terça-feira, 6 de setembro de 2011

Do facebook

Audrey Hepburn no filme  Breakfast at Tiffany's, 1961

Eu confesso que ligo tanto ao facebook como ligo a futebol e a touradas, no entanto consulto-o quase diariamente para ver as atualizações das pessoas que tenho lá como amigas. E aqui agradeço-lhes (e são pouquíssimos, a lista tem vindo a diminuir drasticamente) que fazem daquilo o seu dia-a-dia e estão sempre a postar estados novos à velocidade da luz (coisas tão válidas como: estou no banho, estou a comer grão com bacalhau, bom dia, boa noite, bom feriado, tenho sono), fotos novas (olha eu a comer, olha eu a fazer xixi, olha eu a fazer o pino, olha o meu filho a fazer birra, olha o meu filho a comer), músicas, comentários, coisa que me ajuda imenso a ocupar os meus tempos mortos. E indo lá com alguma regularidade tenho notado comportamentos para lá de estranhos e que explicam facilmente o facto de eu me estar a tornar cada vez mais num ser anti-social.

1 -  Percebi que ter carradas de amigos é o máximo, mesmo que nunca se tenha ouvido falar das pessoas. É uma espécie de troféu. Eu tenho quinhentos amigos e tu só tens cem, toma, toma. Já eu cada vez tenho menos. E a tendência será sempre para diminuir. Aliás desconfio de todas as pesoas que, não sendo figuras públicas ou não usando aquela treta para negócio, têm no facebook mais de quinhentos amigos.

2 - É gritante a necessidade de exposição e de atenção de certas pessoas. Contam tudo. Põem fotos de tudooooo. Enfim.

3 - Há alguém que diz: bora lá pôr "gosto" nesta página. E, tal qual um rebanhinho que segue o seu dono, lá vai tudo pôr o tal "gosto" na dita página. Porque é do amigo do amigo da prima e isso é giro, mesmo que seja uma coisa da qual nós nem gostamos. Comigo isso nunca funciona porque por enquanto ainda tenho uma coisa chamada cérebro que me serve para pensar e só ponho "gosto", quando gosto de facto de alguma coisa. Não ponho gosto só porque me pediram para pôr.
Ou então há alguém que inventa uma frase manhosa qualquer e começa a fazer correntes para que todos coloquem aquele rasgo de inteligência (Not) no seu mural e lá vai  toda a boa gente  fazê-lo. Mesmo que seja uma frase parva parva do mais parvo que pode haver.

4 - O mais ridículo - há pessoas que põem um "gosto" nas músicas que as próprias publicam, nas imagens que as próprias publicam e nos estados que os próprios publicam. Desculpem? Podem explicar-me porque fazem isto?

39 comentários:

-mari disse...

so true.

aryabodhisattva disse...

Engraçado como isso tudo se aplica aos blogs também (nº seguidores, exposição de pormenores da vida pessoal, comentários em massa com o obrigatório "eu também, eu também!", e comentários e adendas ao próprio post.

Paulo Nunes disse...

Tens razão no que dizes. (eu a concordar contigo??!?!?!) haha :)
A minha lista tambem é pequena, e de vez em quando vou tirando as pessoas que não dizem nada. Detesto ser mais um na lista de 500 e tal amigos de outra pessoa. Sou pela qualidade e não quantidade.
Em relação ao colocar GOSTO nas nossas próprias fotos, de facto eu também faço isso, porque realmente gosto da foto. Agora podes dizer, "Se colocas umas foto etc etc é porque já gostas dela" Sim, tens razão, mas existem umas que eu gosto mais do que as outras... daí eu clikar no gosto. :)

Maria Santos disse...

Ora nem a minha mãe teria feito um post melhor. Mas ela tem 79 anos!

Maria

hierra disse...

quanto à 4ª é uma forma de afagar o próprio umbigo!

Green disse...

