quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Quem seria a Patrícia?

Catherine Deneuve

Tinha acabado de me sentar num sofá de um centro comercial à espera da Princesinha quando dou conta de um homem que olhava sem parar para mim e sorria, sorria, sorria na minha direção. Eu ainda pensei que estivesse a sorrir para outra pessoa, mas a verdade é que não havia pessoas à minha volta. É que já vi muita tentativa de engate, mas esta parecia-me demasiado descarada para estar mesmo a acontecer num centro comercial, ainda se fosse, por exemplo, numa discoteca em que vale tudo menos tirar olhos... 

Como não podia sair dali, uma vez que tinha combinado ali com a Princesinha, não tive outro remédio senão concentrar-me no telemóvel e não olhar para lado nenhum. Qual não é o meu espanto quando, passados alguns minutos, reparo que o dito senhor se levanta, vem na minha direção, põe-se de pé à minha frente todo sorridente e pergunta - É a Patrícia? Eu juro que pensava que com a facilidade com que se troca uma foto pela net ou pelo telemóvel hoje em dia já não se faziam blind dates, mas pelos vistos enganei-me. Quando eu disse com uma cara antipática que não era a Patrícia, o pobre ficou tão envergonhado que deve ter gritado para os seus botões - pernas para que te quero - e desapareceu sem deixar rasto.

18 comentários:

Green disse...

Bem... Que situação. Coitado do homem.

Caixa disse...

Ou então achou que não tinhas gostado dele e fingiste que não era! lol

Krystel disse...

A pergunta seria mais: onde estaria então a Patrícia?

mãe pimpolha disse...

É uma coisa que não entendo, o mau humor das pessoas. Se o senhor se aproximou com um sorriso na cara a fazer uma simples pergunta, qual a razão para responder de forma tão antipática? É que se eu respondesse mal a toda a gente que me aborda (até por telefone) e se engana devia ser a pessoa mais parvalhona ao cimo da terra.
Espero que nunca se engane e nunca lhe aconteça o mesmo.
A vida é muito mais bonita com um sorriso nos lábios. Sorria mais.
Um beijo

Kitty Fane disse...

A mão pimpolha não entende o mau humor das pessoas, mas é a primeira a vir para aqui comentar com mau humor. Já reparou? :-)

Johnny disse...

Mas adoro que um blind date seja combinado num centro comercial. Não podia ser num café, um sítio mais recondito. Não. Tinha de ser num centro comercial onde há 500 Patrícias a desfilarem por hora. Me-do.

anamanuel disse...

qualquer uma de nós pode ser uma patrícia ... há sempre uma patrícia dentro de nós, um admirador mais escondido, um refúgio que ainda não foi descoberto... e talvez, um simples sorriso e um , não desculpe, teria sido suficiente :)

mãe pimpolha disse...

Eu não vim com mau humor nenhum, só fiquei com pena do homem que se calhar até pensava que tinha encontrado essa Patricia e de sorriso na cara aproximou-se e depois saiu com sentimento de vergonha.
Acho que há outras formas de responder às pessoas e que eu saiba não fui nem mal educada, nem mal humorada, perguntei só porque respondeu daquela forma. Achei que foi fria, nada mais.

Mia disse...

Kitty, com tanta gente esquisita e com más intenções neste mundo, mais vale prevenir.
Entendo a tua antipatia perante o homem, não foi por mal, mas nos devemos proteger.
Até porque ele veio com cara de muitos amigos, e tu não o conheces de parte nenhuma. E há com cada maluco hoje em dia.
Mas pronto, até o homem pode ser dos bons.
Bjs, bom resto de semana!

Aquele cantinho só meu... disse...

Bem este post fez-me lembrar uma situação semelhante que se passou comigo. Estava eu no café/restaurante ao pé do trabalho, a comer algo ao balcão quando ouço alguém do meu lado a chamar "Sara" (obviamente não liguei porque não me chamo Sara mas sim Isabel). De repente, a empregado faz-me uma chamada de atenção para o dito moço. Quando olho para o lado e o rapaz volta a chamar "Sara" o meu instinto foi logo negar. Depois, no final acabei por me rir para minimizar o constrangimento do rapaz... lol enfim...

bjnhs
gosto de te ler

coisas da Nádia disse...

ahahah eu sinceramnte achei imensa piada , foi uma situaçao comica dakelas que o homem vai falr com um amigo e diz "epah nem sabes oq ue me aconteceu :D vi uma miuda linda e nao era ela eiii que mal "

ou algo assim
kiss

Raquel disse...

A simpatia, além de bom sinal de civilidade, não nos belisca a pose nem nos lança os parentes para a lama. Quando, por algum motivo tenho de dirigir-me a alguém que não conheço (ou mesmo que conheça), procuro fazê-lo com simpatia, porque espero da parte dessa pessoa um tratamento igualmente cordial e civilizado. Nada há de mais triste do que tentar estabelecer comunicação com alguém que nos responde como se lhe devêssemos alguma coisa. Parece-me ser uma característica muito comum entre portugueses e espanhóis, a agressividade no tratamento com as outras pessoas, como se de cada um viesse a maior ameaça. Constrange-me particularmente quando tal sucede em serviços públicos, quando para nos prestarem o serviço pelo qual vamos pagar parece que estão a fazer o maior favor do mundo. Provavelmente, será uma questão cultural, mas principalmente de educação. Ou falta dela.

Kitty Fane disse...

Bom, alguém que me explique porque é que eu tinha de ser simpática com um homem que estava ali basicamente a atirar-se a mim sem eu lhe ter dado a mínima confiança e que possivelmente com a minha simpatia iria ficar ali a chatear-me o juízo? Oh meninas, se vocês não têm já a vossa quota parte de malucos, eu tenho. Por isso, sempre que puder evitar mais algum, faço-o.


Eu fui antipática com ele porque achei que devia ser, agora isso não quer dizer que seja simpática com toda a gente que me aborda. Depende sempre de quem me aborda.

Rita disse...

Eu não partiria do princípio de que se tratava de um blind date, simplesmente poderia achar-te parecida com alguém que não via há algum tempo e ter ficado com dúvidas se serias essa pessoa ou não. A mim acontece-me com alguma frequência, mas opto por me manter na dúvida e não abordar a pessoa em questão.

ana disse...

eu teria reagido da mesma forma. sabia lá o que ele poderia querer...

Violeta Extravagante disse...

Mas pelos vistos não foi um blind date...O senhor enganou-se.
E a Kitty também se enganou :)

Paulo Nunes disse...

Olha....a kitty com mau feitio :)
Obviamente, no meu entender, respondeste mal ao homem. Só poderias responder mal se depois de teres dito que não eras a patrícia ele continuasse a insistir. Aí podias lançar o teu mau feitio. Eu tambem sou muito bruto nas respostas, mas só quando vejo que existe razão para tal. Se um rapaz ou rapariga viesse ter comigo e perguntado se eu era o Joaquim, eu apenas iria dizer "não fui baptizado com esse nome" e com um sorriso na cara.

Mami disse...

Ou se tratou de uma tentativa de aproximação muito fora de gosto ou então a Patrícia é alguém que ele conhece muito mal...