sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Dos sustos que se apanham no ar

Lara Stone fotografada para a Vogue Paris por Inez & Vinoodh, agosto 2011

Não tenho medo de andar de avião. Pelo contrário, adoro. Sobretudo porque, para mim, viajar de avião é sempre sinónimo de férias. Mas é claro que um monstro daqueles no ar é coisa para impor algum respeito e quando há alguma turbulência fico sempre um bocadinho nervosa. Mas nada de mais. Sobretudo quando é aquela turbulência  ligeira.

De todas as viagens de avião que fiz, apenas uma do Brasil para cá me trazia más recordações pela exagerada turbulência a que o avião foi submetido. Mas agora tenho mais uma. Depois de uns dias maravilhosos longe daqui, tudo corria bem até sobrevoarmos uma zona dos Alpes e tudo ficar escuro como breu. A minha Princesinha dormia  e eu falava com o meu Amor de sustos que já tínhamos apanhado em viagens de avião (como que a pressentirmos o que se ia passar). Nisto o avião começa a balançar cada vez mais, subia e descia como uma montanha russa, caía em poços de ar como se não houvesse amanhã e naqueles minutos só faltou mesmo o avião cair porque tivemos direito a tudo o resto. Já havia pessoas a pedir sacos para vomitarem e eu agarrada ao meu Amor, que ia com a calma que lhe é característica e que eu simplesmente amo, só pedia para que aquilo terminasse e para que a Princesinha não acordasse para não se assustar (felizmente, hoje em dia, ela dorme mesmo como uma pedra e quando está cansada, como era o caso, não acorda nem por nada). Tudo acabou bem, mas não me vou esquecer tão depressa deste episódio.


5 comentários:

Imperatriz Sissi disse...

Tive um desses- com a senhora mãe, que sofre de aerofobia, ao lado. Lindo.

menina disse...

Credo... Só de ler fico nervosa...
Odeio,mas odeio mesmo andar de avião. A ultima vez que andei tive um ataque de pânico maravilhoso! Tão depressa não me apanham lá em cima! :)

Cherry Pie disse...

Eu fico em pânico com a turbulência. O coração dispara, toda eu transpiro. É que por mais seguro que nos convençam que é aquele meio de transporte o certo é que quando a coisa corre mal, corre mesmo muito mal...

Ângela Ferreira de Sousa disse...

Fiquei aterrorizada com a descrição, felizmente que nunca apanhei turbulência! Mas ainda bem que tudo correu pelo melhor!

sógostodeti disse...

Ainda bem que não passou de um (grande!)susto :)