segunda-feira, 26 de abril de 2010

Toda a verdade acerca dos corta-interesse


Rachel Bilson

Uma amiga minha passa a vida a dizer-me que, por ser tão exigente, um dia ainda vou casar numa igreja de véu e grinalda, com um homem que dá imensos erros ortográficos, que ocupa os tempos livres a jogar playstation, a ver a sport tv e o canal Benfica, que gosta de tourada, baixote, careca, portador de uma adorável barriga de cerveja, branquelas e de ar deslavado, de mãos pequeninas, com uma carrada de filhos para criar e uma ex mulher chata a chatear.

- Depois quero ver o que dizes. - diz-me ela. E eu, eu farto-me de rir e respondo-lhe sempre da mesma maneira - Ora, se estiver apaixonada por ele, qual é o problema? E é verdade. Isto dos corta-interesses é mais para me divertir do que outra coisa. Ninguém no seu perfeito juízo, leva isto a sério. Obviamente que eles têm alguma importância, claro. Obviamente que quem não os tiver ganha pontos. Mas no amor as coisas nunca são assim lineares.

16 comentários:

Patife disse...

O Patife que o diga. Há mesmo com cada uma...

Morcegos no Sótão disse...

É verdade, sim senhora. Eu também sou bastante exigente. Odeio erros ortográficos, não gosto que fumem, preciso que tenham um inglês de boa qualidade... Estive alguma vez com uma pessoa que não reunisse nem uma destas condições? Claro que não. O amor faz algumas cedências, enfim.

MJNuts

Sofia disse...

ola... gostaria de saber se saem hoje os resultados do passatempo... parabens pelo blog todos os dias passo por aqui e me ri-o... fico sempre bem disposta

S* disse...

Acabamos sempre por nos apaixonar pelo género que detestamos. :P

Rorscharc disse...

a fucking (pardon my language) true statement. ^^

O Guaxinim disse...

É como diz a letra da música "Fon-fon-fon", dos Deolinda. "Mas ele toca -fon-fon-fon e é a fanfarra que eu sigo/Se o amor é fon fon fon fon que se lixe o romantismo".
Gostávamos muito de amar o senhor que toca saxofone ou violoncelo, mas se amamos o que toca a tumba, então, até a música dele nos parece linda.

hierra disse...

os corta interesse nascem do pouco interesse que alguns homens nos suscitam. Se encontrarmos um homem que não gostamos, tornamos-nos produtoras de corta interesses, basicamente embirramos com tudo! Quando é alguém que realmente gostamos, nada nos corta o interesse, os defeitos são reconhecidos mas não são suficientes para que se corte o interesses, são até engraçados.

Feiticeira disse...

Há pouco mais de um ano atrás conheci um homem super charmoso. Soube que ia haver um romance ali, mas sempre soube que nunca ia conseguir superar o facto das mãos dele serem minúsculas e usar gel para domar os caracóis. Não me sinto má pessoa por isso. Ele merece estar com alguém que não o quer mudar e gosta dele como ele é. Eu não seria nunca essa pessoa.

Precis Almana disse...

Nem mais! O homem de quem mais gostei (talvez o único que amei), não é bonito por unanimidade. "Só" tem um charme que a maioria das mulheres reconhece e é uma das pessoas mais inteligentes que conheço. Ou seja, depois há atiça interesses que se sobrepõem a todo e qualquer outro interesse menos interessante. É o "gosto de ti apesar de".

Jibóia Cega disse...

Talvez o post mais acertado dos últimos tempos...

Mais um homem... disse...

Com essa exigência toda acabas sózinha que ninguém te pega.
Mas melhor assim que sempre dá para viajares mais. Dinheiro que poupas que em casal gasta-se mais.

Kitty Fane disse...

Mais um homem, em casal gasta-se mais? Explique-me lá isso. É que de repente não estou a ver. Ora vejamos: pago o empréstimo da casa por inteiro, se vivesse com outra pessoa pagaria apenas metade. Pago água, luz, água e gas sozinha, se vivesse com outra pessoa pagaria apenas metade...E poderia estar aqui a noite toda.

Quem vive em casal (a não ser que tenha filhos) poupa muuuuuito mais. ;-)

Precis Almana disse...

Quem acha que em casal se gasta mais é quem concebe apenas duas modalidades de vida: em casa dos pais ou em casal. Mulher ou homem viverem sozinhos é coisa que não passa pela cabeça de tais pessoas.

Paula disse...

Olha,bela amiga essa!!!

Sara L. disse...

Olha que a tua amiga pode ter razão... o amor é tudo menos racional e às vezes, quando damos por nós, estamos completamente perdidas por alguém que nunca nos passaria pela cabeça virmos a gostar... é mais provável acontecer isso do que encontrar alguém que preencha todos os requisitos!

Num caso ou no outro... boa sorte Kitty ;o)

Paulo Nunes disse...

Erros ortográficos? olha.. eu podia ser um candidato hehe! bolas.. estou a comentar o teu blog do mais recente para o mais antigo. :P
beijinhos