quarta-feira, 6 de julho de 2011

Das mulheres de coragem














Há uns dias, uma amiga minha tinha-me dito que tinha sabido através de alguém próximo que a Maria José Nogueira Pinto tinha cancro no pâncreas. Gelei. Sobretudo por saber que um cancro no pâncreas - o cancro mais temido, por ser demasiado silencioso, dando apenas sinais num estado já muito avançado - é, regra geral, uma sentença de morte. A taxa de mortalidade é muito elevada e os tratamentos são muito dolorosos, revelando-se quase sempre insuficientes para tratar a doença. Admirava muito a Maria José Nogueira Pinto, como mulher e como política (embora nem sempre concordasse com aquilo que defendia). Há cerca de duas semanas e já com sinais evidentes do avanço da doença, ainda teve força e coragem para participar na sessão parlamentar que elegeu Assunção Esteves para presidente da Assembleia da República. Morreu hoje. Chorei a sua morte, como choro a morte de todos aqueles que perdem a batalha contra esta doença que tem levado tanta gente que eu gosto.

14 comentários:

Valdemar disse...

O meu pai...

Brown Eyes disse...

Reitero e subscrevo. Creio que a vi na semana passada na SIC Notícias, num estado cadavérico e quase irreconhecível; não sabia qual a enfermidade, mas calculei. É com pesar que a vejo partir.

يُوَنّ disse...

Não podia concordar mais com o que escreveste.

Paty Michele disse...

Meu irmão foi levado também por essa doença silenciosa e cruel, há 4 meses. Tinha só 36 anos e deixou um vazio dilacerante.
Não há como não me compadecer de casos como o dessa mulher.

Agri Doce disse...

Esta doença está a devastar...não escolhe sexo, idade, classe social, nada...é aterrador mesmo!

T. disse...

Subscrevo as tuas palavras. Uma mulher admirável. Grande perda para Portugal.

prada disse...

A perda de uma grande Mulher.Admirava-a tanto.

L.H. disse...

De política, percebo pouco. Mas gostava desta senhora. Simpatizava com ela. Sinceramente, fiquei com muita pena quando soube que tinha morrido. Muita mesmo.

Rita disse...

Não era para comentar este post, mas assim que fechei a janela reparei que estava toda arrepiada e achei que devia de comentar.
Fiquei triste, muito triste quando soube da noticia da partida dessa grande Senhora que foi e será Maria José Nogueira Pinto.
Essa maldita doença também já me levou muitas pessoas queridas.

Helena Barreta disse...

Também eu fico triste quando vejo que o cancro continua a vencer.

Tenho neste momento o coração em grande sofrimento por uma pessoa muito próxima a quem diagnosticaram um cancro.

Cátia Gomes disse...

Doença de merda!

The Love Coach disse...

Viva!

Para quem quiser ajudar na disseminação da informação e crescimento da nossa consciência ao nível do cancro, vejam este documentário:

vimeo.com/25291396

O Cancro tem cura. Ajudar a que esta cura chegue a tanta gente quanto possível começa pelo passo simples de nos informarmos.

O Dr. Burzynski é um de entre vários outros médicos com o mesmo problema: descobriram uma cura para o cancro e são castrados pela indústria farmacêutica.

Vejam o vídeo, informem-se, curem-se e curem os vossos.

Saúde e Amor,
The Love Coach

aespumadosdias disse...

Maldita doença que leva aqueles de que tanto gostamos.

Drinha disse...

Algo que só ouvia falar passou a fazer parte da minha vida...o meu pai está em luta já faz tempo e no meio de avanços e recuos vejo que perde a força a cada dia...Custa demais quando queremos tanto que essa pessoa seja forte e a vemos ir-se abaixo...Beijinhos