domingo, 10 de junho de 2012

Das pronúncias

Fan Bingbing

Acho as pronúncias muito importantes na cultura de um país. Não sei porquê, acho especial graça à pronúncia alentejana e à de certas zonas do norte. Há, no entanto, uma coisa que me faz alguma confusão. As pessoas do norte raramente usam os verbos na primeira pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo, usando sempre o presente, mesmo quando se referem a uma ação passada. Por exemplo, dizem: - Ontem jogamos mal! - ao invés de dizerem: - Ontem jogámos mal! Curiosamente, ao contrário do que acontecia antes, com o novo acordo ortográfico, ambas as grafias estão corretas, embora a forma aconselhada para Portugal seja a acentuada quando usamos o verbo no pretérito perfeito.

18 comentários:

andpad disse...

Mas na oralidade qual é a diferença entre jogamos e jogámos se são duas palavras graves? A pronúncia é a mesma. Não compreendi...

Kitty Fane disse...

A pronúncia não é a mesma, ora.

Vogal tónica com timbre aberto (equivalente a -ámos, no jogámos) com timbre fechado (equivalente a -âmos, no jogamos).

Harmony disse...

Sendo eu do norte, acho que isso tem a ver com o facto de a pronúncia do norte, tendencialmente mais "aberta" nas vogais do que a do sul, ser mais criticada em contexto social. Porque é, não é muito bem visto uma pessoa falar com sotaque destes lados, a norma lisboeta é que considerada mais correta (?), mais polida. E essa, é muito mais fechada. Logo, na tentativa de imitar o sul a falar sai-nos isto. xD

stantans disse...

eu sou do Porto e digo jogámos...

Sílvia disse...

Eu tenho uma teoria para isso como nortenha que sou. Quase todas as pessoas confundem o sotaque do norte com o do Porto (Braga, Guimarães, Viana, entre outros), apesar de termos sotaques muito diferentes até entre cidades muito próximas. Ora como normalmente as pessoas dessas zonas acentuam os "A's" (ex: Vânia é Vánia)o resto das pessoas que não os acentua, mesmo sabendo ser o correcto nas situações que referiste, acha que soa ao sotaque dessas terras e de uma forma inconsciente corrigimos para "ã" por puro hábito como todas as outras palavras.

Bafejada pelas Musas disse...

Não generalizes:) Sou do Norte, bem do Norte e por cá, o que poderá não existir, em algumas pessoas, é o presente do indicativo do verbo jogar na primeira pessoa do plural:D Dizemos sempre "Jogámos". "Jogamos", sem a abertura na vogal "a" é mais lisboeta:P

**

Shiine * disse...

Eu falo Alentejano e odeio.

Margarita disse...

Completamente de acordo com a Bafejada pelas musas: é mais comum o "ámos" do que o "amos", de longe.

Carol disse...

cada vez tenho mais a certeza, o acordo ortográfico veio "estragar" as regras da boa língua portuguesa. enfim, é triste...

Trincando a Lua disse...

pois eu cá sou do Alentejo e se morasses por cá na minha zona, ias saber que essa frase é do mais normal que há!!!eu quando vou ver a minha avo la pá aldeola, meu Deus quase que preciso de um dicionário;por exemplo sempre que a a minha Vó vai ao médico diz que ele lhe "ensinou as mezinhas" o que traduzido será "passou receita dos "...mas realmente é muito bom ouvir os velhotes a falar e é pena nós por vezes deixar que esse tipo de linguagem morra no tempo juntamente com os mais velhos!!!

andpad disse...

Concordo com a bafejada pelas musas...utilizamos a palavra como se estivesse sempre acentuada "jogámos", ou seja, como se fosse um Pretérito Perfeito em qualquer que seja a situação. No norte dificilmente usamos vogais fechadas.
Daí não ter entendido o que escreveste.

Blasphemius maximus disse...

Jogamos presente, jogámos passado, pronúncias diferentes no sul iguais no Norte, escritas diferentes em ambos, parece-me pacífico

Vivianne L'Oak disse...

Na minha zona fala-se na 1a pessoa do plural (:

'Ides ao café logo ao noite?'
'Sabeis das novidades?'

Por Lisboa agora falo menos assim, mas quando chegam os ares do norte..

Sou flaviense.

Bafejada pelas Musas disse...

Vivianne, eu falo com a segunda pessoa do plural também, porque é absolutamente correto nas situações que descrever e porque, ao meu ouvido, fica muito bem:)

Mas a grande maioria das pessoas já a eliminou.

Raquel disse...

Creio que o texto parte de um pressuposto correcto (o da importância das pronúncias para a riqueza de um idioma), mas a questão acaba por ser colocada tendo por base uma premissa errada: as pessoas com a chamada "pronúncia do norte" usam tanto o pretérito perfeito do indicativo, como usam o presente do indicativo, consoante a circunstância o justifique. O que está em causa é a pronúncia, que faz com que as duas formas verbais soem da mesma maneira. A forma como aborda a questão transmite a ideia de que as pessoas com pronúncia do norte usam erradamente o presente do indicativo quando deveriam usar o pretérito perfeito; na verdade elas estão a usar o pretérito perfeito, embora a pronúncia não o acentue o fazem pessoas com outras pronúncias. Seria igualmente impreciso dizer que as pessoas a sul do Mondego não sabem pronunciar correctamente a palavra "vizinho", só por não pronunciarem a palavra tal qual se escreve, quando dizem que o "vezinho" as incomodou...

Cláudia disse...

Se fosse no FB fazia um LIKE neste post.
Sou fã da diversidade cultural a começar por esta.

Marciana disse...

Então também já deves ter notado que as pessoas do norte (Trás-os-Montes) usam correctamente a segunda pessoa do plural ao contrário de muita gente. Por exemplo quando estão a falar para várias pessoas dizem "vós quereis" e não "vocês querem" como muita gente diz. Na minha opinião ( e não, não sou transmontana) acho que é a maneira mais correcta de o dizer.

Cátia Gomes disse...

Raquel, clap clap clap!