quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Pergunta da semana # 6 - Os pais devem ser os melhores amigos dos filhos?


Goldie Hawn e Kate Hudson

Há coisas que me enchem de urticária. Uma delas é ouvir mães e pais a dizerem que são os melhores amigos dos filhos. Perdão? Os melhores amigos dos filhos não devem ser os seus... amigos? É óbvio que deve haver muita cumplicidade entre pais e filhos, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

E até vão para a discoteca com eles, e deixam os namorados das filhas de quinze anos dormirem lá em casa com elas, e apanham bebedeiras com os filhos de treze anos, porque é melhor deixarem-nos fazer tudo pela frente, do que andarem por trás, sabe-se lá por onde.

Estes pais esquecem-se que ao serem os melhores amigos dos filhos, se estão a demitir do papel de pais. Estão a dar toda a liberdade aos filhos, tanta, que tudo deixa de fazer sentido a longo prazo. Porque é tudo tão facilitado que no fim nada sabe bem. Porque chegam aos vinte anos e já não há nada de novo para descobrir. Porque não conseguem ouvir um não como resposta. Porque a vida vai ser sempre mais difícil quando crescerem, porque estão habituado a ter tudo de mão beijada e não vão saber lutar para conseguir seja o que for.

O que seria da minha adolescência sem o olhar reprovador da minha mãe quando eu chegava tarde a casa? O que seria da minha adolescência sem aqueles namoros às escondidas ou aqueles amassos no escurinho do cinema? Não era adolescência, era apenas mais uma vida adulta mas sem responsabilidade nenhuma.

50 comentários:

Joanne disse...

Uma vida adulta sem responsabilidades... seria isso mesmo e muito mais desinteressante!

Me disse...

Poderia ter sido eu a escrever este texto... porque é precisamente aquilo que costumo tantas vezes afirmar (e precisamente com as mesmas justificações!)!

hugo patricio disse...

E! True Hollywood?

Cátia Gomes disse...

Discordo. Os pais podem perfeitamente ser os melhores amigos dos filhos. Eu e a minha mãe somos grandes amigas. É óbvio que há coisas que não lhe conto. Mas também não conto aos outros melhores amigos. Há coisas que são só nossas. De qualquer forma discordo. Os pais podem perfeitamente ser os melhores amigos dos filhos. E ainda bem que isso acontece.

Anônimo disse...

Total e absolutamente de acordo.
Bom ano novo ;)

Nuno Rechena

- Sílvia disse...

Há coisas que discordo e concordo.
A minha mãe é a minha melhor amiga, disso não existe dúvidas.
No entanto, quando tem que cortar, corta.
Se ela achar que não devo ir, diz não e acabou.
E não vai deixar de ser a minha melhor amiga por causa disso.
Cabe às mães, distanciar as coisas.
E, sinceramente, antes de uma mãe ser mãe, é a melhor amiga.

Jojozinha disse...

pois eu també acho!
e eu que me fartei de ter esse tipo de reprovação!

não pode haver exageros,o equilibrio é sempre a melhor posição.
:)

Teresa disse...

Clap! Clap, Kitty! Não posso estar mais de acordo.
Gostei especialmente do último parágrafo.

Anônimo disse...

Isso depende do conceito que temos de amigo. Para mim, "amigo" é "aquele que não deixa errar". Logo, para mim, sim, os pais podem/devem ser os melhores amigos dos filhos; aqueles a quem os filhos recorrem quando as coisas não vão bem ou quando querem paetilhar a maior alegria do dia. Amigo é isto, não é? Amigo não é para ser avaliado pela forma como fizeste. Amigo é outra coisa! Alguém que leva outro para a bebedeira não tem de ser obrigatoriamente amigo, pelo contrário.

kiss me disse...

A minha mãe sempre me disse "Eu sou a pessoa que mais te ama neste mundo, mas não estou aqui para ser a tua melhor amiga, estou aqui para ser tua mãe". E foi, e é, e educou-me lindamente.

Lady disse...

concordo perfeitamente ctg :D

Smurf disse...

