domingo, 4 de março de 2012

Divagações de domingo de manhã

Marion Cotillard fotografada por Jean Baptiste-Mondino

Os dias têm amanhecido cinzentos. Como eu. Ainda por cima o meu corpo está tão habituado a saltar da cama de madrugada todos os dias, que hoje, sem que isso fosse necessário, despertou cedo. E agora aqui estou eu, diante de um computador, a postar às sete da manhã de um domingo. Talvez numa de distração. Divagar um pouco sobre assuntos parvos, funciona sempre bem.

Mas adiante, na sexta-feira dei conta da verdadeira importância do futebol para a maior parte das pessoas. Sim, eu lembro-me do Euro 2004 e da loucura que foi, mas, caramba, era Portugal que estava em jogo, era a união de um país, o orgulho nacional. Mas agora, porque raio vivem as pessoas tanto o futebol, ficando de trombas se, por exemplo, o Benfica perde e ficando loucas se este ganha, ao ponto de regerem toda a sua vida em função disso?

Na sexta-feira jantámos fora. Como ninguém se lembrava que havia o raio de um jogo de futebol tão importante (andamos tão submersos na nossa vida e nos nossos problemas que não nos lembramos dessas coisas), escolhemos um restaurante que, por acaso, e surpreendentemente, tinha uma televisão ligada ao dito jogo (e uma televisão num restaurante para mim diz tudo sobre um restaurante, conversa para outro post). E a única coisa que saltava à vista eram os casais e as famílias a jantarem sozinhos, elas a comerem em silêncio, uma ou outra lá olhava também muito entendida para o jogo, e eles vidrados na televisão. Só na televisão. No primeiro golo do Benfica, apanhei um susto de morte, porque se levantaram todos aos gritos. E por aí fora. Ou seja, a liberdade deles estava a interferir com a minha, por causa de... um jogo de futebol.

De seguida, lembrámo-nos que tínhamos de passar pelo shopping para fazer uma compra de última hora. Mais uma vez, via-se a obsessão das pessoas pelo futebol por todo o lado. Todas as televisões das lojas tinham uma legião de homens, estáticos, a olhar para aquilo como se não existisse mais nada no mundo naquele momento. O bom disto, é que as lojas, estavam praticamente vazias.

Quando cheguei a casa, liguei o Facebook e todos, repito, TODOS, os estados das pessoas eram sobre o jogo.

E agora pergunto eu, vocês, os que fazem parte destas pessoas, expliquem-me por que razão mexe isto tanto convosco? Eu compreendo que as pessoas vão ao estádio ver jogos de futebol e aí se empolguem a sério. E compreendo que as pessoas fiquem felizes com  a vitória da sua equipa, atenção, e vejam os jogos na televisão. Agora levar a vida com uma obsessão que roça o doentio por causa da vitória de um clube de futebol, que, afinal de contas, não vai contribuir nada para a vossa vida, ao ponto de ficarem furibundos com a sua derrota, e ao ponto de não terem mais assuntos de conversa nos dias seguintes, que não seja - o árbitro roubou a equipa e aquele fora de jogo não existiu - é um bocadinho surreal, ou não. Não, não estou a condenar, estou apenas a tentar compreender.

30 comentários:

bee disse...

estou contigo... tb não consigo entender a obsessão quando de põe tudo de lado por causa de um jogo, seja ele qual for.
[e também madruguei a um domingo de manhã :-( ]

Phyxsius disse...

Bem, não é propriamente um assunto que tenha uma única explicação. Não é à toa que é, frequentemente, assunto de estudo em Sociologia. Eu, por exemplo, já fui muito mais doente e fanático do que sou hoje, em que já quase me desliguei por completo do fenómeno futebolístico, ligando apenas ao mercado de transferências.

O futebol funciona um pouco para os homens como a TV Guia ou a Casa dos Segredos para as mulheres. Não estou a dizer que é para todos os espécimes de ambos os géneros. Mas é um escape à realidade, aquela em que o telejornal abre com números absurdos de desemprego. Quanto a gerirem as horas/dias seguintes em função do resultado, aí já tem a ver com o grau de inteligência emocional de cada um. E de pragmatismo. Eu, mais uma vez a título de exemplo, recuso-me a falar do Benfica enquanto o Jesus lá andar.

Conto de Fadas disse...

Pois não sei que te diga, a verdade é que quase todos os homens portugueses ligam imenso ao futebol...

Navajovsky disse...

Eu gosto de futebol, e sendo uma coisa a que gosto de assistir, às vezes deixo de fazer outras coisas para ver um jogo, se me interessar. Não vejo nada de estranho nisso. Por outro lado enerva-me até à medula a malta que perde completamente as estribeiras, enervando-se, berrando, insultando, enchendo o facebook de comentários de treinador de bancada que não interessam a ninguém com o choradinho contínuo do ai que é uma vergonha, ai que fomos roubados. E é que depois dos grandes jogos até entendo que se enervem mais, mas há gente que é assim t-o-d-o-s os dias.todos os dias a falar do bola, não há mais nada na vida. que limitação tão triste.

