domingo, 13 de junho de 2010

Ainda o nível económico

O início de um namoro é diferente de um casamento. E namoro serve para isso mesmo, dar à outra pessoa o que somos e dar-nos a conhecer, gostos, preferências...para depois se chegar à conclusão ou não se realmente é aquela pessoa que queremos fazer um projecto de vida em conjunto.

A vida a dois é uma partilha de experiências, boas e más. Sim, as pessoas devem apoiar-se mutuamente, mas não quer dizer que se seja cego. Perda de emprego, um acidente que mude drasticamente a vida, uma doença, factores que são exteriores podem acontecer e mudam a vida a qualquer um. Azares acontecem a todos. E nestes casos, não tem nada a ver com preguiça.

Agora se o meu namorado decidir dedicar-se à arte da coceira, passar o dia inteiro à frente da TV, jogar playstation,não se esforçar também ele para um futuro a dois... vou estar eu a construi-lo pelos dois, se não existe vontade do outro lado? Não e não.

Deixado pela Alexandra na caixa de comentários abaixo

8 comentários:

Anónima disse...

Concordo plenamente com a Alexandra. Uma relação controi-se a dois, e não por sacrificios de uma pessoa em prol de outra. Não basta gostar um do outro, sentir paixão, ou were ever, há mais coisas a ter em consideração para constituir vida em conjunto. E para isso serve mesmo o namoro para ver isso.

The Closet disse...

Concordo plenamente! Se é uma relação, uma vida a dois, não é um andar a reboque do outro!

Roxanne disse...

haverá alguém que não concorde, miss? :)

Cate disse...

Grande Alexandra, nem mais!

Tânia Gil disse...

concordo plenamente. uma relação é feita a dois, o esforço de um só não chega!

Noya disse...

O comentário do Luis é a forma mais correcta de analisar a situação da tua amiga. Haverá algo mais simples que isso? Sem estar a analisar a fundo a relação (que isso já é entrar noutro campo).

kakkawo disse...

Uma relação é feita a dois. Uma vez ouvi alguém dizer "na teoria do engate, só 50% depende de ti".

Claro que não estamos a falar de um "engate", mas de uma relação que se quer minimamente estável e que cumpra os objectivos de cada um dos intervenientes.

Mas o nível económico hoje é um factor importante, é importante ter em conta todas as variáveis exógenas. A tanga do "o amor é que importa" já não existe. Hoje tanto mulher como homem pensam por isso e ambicionam por si, e não apenas pela família. Mas se o meu namorado não fizer sequer um esforço, e só eu lutar, então mais vale estar sozinha. Como a minha mãe diz "não ajuda, mas empata".

alexandra disse...

Claro que concordo. :)))))