Não poderia concordar mais. Também me faz alguma confusão. E eu que sou já tive essa pergunta formulada na cabeça muitas vezes, mas como tudo na vida "uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa". Há que saber separar as águas, mas claro estar lá! Sempre lá, mesmo que não dêem pela nossa presença. Foi o que me fizeram e é o que espero eu coneguir fazer.

Frutinha disse...

Olha concordo plenamente contigo. Até porque eunato jovem nos sabe muito melhor aquilo que é negado ou proibido!

MC disse...

Ora nem mais!!! :)

Ana disse...

Discordo contigo. O que a Cátia escreve é para mim 100% o meu lema.

disse...

Ainda há pouco tempo vi uma reportagem sobre esse tema, a qual acompanhou uma mãe que fazia exactamente as coisas que descreve. E era comentada por um psicólogo que dizia qualquer coisa como que um pai, ao ser o melhor amigo de um filho, deixa quase de ser pai, ou seja deixa de ter autoridade para desempenhar esse papel. Eu acho importante que sim, sejam amigos e que sim, haja abertura para falar, para desabafar, mas há que manter a posição bem demarcada e saber ser pai, em primeiro lugar.

Kitty Fane disse...

Bê, eu também vi essa reportagem há dias na Tvi24 e foi a pensar nela que escrevi este post.

Allie disse...

Os pais podem ser grandes amigos dos filhos mas não devem substituir os amigos. Não me imagino numa noite de "copos" com o meu pai à beira. Gosto da sensação de conforto que os pais nos transmitem com os seus conselhos sábios de quem já viveu aquilo mas noutro tempo. Obviamente é possível ter uma grande cumplicidade com os pais e contar-lhes quase tudo o que se passa nas nossas vidas, mas há coisas que só gosto de partilhar com as minhas amigas , que têm minha idade, o mesmo nível de experiência e maturidade.

Mimi disse...

Acho perfeitamente possível sim os pais serem os melhores amigos dos filhos. Porque não?
Os amigos também têm a missão de alertar, de reprovar, não só de passar a mão pela cabeça.

Um óptimo 2010 já agora :)

Dina disse...

Eu assino por baixo!

prada disse...

Parabens pelo que escreveste!
Não posso concordar mais e penso que a proxima geração irá dar uma volta a estes valores actuais, pois vão verificar que essa liberdade lhes trouxe um vazio tal , que não quererão o mesmo para os seus filhos!
Os pais são especiais, ocupam um espaço proprio, e os amigos têm o seu. Essa mistura não combina

Bomboca do Amor disse...

Acho que deve haver um meio termo. Conhecer bem os filhos, mas não garantir que os nossos filhos têm um melhor amigo para confidências. Beijinhos,
Bomboca do Amor

Lara disse...

Concordo plenamente. Por isso existe a distinção nas palavras "Pai", "Mãe" "Amigo"... Não quer dizer que não haja cumplicidade entre pais e filhos, mas cada um deve desempenhar o seu papel.

Eva disse...

NÃO, não devem...
Prejudicam os filhos e se insistirem em assim continuar pela vida fora podem mesmo prejudicar seriamente aqueles e as relações daqueles com os outros, seja com os amigos, com os cônjuges, etc.
Da parte dos pais ser verdadeiramente amigo dos filhos é querer vê-los felizes (e, obviamente, não estou a falar da felicidade imediata resultante de se lhes fazer todas as vontades), não "parasitar-lhes" a existência porque - por preguiça ou comodismo - não se tem nem se procura ter vida própria!!!

I. disse...

Uma mãe deve se amiga, mas não nesse sentido, tens toda a razão.
Faz-me uma confusão dos diabos, a falta de distinção de papéis na família. Perturbador, acho eu.
E aquele fenómeno de pais que tentam comprar o afecto dos filhos, com bens materiais ou fazendo vontadinhas? Que ficam arrasados quando os filhos se chateiam por causa de um castigo?
Jasus, se um filho não fica revoltado (e às vezes a odiar, de passagem) com um/a pai/mãe, é porque o/a pai/mãe não está a fazer o seu papel, digo eu.

