domingo, 11 de agosto de 2013

Do racismo

Diz que a Oprah foi vítima de racismo numa loja na Suíça. Não sei se foi mesmo racismo, se foi falta de educação, se foi um mal entendido, como diz a proprietária da loja, a verdade é que o racismo ainda existe e de que maneira.

Por exemplo, há cerca de um mês, estava eu na caixa da Fnac pronta a pagar as minhas compras, quando houve um problema na caixa registadora e a rapariga que me estava a atender teve de se ausentar, pois ainda estava em formação (conforme dizia o seu crachat) e precisou de pedir ajuda. É certo que a rapariga não primava pela simpatia, com certeza estaria atrapalhada por estar a lidar com coisas novas, mas nada justificava o que ouvi. Um senhor (que de senhor tinha pouco, diga-se) perguntou-me por que razão se tinha a rapariga  ausentado, ao que eu respondi que tinha havido um problema na caixa. Ele não vai de modos e diz com a maior das naturalidades, alto e bom som, para quem quisesse ouvir:

- Claro, é preta!!!

Eu fiquei sem reação, confesso. Se fosse agora ter-lhe-ia respondido, mas no momento fiquei sem palavras. Como é possível nos dias de hoje ainda haver quem julgue assim os outros pela cor da pele?

6 comentários:

Isilda disse...

Sim,Portugal ainda tem muito racismo mas anda disfarçado,o que depois se torna difícil saber.
Motivos?Pobreza de espírito!!!

cabranazi disse...

Pois eu qual Pretty Woman recriava a cena do filme, oh se recriava! Mesmo com a tipa a ganhar forte nas comissões. Havia de baixar em mim alguma coisa que a pusesse a chorar de vergonha.
Eu acho também que isto nem foi pelo racismo, a senhora deve ter achado que a outra, estando vestida se calhar de forma muito simples não teria perfil para a compra... Enganou-se ups!

_+*Ælitis in Angola*+_ disse...

"Have you ever been Black?"

Só quem responde positivamente a esta pergunta sabe o que passa, passou. Não justifica tudo (por vezes, as pessoas, pouco importa a cor são mesmo mal criadas, más trabalhadoras, etc.), mas explica muito. Nós os negros seremos (quase) sempre os primeiros julgados quando algo desaparece, quando algo está mal feito, etc.

Quanto à Oprah, já vinha com esse discurso de lojas de Paris. Não ligo muito. E ela tb diz cada coisa da Africa do Sul que não faz dela santa.

Epa, touchy subject para mim.

Beijinhos.

Sonhadora disse...

Eu, não sendo preta (?) posso me ter considerado vítima de racismo por já me terem respondido algo como responderam à Oprah...Lmebro-me que queria comprar uns sapatinhos de quarto, mais elegantes que os tradicionais e a empregada trazer-me só coisas rascas.( Era para a Lua-de-mel) Eu expliquei que queria algo mais especial e ela respondeu: Ah esses são muito caros!
Eu afirmei, e ela aí corou:
Eu disse que queria comprar, não perguntei o preço...

Ângela Ferreira de Sousa disse...

Tenha sido um mal entendido ou não o que se passou com a Oprah é verdade que o racismo continua a existir em pleno séc. XXI e é totalmente absurdo fecharmos os olhos a essa ou qualquer outra violação dos Direitos Humanos.

Pedro Almeida disse...

Há alguns anos, fui abordado na zona da estação da CP do Cais Sodré por uma jovem (casa dos 20) negra que me solicitou que lhe carregasse o telemóvel no MB que ela pagava-me em cash.
Eu recusei.
Ela disse que eu era racista.




(pronto, era só isto)