quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Correndo o risco de ser apedrejada em praça pública

Kristen Stewart fotografada por Mario Testino para a Vogue, fevereiro 2011

Estava aqui a ler este post da Vanita e só posso concordar com ela. A blogosfera era mil vezes mais gira e mais divertida quando não era vista como um negócio. A sério. Só quem vivenciou essa fase percebe aquilo que eu estou a dizer. De repente, anda tudo sequioso de patrocínios e de fama. Pedem-se seguidores para tudo. Alimentam-se polémicas só para atrair pessoas. Fotografam-se diariamente com a roupa que levam para o trabalho (esta parte gosto imenso, adoro ver para poder tirar ideias para mim) em nome das tendências de moda e, algumas delas, do elogio fácil. Postam quinhentas mil vezes diariamente só para isso gerar mais movimento e terem mais visitas no sitemeter, e, consequentemente, aparecerem no ranking dos blogues. Expõem ao máximo a sua vida (toda a gente sabe onde moram, em que tipo de casa moram, o carro que têm, onde vão estar à hora de almoço, onde vão passar o fim-de-semana, com quem vão estar) e, como se não bastasse, a dos filhos, sem eles terem idade sequer para dar autorização para isso. Em suma, anda quase tudo em biquinhos de pés em busca de atenção para ver se alguém olha para eles e lhes dá algo a ganhar.

Nada contra, atenção. Eu acho que cada pessoa se safa e vive como pode. Eu também já cometi os meus erros por aqui no passado e tenho alguns telhados de vidro. Como por exemplo, escrever para um jornal (aprendi, a tempo, que o meu caminho não era por aí, felizmente). Acho que cada pessoa deve fazer sempre aquilo que a faz feliz e a preenche, e se for isso, quem sou eu para discordar? Não é por eu não me identificar com isso que condeno. Respeito, obviamente. Bom, a parte dos filhos é-me sempre mais sensível, sobretudo por saber dos riscos que correm essas crianças, muitos deles bebés, expostas dessa forma, mas não são meus filhos, ponto final, as mães saberão, com certeza, o melhor para eles. Eu, num ato de puro egoísmo, é que tenho pena. Porque para mim, que prezo mais do que nunca a minha privacidade e que blogo só porque gosto de o fazer, a blogosfera já não tem tanta piada. Já não me identifico com a maior parte dos bloggers. Coisa que acontecia antes com alguma frequência.

31 comentários:

cycle disse...

Vê lá se gostas do meu ;)

Sissy disse...

Não posso estar mais de acordo. A blogosfera nos últimos tempos/anos, tornou-se em tudo o que não é nada bom. A futilidade, o negócio, as intrigas e tudo mais. No inicio era muito mais giro!

Beijooo****

Naná disse...

Confesso que essa coisa do sitemeter me passa ao lado! E também subscrevo o que aqui escreves, eu tenho um blogue porque gosto de escrever e da liberdade que me dá, de me expor mais ou menos, quando me dá na gana. Como o criei sem pensar que daí podia advir lucro...
No entanto, fico desolada com as guerrinhas pessoais e mesquinhas, das intrigas e enfins!

Wendy disse...

Quando criei o meu primeiro blog isto era uma coisa ainda muito pouco comum onde cada pessoa escrevia sobre si, para si e para quem mais quisesse ler. Agora só se vêem passatempos a pedir seguidores, divulgações, etc. Parece um grupo de pelintras a pedir esmola.

Ana 100 Sentidos disse...

Cara Kitty Fane:
Eu, dinossaura da blogo, visto que por aqui ando desde 2005, já vi de tudo.
Também tenho os meus telhados de vidro obviamente. Mas se fizer um balanço ganhais mais até agora do que perdi.
Obviamente que tenho saudades, mas é como tudo o que se democratiza e populariza. Perde alguma "exclusividade" e deixamos de ter o meu gozo que tinhamos antes ao usufruir daquele espaço.
No fundo e como discuti há uns tempos com um amigo meu da blogo, quando todos falam ninguém fica para ouvir. E infelizmente fala-se quase sempre de mais e ouve-se quase sempre de menos.
E eu por aqui continuarei a analisar este fenómeno social e a usufruir do meu espaço quando me apetece.

