quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Vamos ajudar os leitores # 2


Michelle Williams fotografada para a Vogue por Yelena Yemchuk

Tenho 23 anos, e já vivi e ultrapassei imensos problemas de saúde. Tenho uma família fantástica e graças a eles tenho sobrevivido a tudo.

No entanto, desde que comecei a sentir na pele as injustiças da vida deixei de se uma pessoa aberta aos outros, isolo-me muito no meu mundinho e a última pessoa que deixei entrar foi um colega de faculdade (M.) que por se mostrar sempre preocupado comigo, teve permissão para entrar na minha vida. (maneira de falar).

Claro que ele estava apaixonado por mim e eu, sem saber muito bem o que sentia, fui estando com ele... tornou-se no meu melhor amigo, companheiro, conselheiro e envolvemo-nos. Isto começou há dois anos e nesse tempo confesso que me apaixonei perdidamente por uma outra pessoa.

No entanto, as coisas não correram bem e voltei para os braços do M. Sempre achei que ele me amava mais que eu a ele até porque o amor que sentia por ele era feito de um carinho, amizade e admiração, mais que outra coisa qualquer. Não o desejava, não me imaginava com ele no futuro mas a verdade é que estava tão habituada a ele que este Verão quando ele foi de férias, fiquei perplexa com a indiferença súbita que começou a ter para comigo. Inclusivé voltei a ter problemas de saúde e ele até aproveitou para dizer que comigo doente não conseguia lidar.

Entretanto ele vai de Erasmus e a sensação que tenho é de perda (ele não me quer ver mais...decisão tomada assim em duas semanas de férias quando antes me amava loucamente) e sei que a rejeição é algo que fere, mas gostava de ajuda para acalmar a sensação de abandono e a culpa de não ter sido melhor para ele quando pude.


De uma leitora devidamente identificada


Vamos ajudá-la?


34 comentários:

Rita disse...

Complicado no minimo...mas e se ela fizesse assim uma visita surpresa ao sitio para onde ele vai de erasms?

cassiecass disse...

Eu sei que não é o melhor post para este comentário, mas já que não nada boa ajuda em problemas sentimentais
(o meu conselho é sempre o mesmo: procura algo que te faça feliz - compras, passear, escrever, pintar .. e principalmente, conviver! - e que te distraia, porque a felicidade bate sempre à porta quando já não se está à espera dela) ...

bem, mas se noutros campos puder ajudar, meninas de Lx e de Braga - nova campanha da Zilian: http://cassiecass.wordpress.com/2010/09/23/zilian-a-procura-do-par-ideal-de-sapatos-claro/

boa sorte*

Crente disse...

A Rita tirou-me o teclado dos dedos. Fazer-lhe uma visita. E ser sincera nos seus sentimentos, dizer-lhe o que sente e o papel que ele tem na vida. Convém é pensar muito bem antes, para saber exactamente qual é o papel que quer que ele ocupe. Mesmo que ele depois se afaste, não é por ela não ter tentado e não existiram os "ses" que nos atormentam.
Beijos

Ana Sofia Santos disse...

rita ah???
então, gostou de outro...agora este não quer e ela já querer?
mulheres

Inês disse...

Ele se calhar chegou a conclusão de que realmente, para si, não passa apenas de um amigo e ele quer ser algo mais... Indo para Erasmus, aproveitou a ocasião para quebrar os laços porque, normalmente, "longe da vista, longe do coração". Eu diria que ele chegou à conclusão que não queria mais esta situação de "posto de reserva" e decidiu dar outro rumo à sua vida porque viu que consigo não teria futuro. Diga-se de passagem que está a "deixá-lo em banho maria" quando não o deveria fazer, porque isso, mais cedo ou mais tarde, vai fazer com que ele saia magoado a sério (se é que não está já) e se ele é realmente seu amigo, não o devia andar a iludir e fazê-lo sofrer... Se nunca se viu a ter um futuro com ele, é porque ele não é o "tal", por isso deixe-o seguir a vida dele e tente mudar o rumo à sua. Agora custa-lhe, porque perdeu um amigo e está carente, mas não tente colmatar essa falha, iludindo ambos. (fala a voz da experiência...)

daprussia disse...

