domingo, 24 de outubro de 2010

***

Marilyn Monroe (1947)

Há pouco ouvia na Oprah qualquer coisa como - quando ajudamos alguém, pensamos, inicialmente, que estamos só a ajudar essa pessoa, mas rapidamente percebemos que nos estamos também a ajudar a nós. E eu concordo. A sensação que temos quando ajudamos alguém é mágica. E se a vida vale a pena ser vivida é em parte por isso. Pela diferença que podemos fazer na vida dos outros. E que, consequentemente, eles fazem na nossa. Porque recebemos sempre o dobro daquilo que damos. Sempre.

16 comentários:

Miss B-Beautiful disse...

Agora pareces mesmo a Oprah a falar, sem dúvida.

Bom domingo!

Gelatina de morango disse...

Concordo em absoluto que é muito gratificante para nós próprios a acção de ajudar alguém. Sem dúvida.

Mas que recebemos sempre o dobro...infelizmente não concordo. Há muita gente que revela não ser merecedora dos esforços que fizemos por ela. E nem sempre é fácil ser boa pessoa ao ponto de continuar a achar que teriamos agido da mesma maneira se o soubessemos. Pelo menos falo por mim.

Fiona disse...

Nem mais! E tudo é ainda mais recompensador quando a pessoa que recebe a ajuda sente que o que lhe é dado não vem revestido de segundas intenções ou de razões escondidas. Quando o que se recebe e o que se dá é por boa vontade ambas as pessoas se sentem mais realizadas e não existem sentimentos contraditórios associados. E aí sim, tudo sabe melhor e é possível o dar e o receber em pleno.

prada disse...

"Faz bem e não olhes a quem"
É no voluntariado onde mais se revela essa magia.
Recebamos ou não o que damos, em dobro , pouco importa.
Importante é comos dizes fazer a diferença na vida de alguem.
Infelizmente o que vemos mais é egoismo, em cada um só olha para o seu umbigo.
Talvez a crise que se avizinha, nos obrigue a acordar alguns valores adormecidos.

Precis Almana disse...

Concordo contigo.
Gelatina de Morango, eu acho que por vezes a ajuda que damos a alguém não nos é devolvida em forma de "recompensa" a partir dessa pessoa, mas por outras pessoas. Ou pelo universo. Penso que o "receber em dobro" pode ter também essa leitura.

Quando e como eu quiser disse...

Concordo. Só o facto de ajudarmos alguém já contribui e muito para a nossa paz de espírito.

Sofia disse...

Verdade!

Mami disse...

Concordo que as pessoas que praticam o bem nem sempre são as mais "recompensadas", mas isso não importa nada... Para mim a recompensa é instantânea. A sensação de bem estar, a paz interior que sinto é a minha compensação e é mais que suficiente.
Bjs

Ana disse...

Falou e disse. Por isso digo sempre que não existe ninguém que faça nada só pelos outros... e não é querer desvalorizar o que se faz pelos outros, mas é querer que se valorize o quanto nos faz bem a nós ver os outros felizes. Por isso fazemos também por nós, certo??? Amei as tuas palavras!

Ana disse...

Também concordo com quem diz que receber em dobro não signifique receber da pessoa a quem damos em cada momento. É muito mais do que isso!

Rita disse...

Sinto muita paz por ajudar uma pessoa que realmente precise. Mas nem sempre recebemos o que demos, muito menos em dobro. Por isso não vale a pena contarmos com isso.
*

Marta disse...

por vezes sinto que nem o dobro recebo. Pode ser que um dia..

cordo completamente com a outra parte, dar amor, amizade, ajudar é unico e é isso que nos faz levantar a cabeça muitas vezes!
beijinhos

Marta disse...

por vezes sinto que nem o dobro recebo. Pode ser que um dia..

cordo completamente com a outra parte, dar amor, amizade, ajudar é unico e é isso que nos faz levantar a cabeça muitas vezes!
beijinhos

Isabel Nogueira disse...

Kitty, sigo o seu blog há muito tempo e nunca comentei porque sempre me deu mais gosto ler, mas agora vou comentar: julgo que a Kitty se refere neste seu post a sua relação com a sua bebé porque a kitty disse que ela ja tinha passado por muito e acho que a kitty assim sendo a ajuda, pelo menos eu associei a imagem a isso. Nao sei se a Kitty e ela estão ou não todos os dias juntas ou como é a vossa relação, mas eu vou relatar a minha história: eu adoptei ha cerca de 5 anos um rapazinho e tem sido a coisa mais maravilhosa que aconteceu na minha vida até hoje. Eu e o meu marido (que já tinhamos filhos nossos) sentimo-nos abençoados por este menino ter ficado connosco. ele dá muito valor a tudo o que fazemos por ele e tudo o que lhe proporcionamos. Coisas que os meus filhos nunca ligaram nada, ele liga muito. Para ele tudo é uma descoberta nova, cada coisa tem o seu valor. É muito bom ver isto. E tenho de contradizer os comentários em cima e dizer que quando damos, recebemos em dobro, SIM. Eu recebo a quadriplicar ou mais, com este meu filho adoptado. Ele trouxe tantas coisas boas para a nossa vida. Mudou-nos por completo a todos, tornou-nos a todos melhores pessoas.

Felicidades para a Kitty e para a sua bebé, é tudo o que vos desejo. E que a vida dela seja a partir de agora um mar de rosas lindas e perfumadas, bem como a da Kitty.

Isabel.

Kitty Fane disse...

Isabel, concordo com cada uma das suas palavras. É tal e qual o que eu penso. E sim, estou a referir-me à Bebé. Obrigada. :-)

' Claudjinha disse...

Sempre fui da opinião de que altruísmo verdadeiro não existe e confirmaste-ma agora com esse texto. O ser humano, por mais bondoso que seja, acaba por praticar boas acções porque sabe que benefecia com isso.