Branca de Neve disse...

Sem dúvida. Os pais têm de ser pais, não amigos. Conheço um caso em que os pais lhe davam toda a liberdade e nunca lhe impunham regras e agora essa pessoa tem muita dificuldade em ouvir um não, por exemplo, por parte de outras pessoas.

Sara disse...

Um pai ou uma mãe pode ser o melhor amigo dos filhos e não fazer essas figuras tristes que descreves. A diferença é ser SÓ melhor amigo ou ser mãe/pai e simultaneamente melhor amigo - este ultimo é possível e contribui para uma boa educação, quer acreditem, quer não.

Juanna disse...

Ao fim de 7 anos de maternidade, chego à brilhante conclusão que essa coisa de "ah vou educar os meus filhos em democracia, explicar-lhe tudo e etc", é uma treta. Os putos NÃO precisam de mais amigos, precisam de regras e limites. E isso é o meu papel.

catarina disse...

é nitidamente um discurso de velhota que quer a todo o custo salvar os tempos de juventude. esse tempo já era.

Anônimo disse...

O papel dos pais é serem pais e isso um amigo não substitui, também teem a vertente de amigos, até mais do que isso, porque o amor dos pais é incondicional e nele também cabe a amizade.
Há que saber dosear tudo, aí está o segredo.

Maria:)

Blossom On A Tree disse...

Eu também não concordo nada com essa história dos pais irem para a discoteca com os filhos, beberem todos juntos, levarem os namorados/as de férias e coisas assim e justificarem isso com "ao menos que o façam à minha frente", porque para algum motivo os pais têm o principal papel de educadores e partirem daquele princípio é assumir já à partida que vão falhar. Mas acho que quando muitos dizem que são "os melhores amigos dos filhos" não é bem nesse sentido, mas mais no da tal cumplicidade, no serem os primeiros a quem os filhos recorrem quando têm algum problema e os primeiros a saber das alegrias. Isso, acho que só revela uma grande confiança que os filhos têm nos pais.

Beijinho**

Cate disse...

Penso que há uma diferença entre ser o melhor amigo do filho/a e fazer tudo o que o filho/a faz. Não acho normal que uma mãe vá para a noite com os filhos, nem que se embebede e fume ao lado deles, que partilhem pormenores íntimos sobre vida sexual (diferente de aconselhamento), etc e tal. O papel do pai e da mãe é estarem presentes, serem amigos, os melhores amigos. Porque são, não haja dúvida, querem-nos bem como nenhuma outra pessoa poderá querer. Mas a participação a cem por cento na vida dos filhos não é saudável e muito menos tentar controlar a vida deles. Cada um tem que saber desempenhar o seu papel.

Vera disse...

é o mesmo quando se diz, o meu namorado/marido é o meu melhor amigo...não concordo...cada um tem o seu papel...e não são as definições de dicionário...cada um de nós tem a sua própria definição para cada uma das palavras: pai, mae, marido, namorado, amigo, conhecido, vizinho e melhor amigo!

para mim são diferentes, embora a relação de cada um deva ser tão saudável quanto possível!

Pepper disse...

Discordo do que li aqui. Em primeiro começo por questionar esse conceito tão vulgarmente usado de "melhor amigo", o que isso siginifica? Por mais intímos que sejamos de uma pessoa, temos (ou pelo menos deveriamos ter) a nossa individualidade e personalidade própria, o que significa que não partilhamos todo e qualquer detalhe da nossa vida com essa dada pessoa. Depois muitas são as pessoas que mudam de BBF como mudam as estações do ano. Chamemos apenas Amigos. Em segundo, os pais podem ser bons amigos dos filhos sem isso significar a promoção do alcoolismo infantil e da promiscuidade juvenil. Os pais serem amigos dos filhos significa não apenas estar lá para dizer sim ou não, mas para explicar a razão desse sim ou desse não, ser um porto de abrigo em qualquer circunstância e ser um modelo de integridade para a vida.
Um abraço.
Pepper

joao disse...

Genericamente... aplaudo de pé este texto.