Tens tanta razão, tenho tantos amigos pelo facebook que fazem essas coisas. Ontem recebi uma mensagem no facebook que dizia algo tão espectacular como: "o x está a participar num concurso e precisa que coloquem um 'gosto' nesta foto dele: [link] ele agradece com umas lambidelas".
Apaguei a mensagem e fiquei a pensar se aquilo é sequer mensagem que além no seu pleno juízo e já com os seus mais de 25 anos escreva, mas pronto.

Barbara Moreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Torrado disse...

Vá... as pessoas têm que ocupar o tempo a fazer alguma coisa. E o facebook para muita gente é alguma coisa. Mesmo que seja para dizer a coisa mais ridícula de todo o sempre.

Eu vou lá muito raramente.

Ana disse...

É por essas e por outras que nem sequer me dou ao trabalho de ter uma página...

Moleskine disse...

uiii, forte. mas é isso mesmo.
concordo contigo, no geral. mas a verdade é que a mim o facebook tem-me dado um jeito para saber de exposições, caminhadas, etc.etc...
bj

eu disse...

Peço desculpa, as pessoas escrevem demais às vezes, mas tu tb não deixas de lá ir todos os dias para ver. Pior és tu que só usas aquilo para as cusquice, já pensaste nisso?

Ana Patrícia M. disse...

Ponto 4. Porque gosto MESMO! :)

Maria. disse...

Quero pôr um gosto nisto. :)

Lótus disse...

Pois, mas então porque é que lá vais. Eu acho maravilhoso criticarem e depois dizerem que só lá andam para "cuscar" a vida das "amigas" e amigas. Sorry, também é só a minha opinião. Da mesma forma que quando não gostamos não comemos, também não entendo esta onda de critica às pessoas menos felizes ou com menos atenção que encontraram finalmente uma maneira de se comunicarem com o mundo. É triste, mas é a realidade e tenho para mim que poderia dizer o mesmo dos blogues e no entanto cá estamos.É feio fazer critica da infelicidade alheia.

aespumadosdias disse...

Eu continuo sem facebook. Os blogs chegam-me para ocupar o tempo quando ando pela net.

.:: Lee ::. disse...

Eu acho que o facebook pode dar muito jeito, dependendo da utilização que lhe dão. Por exemplo, eu utilizo-o para saber de cursos para tirar, dentro da minha área, ou muitas vezes para me comunicar com aquelas pessoas que já não vejo há séculos porque estão longe ou por outra razão qualquer... Em relação aos amigos, efectivamente só adiciono quem conheço. Isso de por toda a gente e mais alguma já lá o tempo quando tinha 14 ou 15 anos e achava piada ao hi5. Hoje já não não dou importância nenhuma a isso.
Beijinhos**

a. disse...

o ponto 4 também é algo que me fascina...

Nas ondas da escrita... disse...

É engraçada a forma como abordam esta questão. De facto,o facebook tem as suas vantagens e desvantagens, e uma política de privacidade que impede "terceiros" de aceder às nossas fotos, ou até mesmo perfil, sendo nosso "amigo", ou não. Eu sou das que volta e meia abre a página e dá uma vistinha de olhos.
Levante o dedo aquele que não é curioso!!! Eu sou...
Coisas há que observo e penso: «eu não seria capaz de publicar isto», mas...todos temos necessidade de nos "mostrar". Há os que o fazem com discrição, outros com moderação e outros com ostentação...não é uma questão de gostar ou não gostar, mas sim uma questão de atitude:)
Mas não deixo de concordar contigo!:)

Tweed disse...

explico a parte do gosto das próprias coisas:
só o autor do post dizer que gosta é mau, mt mau
qdo algum amigo gosta e o autor vai la e faz gosto, eu interpreto como se gostasse que o amigo goste!...
mais uma falha do FB, devia ter a ordem dos gostos indicada =)

Mia disse...

Concordo com algumas coisas que escreveste, se bem que eles lá fazem o que quiserem. Eu também sempre fiz o que quis e sou feliz porque não liguei a nada do que me disseram.

E mesmo não gostando do que se vê, nós vemos. Por curiosidade e por cusquice. É normal, é humano, não há que ter vergonha disso.

TC disse...