o que a propria leitora diz: "... o amor que sentia por ele era feito de um carinho, amizade e admiração, mais que outra coisa qualquer. Não o desejava, não me imaginava com ele no futuro..." revela um relacao sem o fogo da paixao, condenada a acabar mais cedo ou mais tarde.
Eu nao tentaria reatar, mas trataria de me mimar a mim, de estar com os amigos, viajar, ir as compras, dar atencao aos meus hobbies, etc. Se para a leitora for importante manter a amizade, devo sugerir-lhe que o faca so quando nao houver qualquer tipo de amargura com o fim da relacao, de nenhuma das partes. Mas, then again, se calhar a leitora agora ate pensa que manter a amizade e algo muito importante para si, mas ate pode ser que daqui a uns meses perceba que pode ser perfeitamente feliz e realizada sem a amizade do seu ex.
boa sorte
sofia

Silvia disse...

Já diz o outro na musica: "you don't know what you got 'till it's gone". Sem fazer qualquer juízo, por aquilo que vejo ele serviu de "muleta" enquanto a leitora precisou e sabia bem (como a todos nós). Sabe sempre bem saber que podemos contar com aquela pessoa, mesmo quando tudo o resto nos falha. Essa pessoa está sempre lá. O que acontece é que por muito que gostem de nós e que esse amor por vezes se sobreponha ao seu amor próprio, um dia - e esse dia tarde ou cedo chega sempre - a coisa muda e eles acordam e fartam-se de ser "usados", ainda que inconscientemente, como a tal "muleta". Ele provavelmente viu finalmente as coisas como elas são e não como ele gostaria que fossem e partiu para outra. E fez ele bem. Assim como bem faz também, na minha opinião, a leitora fazer o mesmo e deixar a coisa como está. Ou seja, deixá-lo estar sossegado e começar a leitora também a dar de si às pessoas pelas razões certas e pelos sentimentos correctos. Por respeito aos outros mas acima de tudo a si própria e aos seus sentimentos.

Mami disse...

Sempre ouvi dizer que só damos valor ao que temos quando o perdemos. E se as coisas não tivessem corrido bem com a outra pessoa com quem se envolveu? Se calhar nesta altura não estaria sequer a pensar no M...
São situações complicadas, que ninguém está livre delas e que a ninguém cabe julgar.
Se gosta mesmo dele, acho que não deve baixar os braços e deve mostrar-lhe o quanto ele é importante para si. Pode ser que ainda haja um final feliz. Assim esperamos...
Boa sorte!

fatima disse...

Se eu já não estivesse interessada em alguém e lhe tivesse transmitido essa ideia, fosse para o estrangeiro e o tipo se atrevesse a ir visitar-me, garanto-vos que ficaria a detestá-lo e perderia qualquer respeito que pudesse ter por ele. E se me apanhasse mal disposta, ainda levava com o rolo da massa, mas que é isso? Perseguição? Credo!
Não concordo com esses conselhos, mas, provavelmente, não sou a pessoa indicada para o fazer.

Gatinha disse...

Já não há nada a fazer. Qd deu, a leitora não quis. Agora que acabou, decidiu que já quer?? Não funciona assim, já não estamos no infantário...
Acho que o rapaz mostrou inteligência, ao perceber que estava a servir de bengala e afastar-se de moto próprio. À leitora, resta-lhe seguir em frente; se ele não era antes o amor da vida dela, não é agora que está longe que vai ser.

Fernando disse...

O amor é um lugar estranho...

Podemos concluir.. ele seguiu o caminho.. fez ele bem.....

Ser ocupaçao das horas vagas ... e dos momentos de mais melancolia, não é o que ele merece deseja .. e a leitora q faça o mesmo..

move on ou melhor nexttttttt

Fernando G. Pinheiro

kin! disse...

Concordo plenamente com a Inês... E digo à leitora: rapariga, tu és nova, tens 23 anos, tens muuuito para descobrir e viver, não te deixes iludir numa relação que já por si não está bem alicerçada; digamos que vais construir um palácio em cima de um fosso que qualquer dia irá ceder... Vais, ou já estarás, a sofrer por não teres a atenção dele, mas faz parte... E o melhor de tudo é que vais lutar e vais superar isso, e vais ver que valerá a pena. :) Depois da tempestade vem a bonança. Acredita sempre que irás encontrar o tal, alguém porque quem te apaixonarás loucamente, e vice-versa.