Alexandre disse...

Isso é mesmo de dificil compreensão a obsessão de alguns, mas existe. Neste clássico BenficaxPorto aumentou a euforia porque todos os adeptos de todos os clubes de Portugal tinham um favorito. Por exemplo, o Sporting n jogou mas de certeza que torcia à grande para que o Benfica perdesse, é um exemplo.

Eu tb acordo de madrugada todos os dias mas ao fim-de-semana tudo fica diferente. Acordei há pouco :P

jOana disse...

Eu explico.
É uma paixão como outra qualquer. Há quem ame livros e cinema, há quem ame roupa e sapatos, viagens, política e afins. E há quem goste de futebol, quem vibre com aquilo. Como eu. Às vezes parece loucura...mas sou apaixonada pelo futebol (assistir, não jogar) e por um clube que me deixa os nervos em franja. Gosto e ponto. Sim, são eles que ganham o dinheiro deles e blábláblá. MAS GOSTO, PONTO.
(E sim, também gosto de cinema, livros, viagens, roupa e sapatos!)

Pedro Almeida disse...

O futebol, ou melhor, a nossa equipa, não se explica, sente-se.
É como a religião, não tem nada de racional e tem tudo de emoção e fé.

Compreendeu agora? :-)

Dreamer disse...

Então já somos duas! Cá em casa também é sempre a mesma história, e se o club preferido do meu avô perde, ele fica sempre com uma grande azia!Não sei como é que as pessoas conseguem dedicar tanto tempo ao futebol, eu morria de tédio! :s

Cláudia Pina disse...

Eu por exemplo, gosto muito de ver futebol. E vibro, revolto-me e sou até capaz de dizer algumas palavras feias. No entanto, o jogo termina e o que aconteceu no jogo ficou nos 90 minutos empolgantes, tristes ou até revoltados que passaram.

Concordo quando dizes que as pessoas dão demasiada importância, depois de um jogo terminar, mas também tenho noção que a maioria (que conheço) na hora a seguir já está a pensar no dia seguinte estafante de trabalho que o espera.
Poderemos recriminar alguém quando, são os 90 minutos mais descontraídos que poderão ter no fim de semana, sem ter de pensar que no dia seguinte tem de ter dinheiro para comprar o essencial para casa? (falo por conhecimento próprio...mas achei muito interessante este post.)

beijo de mulata disse...

Eu dou conta que joga o Benfica (não o Sporting ou o Porto, só o Benfica) quando a urgência pediátrica começa a ficar vazia inexplicavelmente...

"Não temos tempo de espera.", "Só há dois meninos para ver.", o que é que se passa, há jogo hoje?

O clube da minha simpatia não é o Benfica, mas prefiro sempre que ganhe "o Glorioso" porque se não, dali a umas horas, tenho metade do país de trombas, a entrar-me pela urgência adentro...

E assim se toma o pulso a um país... Felizmente nos outros dias tudo funciona com normalidade.

(um) beijo de mulata

Y2000k disse...

Eu não ligo praticamente nada a futebol mas de vez em quando também sofro. Hehe Aqui fica algo que te poderá ajudar a compreender. =:-)

"Ser Benfiquista" Documentário ESPN Classic - Parte 1"

Shiine * disse...

Eu também não consigo compreender. Por isso olha, ignoro.

Margarida disse...

futebol são só manobras de diversões, para manter o povo entretido.

Iza disse...

Sou como tu, não percebo a obsessão. Eu só consigo ver jogos entusiasmada se for Portugal a jogar!

Miss Pipeta disse...

Adoro futebol, e uma das coisas que me fascina é este fenómeno de massas de ódio/paixão que o envolve. A adrenalina que envolve um jogo importante é inexplicável. Moldo o minha vida para poder parar a ver os jogos que me interessam, porque isso me dá prazer. Recuso-me a mudar o que quer que seja no meu estado de espírito ou a forma como lido com as coisas para lá do jogo, independentemente do resultado.

Heriwen disse...

É uma maneira fácil de as pessoas encontrarem alguma emoção. Para outras é uma fonte de receitas.

Quanto mais loucura há, menos eu gosto. Dispenso bem!*

Moleskine disse...

admito que é bonito de se ver, sobretudo nos jogos da selecção a alegria e euforia de um povo. É vibrante. Mas... fora os jogos da seleção... não ligo nenhuma, e causa-me uma certa impressão, a obsessão!

MissBlueEyes disse...

A mim ninguém me paga para ficar chateada. Por isso se o Benfica ganhar, óptimo e fico contente. Se perder, fico por vezes triste, como aconteceu este fds, triste por 1 minuto, e depois já passou, quem é que jogou? Já nem me lembro nem quero saber.

stantans disse...

eu sou mulher, adoro futebol e vibro e sofro com o meu Porto. como já foi dito, é um gosto ou uma paixão como outra qualquer. não percebo a estranheza.

Beatriz disse...

