segunda-feira, 16 de abril de 2012

Das rotinas

































Ryan Gosling And Michelle Williams em Blue Valentine

Não há artigo de revista ou livro sobre relacionamentos que não inclua coisas como - a rotina é o maior inimigo do casal; a rotina é o maior inimigo do amor. Mas como? O amor constrói-se de e com rotinas. São elas que lhe dão a estabilidade de que ele precisa para existir e se consolidar.

19 comentários:

Tete disse...

Bom, suponho que não se refiram às pequenas rotinas do dia-a-dia, que sim (concordo!) são essenciais para a construção de um amor, para a sua estabilidade e consolidação. Penso que se referem mais à rotina no sentido de...hum...deixar de trazer algo de novo à relação. :) Por muito bons que sejam os dias com o nosso amor, por muito que não nos importemos de ter 1001 dias desses iguais, acho que é sempre bom de vez em quando haver uma surpresa, uma conquista...:) Nem que seja estares habituada à rotina de receber um ramo de flores todos os dias, e um dia...recebes dois ramos. ;) Uma pequena fuga à rotina. ;)

meio doce meio amargo disse...

O coração é que paga...

Vanessa. disse...

Completamente de acordo contigo. Há coisas que também não entendo! Mas penso que essa rotina se refere ao facto de ser necessário fazer coisas "novas" ou "surpreender" o outro!? Será?

disse...

Há dias atrás escrevi um post sobre isso mesmo. Para mim as rotinas são maravilhosas, porque são construídas a dois.

Raqs disse...

Eu sou terapeuta ocupacional e de facto as rotinas são muito importantes para o nosso funcionamento... Acho que o que eles querem dizer é que deve-se sempre tentar fazer coisas diferentes apesar de os anos passarem por nós, uma espécie de "forever young" :)

Paulo Nunes disse...

Eu sou um tipo de rotinas! Um casal que não tenha rotinas de amor e de estilo de vida...mais cedo ou mais tarde pode dar bota!
A somar a isto, para além das pessoas que detestam rotinas.. ainda existem aquelas que nunca sabem o que vão fazer.. do género.."que vais fazer amanhã?" "amanhã? eu nem sei o que vou fazer daqui a 2h quanto mais amanhã"
eu amo estas pessoas :P

Ao Virar da Esquina disse...

Também me parece. Sabemos que aquele é o "amor certo" quando nos encontramos e somos feliezes nas pequenas coisas do dia a dia que fazemos juntos e temos como certas. Isso é construir o mundo que só faz sentido para aquele casal.

Filipa Arez disse...

há rotinas e rotinas... temos é de as saber manter e modificar quando necessário :)

RAINHA MÃE disse...

concordo perfeitamente contigo. Vivo vom o meu amor há 10 anos, masi 2 de namoro, temos 3 filhos e por isso o que temos mais é rotina, mas é isso que nos une. Engraçado que quando cozinho sinto falta dele porque eu desarumo e ele arruma. Não fazemos viagens a Bora Bora, nem vamos ao cinema, mas entendemos e somos muito cumplices. Julgo que não há nada mais verdadeiro para consolidar uma relação.

xana disse...

Há por aqui muitos posts sobre os quais não costumo partilhar a mesma opinião, mas este e o seguinte (que penso que não sejam permitidos comentários), não podia concordar mais! Identifiquei-me especialmente com o da fama... Apesar do meu blog só ter três anos, já surgiram umas quantas oportunidades que não aceitei por não me sentir muito à vontade com a exposição. E outras já aceitei e já me arrependi horrores! Ficaram de lição :)


Beijinhos

Sandra disse...

É cansativo de ouvir e cheira-me a desculpa rápida, talvez até mais usada por quem toma o companheiro/a como garantido, baixa os bracinhos, entrega o corpo e a mente ao desmazelo e depois, quando a coisa descamba e o relacionamento entra numa espiral sem retorno, vê o relacionamento terminar.Há rotinas que são uma benção, um sossego para um relacionamento.A coordenação das tarefas, dos detalhes do dia a dia, principalmente quando existem filhos, são fundamentais para que se ultrapassem juntos, tantos e infindáveis obstáculos nesta vida...a cúmplicidade nasce desta mesma tão temida palavra. O conforto da rotina é uma mais valia e não a introdução para um temido final infeliz...

Conto de Fadas disse...

Gosto da rotina...

Bafejada pelas Musas disse...

Eu concordo com o teu texto. Mesmo... Acho lindo todo um rol de rotinas, momentos bons que se repetem, o sabermos que o nosso contexto é aquele, a tranquilidade da vida organizada e a rolar, ao lado da pessoa que amamos. Porque seja o que for que se faça, ou pelo que quer que se passe, ao lado Dele vale a pena.

bj

R disse...

A minha visão das coisas é esta: http://bomdialuacheia.blogspot.pt/2012/04/o-amor-e-assim-aventura-e-rotina.html

Juanna disse...

Eu sou apologista das rotinas. Foi, aliás, devido às rotinas que ele me oferecia que escolhi ficar com ele em vez de ficar com o outro, que me oferecia maluqueira :)

Juanna disse...

E esse filme, Blue Valentine, é tão triste, mas tão triste que tanto eu como ele chorámos como madalenas.

zozô disse...

As rotinas são importantes. E são fundamentais numa fase inicial, quando ainda se está na fase da paixão, quando o amor ainda só tem 2 ou 3 anos, quando ainda está a estabilizar.
Agora, quando já existe 8 ou 15 ou 19 anos de relação... aí a "rotina" já deve ser encarada de outra forma. E combatida.

MintJulep disse...

A rotina deve ser combatida... juro que não entendo. Estou casada há 10 anos, mais 2 de namoro, e não nos andamos a "seduzir" e conquistar como fizemos nos primeiros anos juntos. E não sinto a falta desses rituais, pelo contrario adoro a relação rotineira e que tanta gente deve considerar chata e desinteressante que tenho. Mas segundo as teorias o divorcio deve sair-me na rifa já para o ano... felizmente cresci com um grande exemplo de verdadeiro amor construido de rotina e dia a dia, e sei ver que o que tenho para lá caminha.

Aida disse...

já te disse que adoro os teus posts e a tua escrita?

é que gosto mesmo!!!!!!!!!

bom domingo

beijinhos