Vá, tira o lado positivo de tudo pelo que estás a passar... :)

Sentimento de Mim disse...

Ele está interressado em alguém ou aclarou as ideias nas férias e percebeu que tu não gostavas dele e que a relação não tinha futuro. O que perdeste no fundo foi apenas um amigo. Arranja outro amigo e procura um namorado a sério de que gostes verdadeiramente. Não sejas egoísta no sentido de quereres prender alguém que sabes que nunca farás feliz na plenitude.

Ana disse...

Primeiro deveria ter a certeza dos seus sentimentos para não o iludir novamente, depois sim, deveria abrir o seu coração, ela deseja o seu amor ou a sua amizade? Ele poderá ter pensado, que não queria sofrer mais, e tinha de a esquecer, por isso se afastar, quando se ama não se consegue ser só amigo...Se não o ama o melhor é o esquecer e deixa-lo viver a sua vida, deixá-lo encontar outro amor, pois com uma paixão se esquece outra paixão...
Ana

Marabunta & Framboesa disse...

Deixa-o ir. Liberta-o. Também já tive uma "relação" dessas e o melhor foi mesmo a separação. Ele amava-me e eu apenas gostava dele. Não me imaginava no futuro com ele. Ele dizia "amo-te" mesmo sabendo que eu nunca ia dizer de volta. Afastei-me dele. Ele sofreu, ligava a toda a hora, queria estar comigo mas eu sabia que não valia a pena e que ele tinha que deixar de me amar daquela maneira. Hoje em dia estou com a pessoa que eu amo de verdade e ele seguiu a sua vida. Foi melhor assim.

Anónima disse...

Primeiro: acho que ele tomou a atitude acertada. Se para ti ele é apenas um amigo, e ele gostava muito de ti, nao dava para continuar. Quer dizer como homem nao serve para ti, só como amigo. Depois vais ter com outro, e vais chorar no ombro dele. é preciso ter uma paciencia de ouro.

Segundo: Se ele é só teu amigo para ti, dá-lhe espaço, deixa ele viver a vida dele, certamente irá sempre ser teu amigo.

Terceiro: Se para ti ele é mais que um amigo, se queres namorar com ele, algo serio, entao diz-lhe. senao corres o risco de o perderes.

Posso estar errada nos meus conselhos, mas pelo que li foi o que me pareceu.
Porque se tu tivesses um namorado, certamente já nao te importavas por ele nao estar ao teu lado, mas como nao tens ninguem sentes falta de companhia.
Se pelos vistos até se envolveram, achas que ele nao deve estar a sofrer também!

Morcegos no Sótão disse...

Correndo o risco de soar a insensível... A pessoa que pediu ajuda é clara em dizer que nunca foi apaixonada pelo tal M. Como tal, de certeza que o andou a alimentar, a dar-lhe esperanças, a mantê-lo presa a si própria, porque ter a certeza que está ali alguém é melhor do que saber que não há ninguém para nos amparar, mesmo que esse alguém não seja amor nenhum.

Como tal, e porque as pessoas não são estúpidas, o M. provavelmente sabe muito bem em que estava metido e tem consciência que era algo que lhe fazia mais mal que bem, mas apesar de tudo, era algo de que não conseguia separar-se porque as emoções não são racionais e fazem-nos ficar presos às coisas mais improváveis...

Com o Erasmus, as coisas mudam. Vai para fora, vai começar de novo e sente que tem nisso a sua oportunidade para se libertar da prisão que os seus sentimentos correspondidos de forma egoísta (porque manter uma pessoa presa a nós porque se gosta da atenção em vez da pessoa É egoísmo) criaram para si. Daí a indiferença e distância com que agora trata a... leitora identificada?

Que se pode dizer? Se gosta dele minimamente, o suficiente para o respeitar, deixe-o partir para sentir o mundo por si, sozinho.

Se se sente mal com isso, bem, o homem vai estar longe. Há mais peixe no mar. Se não houver, é porque não soube analisar-se a si mesma e só se apercebeu do que verdadeiramente tinha quando o perdeu.

MJNuts

txticulos disse...