Filipa disse...

Subscrevo. :(

Raquel Fernandes disse...

Bem eu reconheço a fase inicial que falaste, aliás descrevo isso no meu blog mais antigo. Quando comecei em 2006 a escrever sobre filmes e outras coisas mais pessoais não havia a história dos seguidores, pouco eram os comentários. Ter um blog era uma coisa diferente onde alguém se podia refugiar. Hoje está banalizado sem dúvida. Os blogs aparecem como cogumelos, principalmente os de moda. E contra mim falo que sou uma das pessoas que tem um blog com fotos de certos looks e sobre momentos da minha vida. Apesar de tudo acho que cada um deve se sentir bem com o nivel de intimidade que passa. A mim nunca me passou pela cabeça assinar com um nome que não o meu, mas compreendo inteiramente quem o faça.

Rubi disse...

É uma pena realmente. Continuo a gostar do meu blogue, e de escrever, sem pressões nem à espera de ser prendada, a prenda são os leitores e comentários. E continuo a gostar de vir aqui. Beijinhos

Rosa disse...

Kitty, ando por aqui desde 2003 e não podia concordar mais. O que antes era uma "brincadeira" inocente e sem ambições passou a ter segundas e terceiras intenções. Perdeu-se algum encanto. Mas se continuamos por cá é porque algum desse encanto ainda se mantém. :)

Au chocolat disse...

Tem piada diz que anda tudo assim, mas eu tenho um blogue há mais de 2 anos e felizmente nunca apanhei um blogue sequer que reunisse esses defeitos todos. De facto agora algumas pessoas mostram o que vestem, mas depois tb escrevem outros posts interessantes.
Mas talvez seja porque não procure esse género de assuntos que descreve no seu post e acho prefiro me manter assim - na ignorância (especialmente das intrigas, para isso já basta a vida fora da blogosfera).

Verduxa disse...

Kitty, concorco com tudo o que escreveste e se por uns tempos não passei tantas vezes pelo "Amor é um Lugar Estranho", hoje em dia, identifico-me cada vez mais com o que escreves!

_+*Ælitis in Paris*+_ disse...

Compreendo o que queres dizer. No entanto acho emocionante quando os blogs fazem as pessoas mudarem de vida, numa volta de 180°, para oportunidades melhores. Sou feliz com o meu blog, como é, apesar de criticas aqui e ali. Mas também admiro quem pensa grande e tira partido de algo. Claro, pode ser um problema serem muitos a fazerem isso ao mesmo tempo. Como por exemplo, poderia ser interessante o facto de colocares a foto de uma atriz no inicio de todos os teus posts. Mas hoje é o que TODO o mundo faz. E pode cansar. Mas a culpa é tua? nops. Tens de deixar de fazer isso porque outras fazem? nops. Elas têm de parar? nops. As escolhas, depois, os leitores é que fazem. Porque continuam a haver blogs bem diferentes, bem genuinos, com poucos leitores e apenas temos de os descobrir (se tivermos tempo e paciência para refazer um blog roll, que não é o meu caso hoje).

Beijo enorme! ;)

Manuela Cameirão disse...

Olhe, Kitty, tenho pena que tenha decidido não mostrar os seus looks diários. É que pelo que vi de certas fotos antigas e certos pormenores que agora coloca aqui (e também por certas coisas que diz) acho que era pessoa para arrumar para canto certas fashion bloggers que há para aí:) Não quer reconsiderar?

La Boheme disse...

Os blogs que hoje se tornaram um negócio para os bloggers, na minha opinião, desceram consideravelmente na sua qualidade. Mas que fazer? Penso que é um sinal dos tempos e as pessoas precisam de ganhar a vida não é verdade?