Eu gosto muito do "espirito" do FB, gosto de ver o que os outros dizem, de comentar e de vez em quando eu propria escrever alguma coisa. Não escrevo nada de pessoal e intimo, muitas vezes são banalidades, mas gosto da interacçao que o FB gera, dos comentários que os amigos fazem, e que nos fazem rir um pouco. Já me aconteceu no entanto, ter comentários de pessoas, que tenho na lista de amigos, mas que nunca em tempo algum dás por elas...e de repente andam por lá. Sinceramente acho isso fora do espirito da coisa. FB é para comentar e partilhar, não gosto muito de quem é só voyeur.

Dulce disse...

Subscrevo qualquer um dos teus pontos..! D

á-me ideia que o FB é usado por muita gente como um ranking de popularidade, quer na quantidade de amigos, quer no 'concurso de gostos' (daí que algumas pessoas coloquem um gosto na própria pulicação, é mais um 'voto'...), etc.

Ainda assim, e como sou moderada (e previdente) a usá-lo, gosto do FB. Aliás, ainda hoje escrevi que me tem sido muito útil a lembrar aniversários de amigos!! :)

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

ui! ainda bem que me lembraste do face, tenho de ir lá pôr uma coisa... um "estado"

obrigada

Lena disse...

Oh Kitty... vamos lá a ver... o facto de tu não achares piada a uma coisa ou de não achares necessário ou válido ou... o que lhe quiseres chamar, não quer dizer que outros tenham de pensar como tu. Live and let die! Bjs

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

este post fez-me bem ao ego. Começava a sentir-me anormal, por sentir que o FB me irrita e estar sempre a ser criticado por só ter lá escrito duas frases.
Uf, que alívio! Já ganhei o dia...

Imbecil-mor disse...

Kitty, não achas que isso também acontece na blogosfera??? Quanto ao ponto 4, não se publica apenas o que se gosta, também se publicam algumas coisas que não se gostam...Daí não perceber a embirração com o colocar "Gosto" nos próprios posts. Afinal, nas suas páginas pessoais, cada um coloca o que bem entende, ou estarei errada? Quem não gosta tem sempre solução: retirar como amigo e "amigos como dantes".

ADEK disse...

Acho que este post se pode apelidar de "cliché Facebookiano". Todos sabemos que grande parte do que lá é dito é irrelevante para a maioria de quem lê, mas esse é o meu principal objectivo quando vou lá: ler qualquer coisa superficial, em contraste com o que leio o resto do dia. É como quando vou ver um filme muito light (às vezes mau) ou como quando me ponho a ler romances do Nicholas Sparks, porque o meu cérebro não aguenta nada mais "pesado". O Facebook tem para mim o mesmo intuito destas actividades, mas de uma forma mais pessoal, porque estão envolvidos os meus amigos ou conhecidos. Mas é certo que, mesmo não passando lá todos os dias (bem longe disso!) acabo por lhe ligar mais do que a futebol e touradas, porque a esses dedico uma atenção absolutamente nula.

Admito que tenho na minha lista não só amigos, como pessoas com quem apenas contactei 5 minutos da minha vida e com quem posso nunca mais vir a estar. Mas não tenho problemas com isso. Sei perfeitamente diferenciar o Facebook dos que realmente fazem parte da minha "rede social" fora do pc e essa, sim, valorizo bastante.

E de momento, a única coisa que me faz confusão, é alguns amigos programarem jantares exclusivamente por lá. É que não dou mesmo a devida atenção para estar a par dessas coisas... Já me irritaram os mil mails por dia com notificações, mas cortando isso é uma paz.

E assim lá está o meu perfil, com coisas como "X convidou-o para jogar às quintas", "Y quer brincar às máfias consigo" "Z respondeu a uma pergunta sobre si, veja já!" a crescerem como cogumelos, mas já não me ralo.

AF disse...

