domingo, 6 de junho de 2010

***


Natalia Vodianova

Precisava de voltar a acreditar no amor. Por isso, vi pela enésima vez o filme "A vida é bela" e bebi aquele vinho caro que tinha ali guardado.

11 comentários:

Sofia disse...

Eu ainda não sei se acredito. Mesmo com filmes, vinho ou até com o que a vida real me mostra. Depende dos dias. ;)

mibemolmaior disse...

Amo de paixão " La Vita é Bella"! Também já o vi n vezes... de cada vez que vejo derramo toda a água que há dentro de mim em forma de lágrimas... quase que me mata... Mas simplesmente gosto de rever!

Beijinho e bom Domingo

Signora S. disse...

Experimenta ir passar a tarde ao jardim... vais encontrar varias expressoes de amor de certeza

Narizinho Lunático disse...

Isso faz com que eu me lembre de mim, há coisa de um ano atrás, a comer sózinha uma caixa de trufas de chocolate que vinham numa caixa em forma de coração... Tinha comprado as ditas para ele... Ele fez-se de esquisito... Comi-as eu! Ponto final!! :p
Quanto ao amor, acredita, ele existe! Mas não como nos filmes. Não há amores perfeitos, nem princípes encantados. Há amor, simplesmente! :)
Bjitos

Destination disse...

Como diria a Amy Winehouse nesta belíssima melodia : "Love is a losing game"

http://www.youtube.com/watch?v=GfC6CCtZjxk

R* disse...

Neste momento eu não acredito!

FUSCHIA disse...

NUNCA DEIXES DE ACREDITAR---mas fizeste lindamente- MIMA-TE :) bjs

Poseidon disse...

e para acreditares no amor é preciso estares sob influência do álcool? :P

Capitão Microondas disse...

Lê as últimas duas páginas do livro "Diz-me a verdade sobre o amor", do Nuno Amado. O nome é corny, o nome do autor ajuda ainda mais à falta de credibilidade mas a história que serve de metáfora à conclusão final é um bom princípio de vida e a demonstração que deixar de acreditar no amor devido aos insucessos e amarguras que o mesmo trás é um disparate assente na falta de foco/noção do que é o dito.

complicometro disse...

tenho esse dvd em cima da secretária há meses para ver, e acabo sempre por ver outro filme :s

João disse...

Não é o vinho que faz o momento, mas sim o contrário :)