Ana Sofia Santos disse...

A elite tem razão tempo e paciência para descobrir daqueles bons com poucos leitores? nunca há, geralmente vai-se de um em um, e ir de um em um é ir ao mais "famoso".

N disse...

Continua a haver quem não seja assim, mas a blogosfera é e será sempre uma forma de ego boost.

Paulo Nunes disse...

Nem imaginas a quantidade posts que recebo a dizer quase todos a mesma coisa:
"Gostei do blog.. sigo. Segue o meu também" no meu e nos outros, tipo copy e paste.
No inicio até aceitava, mas agora já não! e essas pessoas são logo apagadas da lista. Não tenho paciência!

Teclas disse...

Eu estou quase tentada a roubar-te estas palavras.

Joana disse...

Eu tenho outra visão desse lado: acho que também se dá maior profissionalismo e não se colocam posts por "dá cá aquela palha". Os e-mails que enviamos são respondidos e se o blogger for profissional (e inteligente) o suficiente conseguirá manter o nível de "intimidade" criado antes com os seus leitores.

Ah! E adoro ver o que os outros vestem embora muitas vezes me sinta quase uma sopeira ao ver que as pessoas se "produzem" tanto para o seu dia-a-dia.

Sentimento de Mim disse...

Assino por baixo. Alguns blogues estão impossíveis. Alguns já deixei de ler, porque, claro está, se não gosto não tenho de ler. Outros que se começam a transvestir agora que já me começam a irritar também. Antes era bem melhor.

Alma de adolescente disse...

Tens toda a razão. As pessoas hoje em dia têm a necessidade de contar os pormenores todos das suas vidas nas redes sociais. O próprio nome diz: redes sociais!! O que implica que qualquer pessoas do mundo veja, incluindo alguém que a possa conhecer.
Fazem-no como se devessem algo a alguém e como se se achassem o umbigo do mundo.

Mia disse...

Eu possuo dois blogs. Um deles é bastante intimo e preserva a minha intimidade pessoal. E serve como forma de desabafo.
Um outro é mais antigo e já tenho a bastante tempo, desde 2008. E nele, admito que falo sobre algo mais banal. Que para algumas pessoas até acredito que possa ser fútil, e até já postei fotos com roupas que tinha vestida. Mas a verdade é que não ganho rigorosamente nada com os meus blogs. É tudo uma questão de prazer que no fim do dia para mim é bastante gratificante. E existe sempre um lado que não é mostrado. É óbvio que não mostro tudo da minha vida e faço questão que não fique registado em fotos que mostrem o meu lado mais pessoal.
Eu acho que é uma questão de responsabilidade no que toca a mostrar tudo da nossa vida. E mais do que ser responsável é preciso saber se vale apena ou não realmente fazê-lo. Eu conheço e sigo muitos blogs que o fazem e mostram e publicam muitas fotos, e mesmo assim não deixam de ser interessantes e não deixam de publicar post's bem ao meu gosto pessoal.
No fundo é uma decisão pessoal que implica saber os prós e os contras, mesmo que ganhem dinheiro com isso, será que vale apena??

Alix disse...

olá,

eu já ando por aqui desde 2003 e já vi muita coisa. as coisas mudam, é normal. mas gosto da blogosfera, e acho que há espaço para todos. quando não se gosta, fecha-se a janela e já está o assunto resolvido.

**

Isabel Metello disse...

