domingo, 20 de maio de 2012

Não deve ser fácil ser adolescente hoje em dia

Selena Gomez, Ashley Benson, Rachel Korine eVanessa Hudgens em Spring Breakers fotografadas por Michael Muller para a Interview de junho de 2012

Eu dou graças a Deus por ter vivido a minha adolescência sem telemóveis e sem internet. Ainda sou do tempo em que para falarem comigo, tinham de ligar para a minha casa, a minha mãe ou o meu pai atendiam, e, caso fosse um rapaz, eu teria de ser sujeita a um extenso interrogatório. Para os adolescentes de hoje em dia, isto era uma autêntica seca. Mas era mil vezes melhor, acreditem. Não havia redes sociais. Não tínhamos de mostrar e exibir nada a ninguém. Não tínhamos de andar a arranjar amigos à força para parecermos muito populares na internet. Não tínhamos de fazer poses estúpidas para pôr as fotos no Facebook. Não havia cyberbullying. Não corríamos o risco de ser filmados a levar porrada ou a fazer outras coisas e tudo ir parar ao youtube. Não corríamos o risco de nos apaixonarmos pelo rapaz com quem falamos no messenger e que afinal nem é nada daquilo que descreve, e que até pode ser um pedófilo. E por aí fora. Ser adolescente, hoje em dia, deve ser difícil. Ser pai de um adolescente, hoje em dia, deve ser ainda mais difícil. Por isso, todos os dias agradeço por a Princesinha ser tão ajuizada e ter tanta maturidade para a idade que tem.

18 comentários:

Princesas para Sempre disse...

Também vivi nessa fase e creio que éramos mais felizes.

________________________________

Kitty Fane, se me permites, aproveito para publicitar aqui o meu blog bebé - nasceu ontem - sobre casamentos e afins.

Obrigada

Alexandre disse...

Eu sou adolescente e muita verdade foi escrita aí. Há adolescentes péssimos, sem educação... os pais não os conseguem controlar!

Sabor Adocicado* disse...

Infelizmente tenho de concordar. Cada vez mais se vive de aparências, cada vez mais temos a tentação de querer agradar...
Não acho graça a conhecer gente na net. Mas, como em tudo, tendo os seus senãos tbm tem as suas vantagens.. li algures que ao q parece as pessoas são mais sinceras nas sms.
Ainda assim, n ha nada que chegue aos tempos de antigamente. Mesmo quando já usávamos telemóvel, quem n se lembra de enviar um "toking" (era assim q se chamava)? Pelo menos qdo tinha 13, 14, 15 anos era uma forma dos rapazes de meterem connosco e flertarem ;)

Conto de Fadas disse...

A tua menina já deve ter passado por muito e então é assim... eu sempre me considerei muito madura para a idade e não me revia nos meus colegas na altura. Ainda hoje.

amiga da onça disse...

Crescer doi bastante, se os adolescentes tiverem um bom relacionamento com os pais tudo fica mais fácil.
Eu nem podia falar a um amigo meu, era logo um ganda filme.
As minhas filhas socializam bastante em casa e isso encheme-me de alegria.
Sem inibicoes nem constrangimentos.
Bem mais saudável.

Bookworm disse...

Acho que é difícil ser-se adolescente em qualquer época. Mas quando a minha mãe fala dos seus tempos de adolescente, fala com carinho e um sorriso estampado no rosto. Claro, que teve os seus tempos difíceis… Mas gostava de ser como ela, ela sempre foi feliz com pouco. E todos os extras eram sempre bem-vindos, era uma vida simples e recheada de amor e carinho da família. Adoro ver o álbum dela de solteira, parece-me tão feliz e tão elegante! Hoje não consigo viver com tão pouca coisa como ela viveu. Tenho muito mais do que ela e queixo-me imenso, ou queixava-me! Hoje, aos 17 anos (muito novinha ainda, eu sei…) decidi arranjar um part-time e ganhar alguns trocos para as minhas coisas, comei a valorizar mais o que tinha. Decidi fazer uso dos valores que a minha mãe incutiu-me, andou-me a educar este tempo todo para alguma coisa! Certo? Deixei-me de preocupar com o “ter que seguir a manda” e hoje sou só eu, única e original. Dou graças à minha mãe por ter-me ensinado a valorizar a vida e ter-me transmitido os valores que tenho. É pena alguns adolescentes não terem certos valores… Vou dar como exemplo um simples caso: tenho alguns colegas que preferem andar vestidos de marcas de cabeça aos pés, fumar (tabaco Malboro, que custa pouco…), almoçar todos os dias no café e ter o último telemóvel que saiu, de que terem comida na mesa em casa e um lar com as condições mínimas. Eu prefiro a segunda… Tanto que o meu telemóvel avariou-se e não pedi nada à minha mãe, juntei algum dinheiro do part-time e comprei que nem é assim do outro mundo, mas dá para fazer chamadas e enviar mensagens, não dá? Então serve  É enorme o comentário mas queria mesmo dar o meu testemunho. Beijinhos e felicidades!

cabranazi disse...

