quarta-feira, 5 de agosto de 2009

By the way, já tenho saudades delas


Ines Sastre

Trabalho num sítio que se pode considerar um paraíso. Sobretudo em matéria de colegas. Adoro toda a gente (pronto, pronto, só não adoro um estafermo). Mesmo. Cada pessoa à sua maneira. Cada uma diferente da outra. Todas completamente adoráveis. Se precisar de um qualquer favor, vêm logo quatro ou cinco para mo fazer. Há magia ali. Por isso quando me dizem que muita mulher junta dá confusão, e quando me vêm com aquela história horrível, deprimente, vergonhosa, inadmíssivel, de que as mulheres são sempre cabras umas para as outras, eu encho-me de urticária e desato logo a responder que não, que não é bem assim, que provavelmente as mulheres que dizem isso são as que, de facto, são umas cabras para as outras.

Mas o que eu queria dizer é que elas - as minhas colegas - só têm um pequenino "defeito". Como procriam todas à velocidade da luz, na maior parte do tempo não falam de outra coisa. E se, na maior parte dos dias, eu tenho paciência para ouvir pormenores do parto natural de uma, da cesariana de outra, ou das gracinhas do rebento de outra, há outros dias em que a minha paciência se esgota e tenho de desligar um bocadinho. É que a dada altura já ninguém se está a ouvir, querem mesmo é que chegue a vez delas de falar. Como escreveu e bem a Inês Teotónio Pereira no jornal i do Sábado, aquilo transforma-se numa espécie de conversa entre surdos bem educados.

16 comentários:

Feiticeira disse...

Eu aqui no trabalho fui durante muito tempo a única mulher e o que ainda me deixa parva é a quantidade de intrigas e cusquices que eles fazem uns com os outros. Eu dou-me bem com quase todos (há sempre um estafermo)e quando tenho um problema com um falo directamente. Ah! E com as miudas, é uma tranquilidade. Não somos as melhores amigas mas damo-nos bem e divido com elas a atenção deles sobre as cusquices do escritório, O QUE É BOM!

Marta disse...

Eu estou a estagiar numa indústria química, dominada por homens! Sou a terceira engenheira daqui, todos os outros são homens! As duas engenheiras que já cá trabalhavam muito antes de mim, são muito mais velhas: uma delas é a minha chefe e a outra... bem, da outra não reza a história porque ninguém a suporta!
Tudo isto para dizer que concordo um bocadinho com a história de que trabalhar com muitas mulheres é uma confusão. A maioria das mulheres são muito complicadas por natureza. Os homens, no que se refere ao trabalho (pelo menos na minha área), são menos complicados, muito mais práticos e vão directos ao assunto.
Mas, ainda assim, não há nada como trabalhar com meia dúzia de mulheres, mais não seja para ter alguma companhia e ter com quem falar de coisas de mulheres... é que ouvir os homens a discutir futebol a hora de almoço inteira, tem muito que se lhe diga!

prada disse...

É natural, porque não haviam de gostar de ti, se mesmo virtualmente, crias tanta simpatia e inveja.... segundo o teu post anterior?
Um bom ambiente de trabalho é muito bom , mas não é fácil e na tua classe, à qual não pertenço, tanto quanto ouço ultimamente não será dos melhores..Ainda bem para ti que já tens saudades.

prada disse...

Queria acrescentar, uma coisinha.
As mamãs que me perdoem, mas não se aguenta tanta conversa sobre os seus rebentos.
Parece que não existe mais mundo.

Complicações disse...

Curiosamente no meu trabalho é tudo mulheres.

Curiosamente damo-nos todas bem. Há sempre umas de quem se gosta mais mas acabamos todas por conviver bem com as manias de umas e de outras.

Curiosamente somos umm bando de solteironas ou "enamoradas", sem filhos,e à partida, sem intenções para tal, á excepção de uma que não fala da filha pq ninguem a compreende e acaba por ser alvo de piadas como : "tanto amor que dás a essa criatura para acabares despejada um lar clandestino"...

Rabodesaia disse...

Querida Kitty,

Imagina-te a ir a um jantar em casa das tuas colegas adoradas, onde elas estão todas com os seus adorados maridos... imagina-te no jantar sozinha, gira que doi....e depois diz-me se são ou não umas queridas para ti....( não é preciso muito para imaginar que vão dizer as coisas mais escabrosas sobre ti).