Adoro a forma como és frontal e como exprimiste tão bem aquilo que penso em relação ao facebook. Tenho um facebook, tenho sim senhor, vou lá de vez em quando para a cusquice confesso... mas não raras vezes acontece que acho aquilo ridículo. Há pessoas que estão constantemente a dizer o que vão comer ao almoço, ao jantar, onde foram lanchar, onde estão a tomar café, com quem estão naquele momento... só me apetece responder "E agora, que é que queres que te faça??". Chegam até ao ridículo de colocar fotos dos pratos! Ás vezes entristece-me esta forma que as pessoas têm de se relacionar hoje em dia.

Moura Aveirense disse...

Cada vez tenho menos paciência para o facebook. Para além das novidades das empresas de que gosto e de me lembrar dos aniversários dos meus "amigos", mostra de facto o pior da sociedade: viver para mostrar o que se tem, não o que se realmente é.

Mia disse...

Junta-te ao clube :) A minha lista também é pequena, mas razoável. E eu estou seriamente a ponderar eliminar a minha conta do Facebook, estou mesmo.

Isabel disse...

Não, eu não posso explicar. Porque sou um ser raro que não liga peva àquilo, logo não percebo do assunto. Bem pelo contrário: aquilo confunde-me.

Paty Michele disse...

Por aqui já existem pesquisas científicas que explicam tais comportamentos. Comparam essas pessoas a crianças, sempre a pedir atenção e validação de suas atitudes.

A propósito, o "gosto" aqui no Brasil chama-se "Curtir". E eu vivo procurando a opção "não curti".

Sónia disse...

Tenho 28 anos. Boa idade para ter e fazer amigos. Boa idade para ser "social". Mas, guess what, não tenho facebook. Não me faz falta, nunca fez. Os poucos amigos que tenho (e não preciso de mais)preenchem-me. Não me faz falta o colega da escola primária que não vejo há 20 anos, não me faz falta "cuscar" a vida dos outros. Partilho a minha vida em conversas de esplanada, durante as compras no shopping, na praia, em todas as vivências que tenho com as minhas pessoas. E sou tão feliz assim.

prada disse...

Não posso estar mais de acordo!
Tb vou lá cuscar, mas nem sei porquê.De repente estou lá:-)

rita disse...

AHAHAHAHH. Adorei!
Há muito que estava para escrever a mesma coisa, mas nunca arranjei palavras tão boas!

Miss B-Beautiful disse...

Mau mau, mas MESMOOOO muito mau, é fazerem Gosto num post que anuncia o falecimento de um amigo!!!!!! É a estupidez nos picos!

djamb disse...

Concordo em praticamente tudo. A vida real não seria estranha se lhe aplicássemos os hábitos do Facebook? Blehh...

lulu disse...

Concordo plenamente contigo. O que me deixa a "pensar" (pena? confusão?!) são as pessoas que pensam que têm o mesmo número de amigos na vida real, os tais 2000 que têm no facebook e chegam a Sexta, Sábado ou até um dia cinzento qualquer e não têm ninguém (a não ser os amigos virtuais que nunca viram na vida). Mas claro, tudo na vida tem meio termo, podes usá-lo de forma positiva. (Não conhecia o teu blog. Gostei) fashionock.com

Isabel Metello disse...

Estudando o fenómeno, só se pode concluir que é um espelho daquilo que acontece interpessoalmente, reflectindo mentalidades dominantes. Por ex.,cada vez mais, há pessoas com muitos amigos que de Amigos nada têm. Já assisti a pessoas, interpessoalmente, a designarem como amigos alguém que, no dia anterior, os tinha apunhalado nas costas, talvez porque saibam que eles tb o fariam na mesma situação. O FB, como qualquer meio de comunicação, tem vantagens e desvantagens, tem bons e maus usos, funciona como pólo de enriquecimento e de empobrecimento cultural,tem oportunidades como se assume como uma autêntica ameaça a vários níveis, tantas vezes subestimados...

PS:) fala uma pessoa que eliminou a sua conta por já não suportar certas dinâmicas asquerosas, que apenas se valem de um meio que maximiza as que se actualizam da mesma forma no mundo real :) não são os meios que são maus, são os usos que as pessoas lhes dão...