É certo que tenho com a minha mãe uma relação que com os anos se tornou mais em amizade do que em maternidade, embora a maternidade esteja sempre lá.

Mas antes de sermos adultos, os pais não podem ser os nossos melhores amigos. Não podem! Precisam ser pais.

Cat disse...

Não podia concordar mais. Que impressão que me faz, ver pais com os filhos, a beber uns copos ou a trocar cigarros. Baaahh!

Por mais cumplicidade que exista, os pais têm de ser pais.

Miss Kin disse...

Ora aí está um post em que não concordo com nenhuma das ideias.
Durante toda a minha adolescência a minha mãe era mesmo a minha melhor, amiga, não, não ia comigo para as borgas, muito menos apanhar bebedeiras, mas sabia de tudo e por isso, eu sempre aprendi a ser responsável e a não cometer excessos.
Quando há uma proximidade destas entre pais e filhos, não significa que deixem de ser pais, os ralhetes continuam a existir quando há necessidade, os desejos não são todos atendidos na mesma... A grande diferença, é que em vez de estarem a ver a nossa vida do lado de fora, sem saber bem o que se passa lá dentro, então por dentro para direccionar o caminho.

Não me fizeram falta nenhuma, os stresses que não tive por chegar de manhã a casa.

Andie disse...

Concordo!
Por mais à vontade qe se tenha com os pais, há sempre um momento na vida, sobre um qq assunto, qe nao lhe contamos, pq temos a noçao qe sao pais e nao "os melhores amigos". E os proprios pais têm de ter essa distancia, senao sujeitam-se a ser colocados ao msm nivel dos amigos.
Ja presenciei casos de pais e filhos, em qe a amizade era excessiva e os filhos se esqeciam de qem eram os pais, e acabavam por ser tao mal educados e ter as atitudes qe teriam com os amigos. Acabam por esqecer-se disso. E isso nao é bom!
Eu era incapaz de me virar para o meu pai, msm ele nao tendo razao e dizer "Tás parvo, cala-te mas é!". E na minha relaçao com o meu pai tb há amizade, mas não exagerada. O resto é relaçao de filha-pai.

It's now or never!!! disse...

Concordo em pleno.
Muito bem. Adorei.

luarte disse...

Uma mãe é uma mãe e um pai é um pai, não são os nossos melhores amigos só porque temos a melhor relação do mundo com eles (a chamada relação ideal).

Cada macaquinho no seu galho! O papel destas pessoas é educarem-nos, é fazem-nos crescer, é contrariarem-nos quando tem de ser, mesmo que achemos que a razão está a 100% do nosso lado, é darem-nos colo e carinho quando precisamos dele.

Isto é ser-se pai e não melhor amigo.
Beijinhos

Kikas disse...

a minha mãe não é a minha melhor amiga mas eu sou a dela, porque não tem uma vida fácil e apoio-a ao máximo.. mas não gosto assim tanto disso. ao contrário, nunca passaria pela cabeça de uma ou de outra! e a minha mãe a deixar o meu namorado dormir cá em casa, comigo, ou a aprovar bebedeiras ou a deixar passar uma chegada depois da hora (se bem que eu não saio, mas pronto)? nunca, jamais!
queres-te chocar? sei de uma mãe e de uma filha que curtiram com o mesmo rapaz, na mesma noite. eu pelo menos fiquei chocada :s

Anônimo disse...

Concordo plenamente!
Pais sao pais.. Se nao como era??
NAo entendo muito bem isso! Amo os meus pais, tenho umas grande ligação mas amigos sao amigos! É diferente! Ha que saber distinguir um pouco


Anna

Anônimo disse...

completamente de desacordo... daquilo que leio parece que achas que os amigos (depreendo que estas a falar de verdadeiros amigos) nao nos lançam olhares reprovadores! um verdadeiro amigo deve fazê-lo qdo acha que o amigo está errado, logo o amigo-pai ou a amiga-mãe tmb o deve fazer... e não é por isso que perde mais ou menos autoridade! na base de todas as relações deve estar o diálogo, sem qlq constrangimento...muitos pais afirmam-se naquela imagem autoritária, o que grande parte das vezes os filhos não se abram com os pais. Como tudo na vida é preciso estabelecer limites e demissao do papel de pais, assumam-se como amigos ou não, é imperdoável, e muitos fazem-nos sem terem sequer adoptado o papel de amigos...

