segunda-feira, 11 de julho de 2011

Estar sozinha depois dos trinta

Anne Hathaway fotografada para a Bazaar por Alexi Lubomirski, Agosto 2011

As pessoas pedem-me imensas vezes conselhos acerca de como lidar com o facto de se estar sozinha depois dos trinta e quais os segredos para se ter uma boa relação quando essa surgir. À caixa de correio chegam e-mails de meninas de todas as idades (algumas delas devem ter vontade de me espancar, e com razão, porque eu, shame on me, não me sento para responder a e-mails que me chegam através do blogue há meses, mas eu vou responder, prometo) a pedirem-me conselhos sobre isso. E eu encolho sempre os ombros. Mas quem sou eu para lhes dar conselhos? Eu que, tal como elas, bati com a cabeça na parede vezes sem conta. Eu que nem sempre me envolvi com as pessoas certas. Eu que me arrastei em relações que não passavam daquilo - de uma valente mão cheia de nada. Eu que cometi tanto erro.

Em geral o que eu digo é aquilo que toda a gente diz. Não nos devemos envolver com pessoas só porque estamos sozinhas e carentes. E, para mim, este é o erro mais comum e a causa mais frequente do fracasso de certas relações. Conheço mulheres que andam para ali de relação em relação, hojem andam com este, na próxima semana já andam com outro, com homens que não interessam a ninguém, nem a elas próprias, que não as valorizam, que não lhes dão atenção, só para não estarem sozinhas. Isto porque com a pressa de arranjarem alguém, optam sempre pelo mais fácil e rápido, o que raramente se revela o melhor.

Eu nunca entendi esse medo de estar sozinha, confesso. Esse medo de passar a barreira dos trinta e não ter um namorado ou um marido. Há pessoas que fazem disso um drama. Eu passei por isso e sobrevivi. Aliás, convivi sempre muito bem com isso. Sei que há alturas em que é difícil suportarmos a felicidade e o amor dos outros e nós sempre na mesma - sozinhas - sem um abraço ao final do dia, sem uma palavra de conforto, um beijo, quando algo não nos corre bem, ou um olhar de orgulho e cumplicidade quando algo nos corre bem. Mas sei também que é muito importante estarmos sozinhas, e, como tal, temos de nos habituar a isso. Isso também faz parte do nosso crescimento. E esperar. Esperar o tempo que for necessário, sem medo das longas travessias no deserto, com tudo o que isso implica. Devemos ter consciência do nosso valor e não entrarmos em relações onde ao lado da porta da entrada, já conseguimos ver a de saída. Depois, quando aparecer alguém que valha realmente a pena, arriscar, e aí arriscar tudo.

E com sorte aparece-vos um verdadeiro Príncipe como me apareceu a mim. Que apareceu precisamente na altura em que eu já me estava mesmo a render às evidências de que verdadeiros Príncipes só existiam nas comédias românticas. É tão cliché dizer que acontece quando menos esperamos, mas a verdade é que comigo também aconteceu isso. Quando eu menos esperava, ele apareceu. Meninas, acreditem, eles andam aí. Eles, os Príncipes. Os verdadeiros. Não as imitações. Tal como com as carteiras, também há por aí muita imitação de Príncipe de muito má qualidade. Por isso, cuidado. E se ele não aparecer, não desanimem. Nunca se esqueçam, antes sozinha do que mal acompanhada. E há por aí tanta gente mal acompanhada...

30 comentários:

Anita disse...

Não podia concordar mais contigo!
Eu também passei a barreira dos 30 e estou, espantem-se sozinha...Sim, realmente há dias difíceis, em que apetece, em que nos perguntamos porquê que eu escolho tão mal?, mas é exactamente nesses dias em que olhamos para o lado e vemos um bom exemplo do "mal vale só que mal acompanhado".
Eu acredito no amor, já o senti, logo ele existe. Acredito no dos outros, no meu, mas num amor verdadeiro, espontâneo e sem pressas. Até lá, a minha vida vai estando cheia de amor, mas sob outra forma, sim porque filhos, família, amigos, lugares, cheiros, músicas...também são formas de amar! :)

Feiticeira disse...