Estou totalmente contigo neste (e em muitos outros, mas pronto) texto. Eu não ligo nada a futebol, nadinha de nada, nem clube tenho. Como tu, compreendo que as pessoas gostem e que se empolguem. Agora perco totalmente a paciência quando se vidram naquilo de uma forma que se esquecem do que os rodeia, quando ficam de mau humor e descarregam para cima de outros que, coitados, têm lá a culpa... Eu tenho um colega adicionado no facebook que me mete raiva quando são jogos assim, juro que mete. O benfica-porto foi na sexta, não foi? Ainda há dez minutos ele escreveu um estado qualquer sobre isso... Por isso imagina. Enfim.

Sayuri disse...

SLB, SLB, SLB, SLB!!!

(desculpa, não resisti :))

ponto e virgula disse...

adoro ver futebol mas... os escalões de formação (infantis, iniciados, juvenis). perco-me a ver os primores que já vão naqueles pézinhos (umas vezes já com uma pontinha de malícia).
quanto ao escalão senior e profissional, tenho a vantagem de o meu clube de preferência estar a meio da tabela e... estar habituado a que uma semana perde e na outra ganha. assim como, é raro eu ir assistir a um jogo de futebol (outros prazeres valorizo mais).

detesto ter a televisão ligada à hora das refeições.

deste modo, peço desculpa não te poder responder à pergunta. não sou desse grupo de pessoas, embora te deixe uma palavra... vícios.




a...té

Ruyva disse...

O futebol sente-se, por isso mexe com as pessoas. Eu tb não fico com o humor afectado, mas gosto que o meu clube ganhe e sofro durante o jogo.
E em como tudo o que sentimos (futebol, religião, politica...) há sempre exageros e extremismos.

Bo disse...

Apesar de não me transformar no Hulk como algumas pessoas, gosto muito do jogo em si, da Super Bock antes, durante e depois, de falar, de discutir casos, tácticas, do frenesim dos grandes jogos e da competição entre os clubes. Ultimamente então, neste país animado em que só oiço "cortes, impostos, pobreza, seca, mortes", bem, dêem-me o Porto-Benfica todos os dias por favor. *

carla disse...

Para mim é a mesma coisa que a paixão que algumas mulheres sentem em relação aos sapatos. Eu também não consigo perceber essa paixão. Sapatos para mim são apenas peças acessórias que me protegem os pés do frio ou do calor. Nada mais.

É uma paixão. Não se explica. Sente-se.

Juanna disse...

O meu estado FB era a mandar vir com o Benfica, era pois. Não vi o jogo, fui vendo os resultados via actualização da TSF e postei o resultado. Três segundos depois, tinha esquecido. E como eu há muitos, fala-se naquele momento e pouco depois esqueceu-se. Falas dos obcecados? Ui, conheço uns quantos e TAMBÉM não entendo. Ele é "morte aos benfiquistas", ele é "vai levar no c* seu portista", coisas assim. É uma bola. Ponto.

nana disse...

Antes as pessoas iam à igreja.
Hoje vão ao estádio.

Antes rezavam e liam a bíblia.
Hoje assistem aos jogos, lêem a Bola e ouvem no telejornal as notícias sobre o futebol.

Antes as pessoas distinguiam-se entre praticantes e não praticantes.
Hoje distinguem-se entre benfiquistas e sportinguistas.

Entendes? É por isso que as pessoas dedicam tanta energia ao seu clube. Porque isso lhes preenche a vida de significado.

O futebol é a nova religião e o Benfica (ou outro clube qualquer) é a instituição onde ela se pratica.
E quem já entendeu isso, aproveita para ganhar muito dinheiro à conta disso, como antes o fez a Igreja.

Desde que entendi isso, que já nem à selecção nacional acho graça.
É demasiado visível para mim, que há uns poucos a aproveitar-se da cegueira de muitos.
E isso entristece-me.

Jo disse...

É uma questão de emoção, de paixão, nunca te conseguiria explicar (nem a ti nem a ninguém).

Susana Canhola disse...

Se calhar sou suspeita porque não ligo ao futebol e se calhar é por isso que fico tão irritada com certas atitudes. Fala-se dos jogos e dos jogadores como se aqueles pessoas fizessem mesmo parte da das suas vidas.

Teresa Poças disse...

Concordo plenamente contigo, aliás tenho andado a falar com imensas pessoas acerca disso para tentar compreender melhor a paixão que o futebol provoca nas pessoas e principalmente nos homens.
Todos nós somos seres competitivos e por isso quando já não temos forças para lutar com as nossas próprias armas gostamos de apoiar alguma coisa para depois confrontar aquelas pessoas que apoiam outra coisa qualquer. Além do mais, temos a necessidade de fazer parte de algo superior a nós, que funcione quase como uma tradição, para conseguirmos socializar.
Por fim, acredito que seja a simplicidade e falta de mensagem do futebol que cativa tanto as pessoas. É algo que toda a gente pode assistir, compreender e comentar e sinceramente, acho que é pior comentar a vida do Castelo-Branco e da Lili Caneças!

Já agora tenho a dizer que adorei o seu blog e vou começar a lê-lo todos os dias (espero eu)!