Ana disse...

eu falo por mim. a minha relação com a minha D* nunca poderá ser a relação de uma melhor amiga. sou amiga dela, sim mas acima de tudo sou mãe dela. o meu papel não é ser conivente com todas as suas acções mas tentar ser a voz da razão e aconselhamento que ela precisa. e muitas vezes ser também a "má da fita", a que lhe impõe limites e barreiras mas que ajuda a superar outras.
e também não entendo como podem certos pais ou adolescentes dizerem que os filhos/pais são os seus melhores amigos. Esse não é, não pode ser o papel de um pai.

beijinhos.

MissBlueEyes disse...

Discordo! A minha Mãe sempre me deu total liberdade, e por ser liberal com moderação, sempre me disse que tão depressa me dava como me tirava! Então sempre tive essa responsabilidade!

Amo a minha Mãe até à exaustão, e sim a minha MÃE além de ser a MELHOR MÃE DO MUNDO é também a minha MELHOR AMIGA! E sabes porque Kitty, porque sempre fui invejada e sempre fui apunhalada pelas costas, com o tempo aprendemos a perceber que ninguém nos quer melhor do que os nossoa pais!

MissBlueEyes disse...

P.s. E sim dá-me nas orelhas quando tem que dar, mas é a primeira a dizer, filha, vai em frente se te estatelares, estou aqui! O meu dever é ebrir-te os olhos e alertar-te, mas como és teimosa, sei que não me vais ouvir!

Amo-a acima de tudo e todos!

Catarina Almeida disse...

Concordo a 100% com o que escreveste. Na minha opinião e ao contrário do que muitos outros comentaram, uma mãe é, antes de tudo, MÃE!Não deixa de ser amiga ou um ser que nos ama incondicionalmente... mas é mãe!Tem que desempenhar o seu papel social, assim como nós desempenhamos o papel de filhas.

Hanabé disse...

Concordo interiramente com tudo! Há uns tempos vi uma reportagem na tvi, sobre isso mesmo, e fiquei parva quando vi que havia tantos pais a deixarem os filhos com 13 14 anos irem para a discoteca(quando supostamente só a partir dos 16 é que é permitida a entrada) e até mesmo acompanha-los e apanharem tamanhas bebedeiras só porque acham que com eles estão mais seguros! Eu tenho uma grande relação de cumplicidade com a minha mãe, mas em primeiro lugar é minha mãe, e isso não a impede de ser minha amiga! Até porque nem todos os filhos contam tudo, tudo, tudo a esses pais que dizem ser os melhores amigos dos filhos! Todos temos que cometer erros e é com eles que aprendemos! Beijinhos

Cookie disse...

Ser os melhores amigos não implica deixar fazer tudo... É um equilibrio dificil, e a minha filha ainda é muito pequena para que eu saiba se o vou conseguir manter ou não. Não faço questão que a minha filha diga um dia que eu sou a melhor amiga dela (como tu dizes são coisas diferentes), e estarei sempre aqui com o propósito de a educar e estabelecer limites. Mas sim, gostava que ela (também) me visse como uma amiga mais velha e experiente, sempre presente... Se ela me vir assim, mantendo eu o papel que devo ter como mãe, será ouro sobre azul!

River disse...

Concordo em absoluto!
Já mais iria para a Discoteca com as minhas filhas, de 14 e 17 anos, e os seus amigos!
Tal como elas nunca iriam comigo e com os meus amigos :) Não querem, de todo! Obviamente não se sentem bem :)
Vou sim, busca-las e leva-las. Isso sim, faço.
Mais, se apanhasse bebedeiras com as miudas (nem iamgino tal cenário), e tivesse os mesmos comportamentos que elas, como iria ter autoridade para me impor e castigar quando necessário?!