Adorei este post e identifiquei-me muito com ele apesar de eu nem ter mais de 30 nem estar sozinha. Seja qual for a nossa situacao temos que estar bem conosco proprias, sentir-nos felizes na nossa pele e boas coisas vao-nos acontecer!
Quando estava solteira, o meu pai dizia que na altura dele uma mulher bem sucedida profissionalmente e com uma aparencia decente como a minha nunca estaria solteira. Agora que tenho um namorado, a minha mae esta sempre a perguntar quando e que o meu namorado se muda para Londres, a avo dele quando e que casamos e lhe damos bisnetos. A vida nao pode ser uma corrida, cada fase tem que ser bem aproveitada sem grandes ansiedades, desde ser solteira ate ser noiva, mae ou o que seja. Porque as coisas podem sempre dar para o torto, mas se tivermos amor proprio damos sempre a volta por cima!

AR disse...

http://www.conteconnosco.com/trabalho-detalhe.php?id=1014
Podia fazer-me o favor de votar? É só fazer "login with facebook" no canto superior direito e votar. Obrigada!!!

Taís e Paula disse...

Vc tem toda razão. Eu e a mana já falamos coisas parecidas no nosso blog. Antes só do que mal acompanhado, já diz o ditado.
Beijos da Taís

Bem Me Quer disse...

é isso, esperar sem desesperar.
E acreditar que nada acontece por acaso. Antes só do que com alguém que não seja tudo aquilo que merecemos ter ao nosso lado.
Sou exemplo do que é estar sozinha depois dos 30 e sim, há dias em que é muito duro, outros há em que não trocava a minha vida por nenhuma outra. Porque acredito. Acredito que um dia ele irá aparecer. A pessoa que quer ficar ao meu lado.

TAB disse...

Em conversas de gajas com as minhas amigas arranjamos um nome para o problema que várias pessoas têm em estar sozinhas depois dos 3o, é o sindrome da validade ou o sindrome do iogurte estragado ;)

Phil disse...

Não podia concordar mais :)

Paty Michele disse...

Por aqui a mulherada já se acostumou a estar só depois dos 30.
O problema é quando chegam os 40...

_+*Ælitis in Paris*+_ disse...

Textos como eu adoro. Identificação: 99%!

Gija disse...

Sabem uma coisa, antes encalhada num cais de luxo, do que á deriva num barco á vela....

Gija disse...

Sabem uma coisa, mais vale encalhada num cais de luxo, do que á deriva num barco á vela!!!!

Allie disse...

Estar sozinha pode ser muito mau, seja em que idade for. No entanto, não é lei que devemos encontrar o nosso principe antes dos 30, por isso, é ignorar o mais possível aquelas pessoas que nos pressionam sobre o assunto. Uma coisa que eu aprendi é que há muita exigência por parte da sociedade sobre a vida privada das pessoas e por isso muita gente acaba por se sentir desesperada por estar sozinha, colando-se ao primeiro nabo que encontram apenas para poder dizer que alguém quis ficxar com ela. Mas depois vem outro tipo de pressão. Se finalmente arranjamos namorado "sério", a seguir querem saber quando casamos. Se demoramos muito é porque já não vai acontecer. Se acontece quando é que temos o 1º filho. Se temos o primeiro, querem logo saber quando é que vamos ter o segundo. E quando der por ela, aos 6 anos de idade já só perguntam à criança quem é o/a namoradinho/a na escola. E pouco depois, inicia-se todop um ciclo de pressão.

Rubi disse...

Concordo 200%. Nunca percebi realmente esse medo de estar sozinha!

Tinkiwinki disse...

Eu cá faço-me acompanhar por um destemido Peter Pan e espero que esse acompanhamento ultrapasse em larga escala a barreira dos trinta! :)
Penso que o único conselho que se pode dar a quem sofre, por enquanto - sim, porque depois da tempestade vem sempre a bonança - deste mal, é que pense bem antes de qualquer decisão e que nunca tenha medo de arriscar, para não se arrepender do que deixou por fazer. As pessoas aprendem com os erros e para encontrar o verdadeiro príncipe temos de já ter aprendido o suficiente, para saber reconhecê-lo no meio de tantos bobos da corte.

ps: penso que a data que está na legenda da foto do post tem um pequeno erro :)

pernas curtas disse...

Sempre que olho para a "vidinha" das amigas casadas, acabo por agradecer o facto de estar sozinha aos 32 anos...Depois vem o Inverno, e acho que até era capaz de estar bem com alguém...mas o sol volta...

A Tulipa Azul disse...