De uma forma geral a nossa geração foi seguramente mais feliz, porque também nada nos era facilitado. Eu conquistei a minha liberdade a pulso, nas saídas, nos namoricos etc. Havia regras, os pais não tinham medo de serem pais. Alguns até exageravam mas pronto. Hoje em dia é quase "pecado" dizer não a uma criança, quanto mais dar-lhe uma palmada.
Em relação ao facebook estou um pouco dividida, se por um lado acho muito interessante encontrar e reencontrar velhos amigos ( ok também se reencontram quem não queremos ) por outro acho ridículo a exposição exagerada de coisas banais como beber um café, ou comer uma tosta. É tipo: "Vejam estou a dar uma bufa, é emocionante!" loll e claro que os adolescentes são ainda mais influenciáveis por este tipo de coisas.

cabranazi disse...

De uma forma geral a nossa geração foi seguramente mais feliz, porque também nada nos era facilitado. Eu conquistei a minha liberdade a pulso, nas saídas, nos namoricos etc. Havia regras, os pais não tinham medo de serem pais. Alguns até exageravam mas pronto. Hoje em dia é quase "pecado" dizer não a uma criança, quanto mais dar-lhe uma palmada.
Em relação ao facebook estou um pouco dividida, se por um lado acho muito interessante encontrar e reencontrar velhos amigos ( ok também se reencontram quem não queremos ) por outro acho ridículo a exposição exagerada de coisas banais como beber um café, ou comer uma tosta. É tipo: "Vejam estou a dar uma bufa, é emocionante!" loll e claro que os adolescentes são ainda mais influenciáveis por este tipo de coisas.

Paty Michele disse...

Concordo muito. Aqui no Brasil o grande perigo que atormenta os pais de adolescentes são o álcool e as drogas, cada vez mais fáceis de se encontrar.

Ana disse...

CONCOrdo.mas mais do que a internet e os telemoveis, acho que o maior risco sao o alcool,as drogas,e a sociedade em si. DAntes eramos mais saudaveis nao so na forma como viviamos a adolescencia,como tambem na nossa propria mentalidade. D uma forma,eramos mais seguros,com mais auto estima, nao precisavamos fazer o que se faz hoje para nos sentirmos "integrados" numa sociedade cada vez mais capitalista,consumista.Quando tiver o meu baby,vai ser esse o grande dilema: como criar uma criança sem que ela se torne uma pessoa dependente desta necessidade de "se ter" ao invés so " se Ser" que eramos na altura.

Bj

GIVEAWAY NO MEU BLOG: ASOS CUFF

http://modabelezaconsultoriadeimagem.blogspot.pt/2012/05/asos-ridged-double-cuff-giveaway.html

disse...

A nossa geração tinha tantas coisas boas e algumas passam extactamente por não termos acesso a tudo os que os jovens de hoje têm...

coisas da Nadya disse...

Eu nao sei qual a tua geração , mas eu nasci na ultima em que apareceu a Internet , em que os telemóveis eram tipicos tijolos e com uma antena enorme.Em que ter net era um luxo autêntico , em que para sair com os amigos eram preciso ligar para casa a perguntar se a pessoa estava em casa , e acabávamos por nos dar sempre bem com os pais dos nossos amigos. Geração de 1991. Que saudades

*LaVieEnBleu* disse...

A geração de agora sem dúvida nenhuma que corre mais e diferentes perigos comparando com os "miúdos" da há pelo menos 15 anos, uns caiem outros não... Mas é verdade que me enche de orgulho cruzar-me com jovens que têm as ideias no lugar correcto, que têm objectivos e que utilizam as ferramentas que este mundo virtual lhes dá para mostrarem projectos inovadores e talentosos, portanto nem tudo é mau...

Green disse...

E mais uma vez, eu concordo contigo. Acredito que sejas mais velha que eu, mas eu ainda vivi, felizmente, nessa altura, sem telemóveis e redes sociais. E era mesmo muito bom.

IsaMaria disse...

tens toda a razão neste teu texto e nada mais acrescento.

Madame Telles disse...

Concordo plenamente, no nosso tempo era mais fácil..

J. disse...

Concordo plenamente. Os tempos vão mudando, de geração em geração as diferenças e mudanças são demasiado rápidas e intensas (certas coisas evoluíram outras vão-se repetindo em ciclos históricos). Não é fácil ser criança ou teen hoje em dia, nem mãe e/ou pai. E por vezes até gostaria que o tempo voltasse atrás.

Margarida Rossini disse...

Isso é tudo verdade!! Sou adolescente e, vejo com cada coisa hoje em dia, que só vendo é que acreditamos, eu dava tudo para q a minha adolescência tivesse um pouco da sua ;)
Adorei o seu blog!