sábado, 17 de dezembro de 2011

De onde sai aquela gente?

Jessie-Ann Gravel fotografada por Satoshia Saikusa para a Vogue Itália, dezembro 2005

Eu juro que  não percebo porque é que as edições online dos jornais têm caixas de comentários abertas. Aquele tipo de comentários (que raramente passa do insulto) não enriquece qualquer notícia, nem tampouco é bom para a credibilidade de um jornal, muito pelo contrário.

10 comentários:

Ana C. disse...

São tão profundamente idiotas que não podem ser a sério.
São humor.

Marta FG disse...

Concordo inteiramente ctg.

Panda disse...

A quantidade de vezes que isso já me passou pela cabeça. Aliás agora recuso-me a ler comentários e ponto final.

Giuseppe Pietrini disse...

Curioso que já pensei o mesmo... regra geral, na esmagadora maioria são egos exacerbados e inchados de sapiência bacoca que pululam pelas notícias do semanário "Expresso", por exemplo... Deixei de perder o meu tempo a ler esses chorrilhos de insultos gratuitos. Refugio-me antes na leitura de blogs de qualidade.

Filipa Arez disse...

looool concordo totalmente, também já pensei sobre isso muitas vezes lol é terrível de facto

Mia disse...

Por acaso tb já me perguntei em relação a isso! ;) Deve ser por causa da liberdade de expressão.

http://pegadafeminina.blogspot.com/

Menino De Sua Mãe disse...

A razão porque as caixas de comentários existem:

Porque quem manda nos jornais quer criar uma "comunidade" em torno da notícia, e acha que é dando esse espaço de comentário que essa comunidade nasce. E nasce. Não é é a comunidade que eles imaginaram.

Porque quem manda nos jornais não percebe ou não aceita que o verdadeiro debate das notícias e das ideias não se faz ali, mas sim em tertúlias, que hoje são nos blogs e nas redes sociais.

E porque os comentários dos jornais online, por estarem ali à mão, por não serem moderados por ninguém, por terem geralmente ZERO intervenção dos jornalistas que escrevem as peças, são mais depressa candidatos a parede onde se escrevem insultos (tantas vezes entre os comentadores e sem nada a ver com a notícia) do que a espaço legítimo e ponderado de comentário e de construção intelectual.

Como se muda isto? Há quem saiba. Não há é quem ouça.

Suspiro do Norte disse...

Completamente de acordo.

Silvina disse...

Ao inicio ainda os lia, porque acho interessante o feedback dos leitores. Noutros jornais internacionais os comentários são parte integrante do artigo, por exemplo no The Guardian, ou na Rue89. é pena que em Portugal (ainda?) não seja assim...

Pinky disse...

Eu acho que essas pessoas alegram o dia delas quando enxovalham anonimamente. Quanto veneno...