Gostei do post:)
Andar aí com um homem qualquer só para dizer que se tem namorado é que não, gente:). o que me pergunto é onde andam os homens que valem realmente a pena? como os encontrar? Está tão difícil...
http://atulipaazul.blogspot.com/

Kuski disse...

Onde está o botão do "Like" ? :)
Concordo plenamente com tudo o que está aqui :)
Também esperei e encontrei o meu Príncipe :)

Catarina disse...

A solidão é, sem dúvida, a forma mais expressiva que faz com que as raparigas solteiras à minha volta, se interessem por alguém.
Já escrevi bastante sobre este tema e não podia estar mais de acordo contigo.

Fiona disse...

Como tens tanta razão naquilo que escreves... Existem, sem dúvida, dias menos bons em que nos apetece tanto um aconchego de um abraço no final do dia. Mas acima, de tudo, há que nos sentirmos bem connosco e achar que o mundo não acaba por estarmos sozinhas a partir de certa idade.

GATA disse...

Não acredito em Príncipes, e estou e estarei sozinha. O meu único medo é morrer sozinha em casa e ser encontrada, já meio comida pela bicharada, 10 anos depois...

*Vivi* disse...

Simplesmente AMEI

Paula F M disse...

j´adore! Muito mesmo! Sempre achei isso, sempre vi relações horríveis que nunca iria querer para mim, sempre preferi estar sozinha mesmo com toda a pressão da sociedade do que é ser normal. Mas vivi bem com o meu normal e, ainda bem. A pessoa perfeita está ao meu lado hoje. E eu adoro isso!! :)

Paulo Nunes disse...

Também não vejo qualquer problema num homem ou mulher estar sozinho/a. Da parte que me toca, se não tivesse casado... a esta hora aos 33, estaria obviamente sozinho... e não me via com outra pessoa que não fosse a minha mulher! Não tenho paciência para aturar a maior parte das mulheres que andam por aí solteironas. Sempre a resmungar, sempre a dizer mal dos homens.. irra!o que vale é que eu sou igual :) Namorei 7 anos e estou casado 4 anos. Uma raridade hoje em dia.
Apesar de eu não concordar com algumas coisas que a Kitty diz..... ultimamente até tem dito coisas acertadas :)) Mas uma coisa não concordo... ficar à espera de um principe maravilhoso sentada...não vos leva a lado nenhum! Detesto mulheres passivas... que não mexem uma palha! mexam-se..... procurar não faz mal nenhum. Imaginem se um homem pensar da mesma maneira.... está o caldo entornado :)

a. disse...

concordo tanto, mas tanto com o que disseste!

Sofia disse...

Obrigada por este texto, disse tudo em poucas palavras e exprimiu o meu sentimento de que mais vale só do que mal acompanhada.
Beijinho

Bafejada pelas Musas disse...

Devem dizer-te isto imensas vezes, mas vou dizer-to eu agora. Desde que descobri o teu blog, há muito tempo, que te fui fiel. Foste uma inspiração numa fase importante da minha vida, em que passei de menina a mulher e de maria-rapaz a feminina. Este post diz muito sobre o que tu me deste ao longo deste tempo todo e sobre o porquê de eu passar todos os dias pelo teu cantinho:).
Obrigada pelas palavras que sempre chegaram a mim com utilidade e sentido.
Beijinhos

Olhares disse...

Existe uma pressão cultural para que isso aconteça e por vezes torna-se mais complicado lutar contra os estigmas que se instalam dentro de nós do que os que os outros até possam ter.

Mas tal como tu, acredito cegamente que tudo acontece quando não procuramos nem esperamos e por vezes estamos quase a desistir.

Mas se desistirmos totalmente podemos estar a fechar as portas e janelas à brisa quente do amor.

Gostei de te ler.

Cor De Algodão Doce disse...

É pena a maioria das pessoas não pensarem como tu!

;)

http://cordealgodaodoce.blogspot.com/

Ventania disse...

Podia subscrever cada palavra. :) (P.S. A legenda da foto diz Agosto de 2011!)

S. disse...

Não podia concordar mais!!
Apesar de ainda não ter 30 anos, vejo o tempo a passar e penso nisso algumas vezes. Porém não me assusta ser solteira depois dos 30. Talvez sinta falta de alguém, mesmo agora, porque sinto, acima de tudo porque estou apaixonada, mas sei que as coisas acontecem quando tem que acontecer. Nunca estaria com alguém só para dizer ou sentir que tinha alguém!! Mais vale mesmo sozinha que mal acompanhada. :)