terça-feira, 12 de janeiro de 2010

É assim a escola de hoje

Temos computadores Magalhães e internet em todo o lado, mas não temos aquecimento para suportar o frio.


A escola dos últimos anos faz-me lembrar aquelas barracas onde chove e faz frio como na rua, mas onde se vêem televisores de écran plasma e playstations (último modelo) em cada canto.

18 comentários:

Anônimo disse...

Trabalho num colégio e sei do que fala. Trabalhar com frio é muito desconfortável. Os nossos quadros são dos antigos, as nossas janelas também e aquecimentos, nem "senti-los"

prada disse...

Não acredito!
Estou chocada, então na na capital há escolas sem aquecimento?
Isso merece uma denuncia publica , porque com este frio as criancinhas e os profs ficam com os neurónios congelados.
Que horror!!!

Anônimo disse...

disse exactamente isso hoje! é que é só computadores, quadros interactivos e projectores por todo o lado, mas o que faz realmente falta (aquecedores e ar condicionado) não existe! e depois dizem que isto e que aquilo, mas na verdade as prioridades não são bem estabelecidas quando a maioria das tecnológias de informação são pouco usadas!

Style&Stuff disse...

Tirando a parte que as pessoas que moram em casas com más condições de habitabilidade, regra geral, não escolhem passar frio.. é a necessidade que o dita. E eu sei do que falo, estive hoje numa visita domiciliária... e fui eu que saí doente de lá! Especialmente por não haver nada que eu possa fazer... esta impotência custa!

Elsinha disse...

é mesmo frio :x
falo eu, como aluna, o frio que passo todas as manhãs.

Beijinho *

Alexandre disse...

Daqui a uns tempos há os 'computadores com aquecedores'
xD

Teresa I. disse...

Não percebo... ainda hoje ouvi a sra. ministra a dizer que TODAS as escolas de Portugal estavam preparadas para o frio e para a chuva... e quando ouvi isto, pensei cá para com os meus botões "pois claro. é por isso que há miúdos a levarem cobertores para as aulas. mimados, é o que eles são."
É isto o que temos. Portugal tecnológico e o diabo a sete, mas como até temos um clima temperado, deixa lá isso de apostar num bom isolamento, aquecimento e arrefecimento em condições...

Anônimo disse...

Concordo em absoluto!!!
Se em vez de desperdiçarem tanto dinheiro em futilidades realmente o gastassem no que é necessario... e as escolas portuguesas que bem que precisam de boas melhorias (mobiliario, aquecimento/refrigeração, meios auxiliares educativos de apoio aos professores/alunos (não sei se será assim que se diz)... enfim... como mãe de duas crianças pequenas e detentora de um Magalhães, preferia melhores condições nas respectivas salas de aulas dos meus filhos... mas este é o país que temos que dá mais importância "ás vistas"...
Tudo de bom
H

Janela disse...

Segundo o telejornal de hoje o que não falta também são armas...

Fuschia disse...

No outro dia li numa noticia que quem comprou o Magalhães já tinha pc..

C.Cruz disse...

Isso faz lembrar aquela aldeia no interior onde acaba de ser inaugurada a rede wireless, para que toda a gente possa usufruír da internet, mas depois não existe o saneamento básico. É o país que temos!!!

Anônimo disse...

Há escolas (e até mesmo faculdades!) em que são colocados vasos permanentemente para apanhar a chuva que cai do telhado. O problema não é do frio, em si, mas da segurança que muitos desses edifícios não tem. é vergonhoso! Depois queixam-se dos telhados que caem (aconteceu há bem pouco tempo, aqui perto...)!

Catarina

Madame Frufru disse...

Ainda não tinha terminado de ler e já estava a concluir o mesmo. Sem tirar nem pôr.

Quero dizer... talvez. Dez pares de ténis da Nike e 20 bolsas da Lacoste.

Jade disse...

Sou seguidora assídua, e professora quase nas horas vagas, tanto é o trabalho burocrático que substitui o que deveria ser o nosso objectivo fundamental, no meu caso, ensinar Inglês a adolescentes que agora resolveram que esta língua não é fashion.
Sou de Lisboa e trabalho há quase dez anos no interior do país, onde efectivei. E digo-te: se aí, na minha terra, faz frio, aqui é trinta vezes pior.
Já trabalhei em escolas com aquecimento central. Aquela em que trabalho actualmente tem aquecedores a óleo. Uma coisa te garanto, sem precisar de estudos sociológicos, inquéritos e tratamento estatístico de dados: as aprendizagens dos alunos, entre todos os factores que bem conhecemos e que, queiramos ou não (chamem-me bota-de-elástico, se quiserem) passam também pela disciplina nas nossas salas de aula, dependem em muito do conforto das mesmas.
Desculpa o desabafo, mas fico pôdre com as condições de trabalho que nos dão. Plano tecnológico... quando é que esta gente deixa de teimar em começar a construir uma casa pelo telhado?
Beijinhos.

ASHA disse...

Na minha escola, muito perto da capital, acontece o mesmo. Entramos às 8.15 em salas com soalho de madeira ainda molhado de ter sido lavado e com as janelas abertas. Escusado dizer que não temos aquecedores, já os computadores aparecem por todos os lados.

Já sugeri ligarmos os computadores e aquecermo-nos à volta deles...

pegar fogo às mesas e cadeiras também não era mal pensado, mas se calhar era uma bocadito mal aceite pela direcção...

apenas1escape disse...

O Ministério da Educação, e as nossas escolas são um espelho da nossa sociedade! Exemplo: Basta visitares bairros sociais. Moram em Barracas miseráveis, com o ordenado mínimo. No entanto, o belo do Plasma e da Playstation 3 não faltam! Sem falar daqueles que tem grandes carros! ;)

Ostentação! Em Portugal vive-se para mostrar aos outros!

Frutinha disse...

É realmente ridiculo. Enfim

Hapi disse...

Na minha escola puseram aquecedores mas foi para o jantar de Natal dos professores, e nós que lá estudamos todos os dias?

Enfim, se primeiro tratassem das infraestruturas a vários níveis era de facto mais proveitoso!

Gosto do Blog :)