A meu ver ambos deixaram-se ficar numa situação simbiótica, confortável, porque tal beneficiava ambos, com um detalhe, primava pela falta de lealdade, esta situação, usualmente, acaba com uma saída unilateral da parte que benefícia com a mudança de rumo.

Conselho: Segue a tua vida, dificilmente vais consertar ou recuperar algo que não quebraste.O tempo há-de curar quaisquer ressentimentos que agora existam.

Kikas disse...

Em primeiro lugar, acho que a leitora deveria tentar perceber (junto dele) o que o levou a, em duas semanas de férias, mudar completamente de atitude.
Se a culpa for dela, por ele se ter apercebido que era mais um Apoio que um Amor, e se ela acha mesmo que afinal é Amor, então acho que ela deveria mostrar-lhe o que sente. Concordo com a visita-surpresa, para lhe mostrar o que é capaz de fazer por ele.
Se simplesmente lhe deu na cabeça, ou outra coisa qualquer.. Epá, eu não quereria estar com alguém que nem sabe lidar com o facto de eu estar doente. E sim, eu sei o que é alguém fartar-se de nos ver doentes.. Mas deixar de nos apoiar, principalmente em alturas como essa? Inadmissível.

Helena Barreta disse...

Não me leve a mal, mas faz-me lembrar as brigas e birras dos meninos, "eu não quero esse brinquedo", mas como o outro menino o quer, "afinal já quero".

Sabe o que lhe digo? Faça Erasmus também, noutro país que não o dele, vá conhecer outras pessoas, outra forma de vida, alargue horizontes, se o que sentem um pelo outro for amizade, vai perdurar, se for amor, por muitos ou poucos relacionamentos que possam vir a ter, o amor fá-los-á perceberem que afinal foram feitos um para o outro.

Se gosta do M. fique feliz por ele e deixe-o "voar". E já agora, "voe" também.

Um beijinho e seja feliz

a do lado ! disse...

Acho uma injustiça ficar-se com uma pessoa que nos ama sem a amar-mos só para não se estar sozinho.

Vida de Gorda disse...

Cara leitora, desse valor ao que tinha. Agora que nao tem, paciência. Se nao axava k era o homem da sua vida antes, é agora que vai axar?

Siga pa frente vida continua!

Menina do Norte disse...

Se ela percebeu [depois da perda] que gosta mesmo dele, que o ama, então tem que correr atrás. Se está só triste por causa da rejeição então têm que seguir os dois um caminho diferente. Boa sorte para a menina!

Beijinho*

ordep disse...

Quem com ferros mata, com ferros morre. Até que enfim que o tal M. abriu os olhos!Estás a ter a devida paga.
Não tenho pachorra para mulheres que traem e depois vêm pedir batatinhas.

Cherry Blossom Girl disse...

Ser humano é assim, queremos sempre o que não temos e só damos valor ao que temos quando perdemos! Pois, acho que o melhor agora é "bater com a cabeça na parede" mas aprender com o erro!!
;)

M disse...

It is so dificult!



http://cookinfashion.blogspot.com/

Capitão Azul disse...

fazer-lhe uma visita e dizer os sentimentos que tem por ele? a nossa "analisada" sabe que sentimentos tem por ele?... creio que não. sabe que sentimentos tem por si própria e o bem que lhe faz o tal rapaz. não que seja mau ou condenável. é uma circunstância. Nem sempre apanhamos o comboio que devemos, e por vezes damos conta quando ele partiu, e nem sempre sabemos que comboio apanhar ou que caminho.
Sugestão? chorar, fazer o "luto" para curar a dor e aprender. aprender muito.

Graça disse...

Lembrei-me deste texto cujo autor desconheço:

A maior dor


"A maior dor na vida não é morrer, mas ser ignorado.
É perder alguém que nos amava e que depois deixou de se importar.
É sermos deixados de lado por quem tanto nos apoiava.
É constatar que esse é o resultado das nossas negligências.
A maior dor na vida não é morrer, mas ser esquecido.
É ficar sem um cumprimento após uma grande conquista.
É não ter um doce amigo telefonando só pra dizer "olá".
É ver a indiferença num rosto quando abrimos nosso coração.
O que muito dói na vida é ver aqueles que foram nossos amigos e colegas sempre muito ocupados quando precisamos de alguém para nos consolar e ajudar a reerguer o nosso espírito.
É quando parece que nas aflições sobramos somente nós nos importando com nossas tristezas.
Muitas dores nos afetam, mas isso pode não ser tão pesado se formos mais presentes e atenciosos: Cada um de nós tem um papel para desempenhar no teatro que chamamos vida.
Cada um de nós tem o dever de dizer aos amigos que são importantes.
Se você não se importa com seus companheiros de jornada, você não será punido:
Apenas acabará simplesmente ignorado, esquecido, exactamente como fez com eles ..."

