quinta-feira, 27 de agosto de 2009

É feio acabar assim com os sonhos de uma mulher sozinha e abandonada


Patrick Dempsey e Eric Dane

Ooooh, que desilusão. Acabou de ir pelo ralo, a minha última esperança de arranjar um McDreamy ou um McSteamy. Mas vou continuar a acreditar até ao fim, até porque eles andem aí, ou não me tivesse eu cruzado com um moreno de um metro e noventa, há dias, no corredor de um conhecido hospital.

10 comentários:

Foxy disse...

Eu sei que eles existem. Pelo menos uma clinica cá do Porto encontra-se digamos, bem "equipada". :) Os médicos que me atenderam (três) eram de tal maneira giros, que me senti demasiadamente envergonhada só para puxar a camisola para cima! Por isso sim... acreditem! Eles andam ai. Escondidinhos e raros mas andam.

keep the faith!

beijinhos**

anita disse...

minha gente...nem me digam nada...
eu ficava mais doente...so de pensar** =)

Clau disse...

Como tens tanta a certeza?? Credo. Um dia destes acordo e descubro que TODOS os homens bonitos ou já são comprometidos ou então são gays, só restando os outros que não satisfazem os padrões mentais (e platonicos) de uma mulher. Obviamente que lá no meio haverá um melhor que o anterior e posterior, mas não se pode dar uma certeza assim, tão taxativa. Produz mau estar, OK? =)))

lemon(ite) disse...

Namorar um médico/a significa:

1- namorar alguém cuja profissão vem quase sempre em primeiro

2- não existem horários decentes nem sequer regulares (um diferente todas as semanas).

3- pode não existir natal ou ano novo ou fins de semana especiais.

4- saber lidar bem com a insegurança: um médico/a bonitinho/a é sempre um alvo apetecível

5- quem pensa que a maioria dos médicos são pessoas cultas, com opiniões ponderadas, delicados e coisas que tais, está enganado. Há muitos broncos de bata branca. E nem sequer se pode dizer que sejam inteligentinhos, apenas muito esforçadinhos que rentabilizam bem a sua inteligência ao máximo.

6- o trabalho nunca fica no trabalho e há sempre o desgaste emocional que se escapa em casa

7- conversas envolvem na maioria das vezes doenças

8- tendência para a "snobeira" em algumas especialidades vocacionadas mais para a técnica e menos para a clínica.

Uma médica,

beijinhos e não percas a esperança

ADEK disse...

Ui!!! 1,90m?? Que hospital?:P

nina disse...

aqui no s.marcos não se vê nada de jeito..não vale a pena ficar doente em braga!

Anônimo disse...

Se é o moreno de 1,90 de um conhecido hospital chamado HGO é gay...

Raquel

hierra disse...

Para além dos médicos a que tenho de recorrer que não são nada giros diga-se ou então sou eu que tenho uma azar danado, conheço um amigo do amigo que é médico e é tão pedante, tão pedante que até me esqueço que é bonitinho, sinceramente... o que me vale é que tenho outros mitos que não os médicos

Miss Complicações disse...

Em que hospiais andas Kitty?
Eu só encontro trambolhos no Garcia Horta. Daqueles com as de nurdes...
Será que no Hospital da Luz, teremos direito a umas caras larocas? Com o que se paga os médicos devem ser seleccionados após um um casting.

an.g disse...

Quem não quer um McSteamy ou um McDreamy...Só mesmo quem nunca viu a Grey's Anatomy. Mas deixa lá, que segundo toda a gente diz, existe um Mc para toda a gente aí no mundo. Em 6 mil milhões de habitantes, há de haver um para cada mulher, né?