Fica-te bem dizer que as mulheres nãom são umas cabras umas para as outras, ainda mais defenderes isso... mas antes de ser mulher,há algo anterior, intrinseco no ser humano. Há no Homem uma luta pela sobrevivência, pela auto-defesa... e se tu fores vista como uma
" ameaça"... não há mulher que não te salte em cima.

Juky disse...

Onde estou a estagiar, as colegas tb são boas pessoas... mas como são velhotas, não falam de procriação mas sim das doenças do marido, do casamento dos filhos, e coisas assim... e eu do alto dos meus 23 anos tenho de levar com elas e com a constante pergunta de quando é que caso! Enfim... mas gosto muito delas mesmo! :D

ffiffas disse...

Há pessoas boas e más, independentemente de serem homens ou mulheres. Há homens que também são uns grandes c..., como colegas. O que dá confusão, no fundo, é ter muita gente do mesmo sexo junta. Fala a voz da experiência de quem convive no trabalho com muitos homens...no início são uns porreirassos, depois são bem piores que muita mulher junta (principalmente quando imaginam que algum deles vai mandar no outro, então se for uma mulher a "subir")! Marta, estás a estagiar, espera 1 ou 2 aninhos e depois percebes que as diferenças entre homens e mulheres são nenhumas, neste aspecto. Ou então tens mesmo sorte, e é a excepção que confirma a regra.

ffiffas disse...

ah! E quanto aos rebentos, o que eu já não suporto é ouvir " e tu? para quando?" ou "já estás grávida?"... E se eu não quiser engravidar nunca, posso? Se o quiser só daqui a alguns anos? Querem obrigar-me a ter um filho?

Anônimo disse...

É a chamada competição natural entre géneros... nos homens também acontece embora não seja tão marcante.

Anônimo disse...

Já trabalhei só com mulheres e só com homens, e na minha opiniao o problema é as pessoas. Existem mulheres otimas para trabalhar e outras que sao autenticas cabras (e já trabalhei com ambas as especies) e existem homens otimos para trabalhar e outros pessimos (e tambem já trabalhei ambas as especies). Mas o dificil é mandar em homens, por mais simpaticos que sejam, terem mulheres com chefia nunca é totalmente bem aceite. Ainda vivemos num mundo maxista
CarlaB

joana disse...

Já trabalhei em dois locais só com mulheres: um adorei, outro odiei. Confusões isso houve sempre, deve ser genético. Acima de tudo penso que o bom ou mau ambiente se deve À educação das pessoas.
Quanto às mamãs, sofro do mesmo mal, sou das poucas das minhas relações que ainda não é mãe. È dose...já oiço: a próxima és tu! (sabem elas mais que eu,lol) as conversas não se aguenta!E as festinhas de aniversário?è a sala toda desarrumada para os rebentos terem espaço para brincar, com os pais de volta a babarem por ver os filhotes brincar.O que vale é que costuma haver sempre uma boa garrafa de vinho para não-mães desesperadas.

Precis Almana disse...

Assino por baixo do que dizes das tuas colegas e das outras que dizem que só há cabras entre mulheres. Quem diz isso esquece-se que é mulher, ou não estaria a dar um tiro no pé!
Quanto ao resto, sei bem o que dizes. Tão bem, tão bem!!! Já trabalhei num meio assim. E tenho amigas assim que quando se encontram com outras é igual. Fartinha!

TiTó disse...

Ola Kitty, encontrei o teu blog por acaso e gostei imenso.

Eu trabalho apenas com mais uma rapariga, o resto é tudo homens. COncordo plenamente com o que escreveste. Aliás eu acho é que num ambiente com muitos homens há mais "cusquices" do que num ambiente de mulheres. enfim . . .
Vou passar pelo teu cantinho mais vezes.

Beijinhos da Ana Rita (Titó)

www.omundodatito.blogspot.com

art.soul disse...

eu sou mãe há 10 meses e tento evitar essas conversas, tanto sobre bebés como sobre outro assunto para o qual as pessoas do grupo não estejam integradas... é pouco social, prefiro que todos tenham coisas a dizer...
agora, se me fazem perguntas, babo toda... se conhecesses a miúda de 6 dentes que anda lá por casa;) hehe

Maria Manuela disse...

Sem generalizar, tenho para mim que se trabalhasses um mês no meu serviço,o teor deste post tenderia a ser diferente. Sem generalizar, claro.