Agora lendo este post, não posso deixar de frisar que analiso os blogs que vou lendo de acordo com a sua complexidade- quem sabe da vida real de cada qual para julgar? Por vezes, os blogs servem mesmo para defesa de causas justas, nomeadamente da Vida de Crianças, expostas por outros. Ora e, caso seja o caso, face à crise e ao desemprego, acho muito salutar que as pessoas lutem por demonstrar as suas competências, com o seu mérito para poderem lutar pela sua vida de forma condigna, principalmente, se parte das suas competências possa ser espelhada nestas plataformas. Mas tb como suportes terapêuticos- reparem- o distanciamento narrativo que é escrever num blog é fantástico para ultrapassar momentos menos bons- o distanciamento narrativo permite-nos, se escrevermos com autenticidade, desconstruirmo-nos e evoluirmos como seres-humanos. O problema em certas análises é as pessoas não terem uma certa capacidade de descentração para perceberem que a realidade dos outros não é a sua e lerem os outros de acordo com os seus parâmetros...Por mim, apesar de todas as dinâmicas negativas que só reflectem as que se actualizam, tb, no dia-a-dia, apenas tendo aqui uma maximização do seu poder pela visibilidade que possam ter, a blogoesfera veio democratizar o poder da palavra, da opinião, desconstruindo uma certa lógica oligárquica, ainda que em certa medida, como é natural dado que ainda se mantém com certos opinion leaders a usufruírem mais credibilidade por deterem visibilidade noutros media, o que tb é natural, pois é um reforço e extensão da sua imagem de marca...e quando falo nestes termos de marketing não estou a desvalorizar quem quer que seja, muito ppelo contrário- quem considera que o marketing não pode estar associado à cultura, ao saber, à procura de um mundo melhor e mais sustentável é preconceituso- tb quando se inventou o telefone muitas pessoas pensavam que seria o apocalipse...os meios mudam, a essência mantém-se...

Tamborim disse...

Interessante este post e o seu tema, justamente num momento em que ando a pensar se gostaria ou n de ter um blog. A pensar.

Shiine* disse...

Adoro o teu Blog, e isso é público. No entanto, discordo muitas vezes do que dizes. Mas, hoje concordo plenamente. Fez-se do blog um "quem terá mais fama", e hoje, há por ai bloggers famosos a aparecer na televisão e nas revistas sem se perceber muito bem o que fizerem para lá tar. Também não critico,pois não sou ninguém para isso,mas já que a opinião é livre...

Vanita disse...

Como não podia deixar de ser, concordo contigo. Mas queria mesmo agradecer a foto escolhida. Gosto mesmo desta míuda e é giro que a tenhas escolhido para ilustrar um post onde sou referida. Beijinhos :)

Miss K. disse...

querida, concordo totalmente contigo.
já lá vai o tempo em que perdia horas sem fim a ler, e a partilhar, coisas com estranhos que sentia como "amigos distantes".
quando fiz o blog, no início de 2006, não havia nada de seguidores, patrocínios, contadores de comentários e por aí fora.
mas de um momento para o outro toda a gente passou a partilhar a última foto, a ferida no joelho ou as febras do jantar (perdoem-me, mas as imagens de comida são particularmente infelizes); os textos, de qualidade (porque havia muito boa gente a escrever) quase desapareceram...
o que a malta nova quer ver são as t-shirts da stradivarius e os sapatinhos da primark que a não sei quantas comprou... é mau demais. a maioria das pessoas que insiste em mostrar os seus looks tem um mau gosto atroz - e infelizmente é isso que "vende". cliché ou não, é mesmo o país que temos.
há dois anos que abandonei o estaminé. e, como as coisas estão, mais vale continuar a escrever para as paredes.

beijinhos,
ana (miss k.)

Vanita disse...

Saudades desta voz! Quanto mais não seja já valeu a pena para ouvir de novo a Miss K :)

Moleskine disse...

já o teu nos ultimos tempos está muito mais interessante, sempre foi, mas agora está mais:)))bjs

Tamborim disse...

Aqui ocorre-me a frase do Gandhi..."sê a diferença q queres ver no mundo". Se a blogosfera n está de maré, n desistam dos blogues mas escrevam, postem, mostrem o q considerarem bom. Há milhentos livros, filmes, séries, discos, pq n blogs? Boas tecladas a todos;)