dizer que às vezes o melhor é estar sozinha. Seja por opção ou por azar? Muito sinceramente eu acho que se pode engravidar por opção (LOL) e Enamorar por opção: exemplo: EU. Tenho agora umas belas oportunidades de engatar uns quantos. Mas pura e simplesmente não me apetece faze-lo. A minha vida profissional está numa autentica rebelião, logo, não tenho cabeça sequer para pensar em macambúzios. Pá, há alturas na vida em que não dá, pura e simplesmente. Portanto, concordo que seja uma lufada de ar fresco ver e estar com alguém que por qualquer razão, ainda é parecida connosco. =)