sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Conselho de amiga

Candice Swanepoel

Por vezes oiço pessoas, sobretudo mais velhas, dizerem que não conseguem conhecer pessoas novas. Tirando a internet que hoje em dia é o maior meio de fazer amizades (ou se calhar é mais flirts? bom, adiante), quando a pessoa chega a uma certa idade e tem um trabalho onde vê sempre as mesmas pessoas, acaba por não conhecer pessoas novas, até porque as pessoas do grupo de amigos já casaram e assentaram e não há pessoas novas a entrar no círculo de amizades. Eu, neste momento, tenho um conselho para essas pessoas - adoptem um cão.

Desde que temos o nosso cão que eu descobri que se conhece imensa gente enquanto se passeia o animal. Até eu, que me tranformei num orgulhoso ser anti-social com o passar dos anos (infelizmente deixei de ter paciência para a maior parte das pessoas), dou comigo a trocar dois dedos de conversa com pessoas que não conheço e que metem conversa. Condição obrigatória - têm de ter um cão. E as conversas por ali se desenrolam. Idades, raças, hábitos do animal e por aí fora. Claro que como a mim não me interessa travar amizades, já me chegam as que tenho, a conversa acaba por ali. Mas tenho a certeza que para quem procura isso, esta é uma forma rápida e eficaz.

8 comentários:

As Duas na Letra disse...

ahaha gostei da ideia. Felizmente n sinto necessidade de conhecer pessoas novas, mas a minha vida leva me sempre a novas aventuras.

Paulinha

ana disse...

é verdade! sinto exactamente o mesmo quando passeio os meus dois cães.

Alexandra disse...

Verdade. Sou um pouco como tu.

Dez anos depois, Cacau no pedaço e finalmente conheço os meus vizinhos.

Bairro inteiro, para ser mais precisa.

Beijinho

*C*inderela disse...

É verdade, há sempre alguém a meter-se connosco por causa deles.

Simplesmente Ana disse...

Ou isso ou um bebé ;) A minha filha quer brincar com todas as meninas que vê na praia ou no parque, por isso lá tenho eu que ser sociável. Logo eu, que sou um bicho do mato.

S* disse...

Apesar de concordar com o facto do cão ajudar, admito que não entendi qual o problemada Kitty em travar novas amizades. Não paga imposto. :)

O Sexo e a Idade disse...

Verdade! Eu que não sou dada a grandes convivencias com a vizinhança, desde que a Mel entrou na minha vida, passei a conhecer grande parte e ja não consigo andar aqui pelo burgo sem distribuir bons dias e boas tardes a torto e a direito!

Madame Butterfly disse...

Acho que um novo amigo/amiga nuna é demais. Mesmo que até achemos que já temos os suficientes. Acho que esse sim (pensar que já não precisámos de mais amigos), é o mal de muita gente...