terça-feira, 2 de julho de 2013

Ainda da educação e a propósito de uma reportagem que acabei de ver

Fico sempre desconfiada quando, em dias de exames nacionais (que são, regra geral, dificílimos, e para se ter uma excelente nota - acima de 16 - é necessário um nível de conhecimentos, aliado a alguma sorte, extremamente elevado), certos alunos, que são apanhados à porta das escolas pelas nossas televisões, dizem com imensa alegria que os exames eram muito fáceis. Lembro-me imediatamente dos meus alunos que têm notas mais baixas que, inacreditavelmente, acham sempre tudo muito fácil. Depois, quando se vai a ver, têm quase tudo errado

5 comentários:

Noa disse...

É verdade. Saem sempre com a sensação que era fácil mas depois as notas acabam por ser miseráveis.

Ângela Ferreira de Sousa disse...

É sempre assim. Sempre.

Cristina disse...

Escreveste "uma execelente nota"....em vez de "excelente", espero que não faça parte do acordo ortográfico, ou faz? hehehe....just kidding ;D

bjs,
Cristina

Sonhadora disse...

True story! E quanto mais fracos os alunos, mais fáceis acham os exames. Depois vamos a ver as notas e é uma miséria!

Andreia Gonçalves disse...

Não é nada assim! Eu, por exemplo, não me considero excelente aluna, nem má (tenho uma média que ronda os 17 - no público) achei os exames fáceis. Mesmo assim, tirei notas que não são orgulho para ninguém (11). No momento, uma pessoa tende a tomar por fácil aquilo que não o é, sendo que, depois, se vem a aperceber da real dificuldade. E o fácil revela-se difícil...