B. disse...

O pessoal cansa-se de gostar mais de uma pessoa que gosta de nós de menos. Duvido que seja rejeição e que não lhe esteja a custar, simplesmente há um dia em que acordamos de manha e achamos que já demos tudo o que podiamos aquela pessoa e que ela nunca percebeu e portanto está na hora de fazer alguma coisa e vir embora.

Se não for capricho, se for para estar mesmo a serio, se vires um futuro juntos...luta!! Vai lá, diz que te enganaste, que não percebeste, que queres. Os sentimentos não mudam em 2 semanas. S
e achas que são só amigos, e se não vai ser mais que isso, dá espaço, deixa ir, e no futuro, daqui a uns meses voltem a falar como amigos.

As relações que não são equilibradas são complicadas...para quem gosta mais.

Caucau Shoe Maniac disse...

Já a minha avó dizia "o que tem de ser nosso, será". Por isso o meu conselho é o mesmo, se ele tiver de ser teu será. Não deixes de viver a vida por causa dele, se achas que tens de conquistá-lo, tenta (para que mais tarde não fiques na incerteza "e se?"). Mas acima de tudo, o que a vida me tem ensinado é que, às vezes, pensamos que queremos muito uma pessoa/coisa, e ela não aparece. Mas depois aparece outra ainda melhor do que aquela que queríamos inicialmente. Nunca perder a esperança...

E se ele te esqueceu em 2 semanas é porque não te amava (mas tens de ter a certeza que ele te esqueceu mesmo, ou se é uma desculpa para se afastar de ti, por ver que tu não estás com ele 100%).

As hipóteses são muitas, mas tu vais encontrar o teu caminho.

Shiine* disse...

Se ele te amava assim tanto não está certamente esquecido de ti. Secalhar procura que vás atrás dele, eu no teu lugar lutava!

Ana disse...

Não acho que precise de ajuda. Acho que as pessoas t~em de começar a dar mais valor a quem merece e gosta delas, e abandonar o péssimo hábito de só se aperceberem de quanto os outros são importantes e de quanto gostam deles quando os perdem. É o que acontece a essa senhora, que agora que vê que o M. já não está assim tão interessado e deixou de ser a sua bengala de apoio, agora quer fazer alguma coisa! Não pode ser, porque o M. sempre lá esteve e ela não ligou grande coisa. Está na altura de ele também procurar a sua felicidade e alguém que o ame, dado que ela não o faz.
Portanto, egoísmos à parte, liberta o M. e deixa-o ser feliz com quem o possa amar, porque uma relação com alguém não pode ser só feita de amizade, pelo menos um namoro.

Menina Veneno disse...

Eu acho que foi uma ideia brilhante pedir-se ajuda a desconhecidos... Sempre são mais honestos. Tenho uma amiga cujo namorado terminou tudo com ela há um ano atrás... Embora tivessem deixado de vivier juntos iam estado juntos e fazendo algumas coisas. Agora ele arranjou uma namorada e a minha amiga acha que ele a traiu. O que eu deveria dizer claramente foi que ela quis apanhar migalhas do chão e que ele esteve a fazer tempo com ela porque ela deixou. Que o que aconteceu era de esperar e que não só não é responsabilidade dele como até é bem feito para ela apreender a ter amor próprio e não se contentar com merda. Era... mas como se diz isto a alguém que, com razão ou não, está a sofrer genuinamente?

' Claudjinha disse...

Kitty Fane, para onde posso mandar uma história assim? Qual o contacto? E será que depois quando a publicares (se publicares) podes não colocar o meu link? Depois venho aqui para ver se respondeste. Obrigada, beijinhos