domingo, 16 de maio de 2010

Palavras que podiam ser minhas


Woman in the Waves (1868) - Gustave Courbet

É claro que não me apetece entornar celulite só para me distanciar da boazona rija que se cruza comigo na rua, mas gosto de algumas coisas em mim que são tortas, imperfeitas, excessivas. De outras, claro, não tanto, e faço por combatê-las, o que me parece saudável. É que, apesar da ditadura social e mediática de que todas as mulheres comuns se queixam, não acho que os actuais ideais de beleza sejam uma chatice para aquelas que se interessam por homens inteligentes; afinal, só os homens estúpidos gostam de exibir, a título permanente, troféus de caça escanzelados a rebentar pelas costuras no rabo e nas mamas. Os outros, gostam dos sinais, das sardas, das assimetrias; e não desamam por uns quilos a mais ou por qualquer membro subitamente descaído . Uma cara e um corpo só bonitos e só (aparentemente) perfeitos provocam, em quem deles usufrui, um entusiasmo e um prazer que duram o tempo exacto que demora a desembrulhar um presente lindo, apenas para depois se descobrir que não há nada dentro da caixa.

Sofia Vieira no seu Controversa Maresia

8 comentários:

Margarida disse...

Speechless... muito bom!

Neith disse...

Adorei o texto...só diz verdades.

Beijocas

MoonLight disse...

Lindo =D

beijo

Jo disse...

Vinha aqui bajular este texto até à exaustidão de tão bem escrito e pensado que está, mas quis o destino que o blog em questão abrisse antes da tua caixa de comentarios. Perante a leitura de alguns posts perebi que, efectivamente, no meio da diarreia mental, por vezes sai um post precioso. Como este. Não se pode agradar a gregos e a troianos...

César disse...

Belo texto!

Silvia disse...

... e um dia alguém disse: "és tão linda... mas não é por isso que gosto de ti. Senão, quando deixasses de ser, deixava de gostar". Texto repleto de verdade.

Vida de Gorda disse...

Adepta da perfeição como sou, discordo completamente.

Certamente está muito bem escrito e transparece uma opinião pessoa. A que cada um tem direito.

Narizinho Lunático disse...

Parafraseando o meu namorado, perante o meu desanimo quando engordei uns quilos:

"Com o passar dos anos, todos envelhecemos; tudo muda do pescoço para baixo... O que realmente interessa e tem valor é o temos cá em cima, dentro da cabeça!"

Não é fofo?? :):)

Bjs