quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Das viagens de avião

Lara Stone fotografada para a Vogue Paris por Inez & Vinoodh, agosto 2011

Quando viajo de avião fico sempre um bocadinho irritada. Voos charter, então, como foi o caso deste, são de levar as mãozinhas à cabeça. E só fico um bocadinho irritada porque andar de avião é, para mim, quase sempre sinónimo de férias, e isso é sempre bom, caso contrário seria mais grave.

Primeiro, porque mal o avião chega lá acima a maior parte das pessoas desaperta logo o cinto. Mas será que o cinto incomoda assim tanto? A mim não me incomoda nada, nem me lembro sequer que o tenho, e só o tiro se tiver mesmo de me levantar. Porque o cinto deve manter-se durante toda a viagem. Por vezes, há problemas inesperados que não causariam quaisquer danos se as pessoas levassem o cinto apertado. Mas não, as pessoas não percebem isso.

Então e quando o avião se prepara para a aterragem? Mal o avião passa sobre a segunda circular e põe as rodinhas traseiras no chão, já se ouvem os cintos a serem desapertados. É o barulho dos cintos e é o barulho dos telemóveis a serem ligados. Quando o avião para já as pessoas estão levantadas a tirar bagagens à doida lá de cima só para serem as primeiras a sair, e, claro está, a comunicarem via telemóvel.

Mas, o cúmulo dos cúmulos é o ato de baterem palmas no final. Felizmente não acontece em todos os voos. Mas, que raio, o trabalho dos pilotos não é esse? Mal deles se não soubessem aterrar um avião. É que ainda por cima a maior parte das vezes, como foi o caso deste voo, as pessoas bateram palmas mal o avião deu com as rodas traseiras no chão, ou seja, quando ainda é possível haver um sem fim de acidentes.

35 comentários:

anamarta disse...

deve haver tratamento para isso!

Mia disse...

Quanto ao cinto, acho que deve ser pelo facto de dizerem continuamente: "os avião é o meio de transporte mais seguro". E as pessoas pensam, como está no ar, a probabilidade de choque com outro veículo é mínima, no máximo choca com um pássaro qualquer. Como não é uma estrada terrestre onde circulam veículos às centenas e os acidentes são frequentes, pensam que podem descansar a vontade; porque provavelmente ninguém esteve num acidente de avião e sobreviveu. Vejamos, se até nos carros as pessoas não se incomodam a andar com o cinto, o avião é o paraíso para eles. Chamam-me doida quando insisto em pôr o cinto, porque "não vai acontecer nada, que melodramática!"

Quanto às outras coisas, é por pura estupidez das pessoas que isso acontece. As palmas deve ser por verem muitos filmes americanos, aqueles onde aconteceu algum acidente grave e o piloto safou o pessoal todo.

Almofariza disse...

Eu confesso que já bati palmas e com todo o vigor que ainda me restava.
Isto depois de 3 tentativas de aterragem, onde numa delas o avião ainda pousou com as rodas de trás e levanta vôo novamente.
Fomos aterrar para outra Ilha e confesso que só não bati palmas, também com os pés, porque o cinto não deixou...

Cadês

Almofariza

Mel disse...

Como te compreendo... Sou assistente de bordo e lido com palmas, cintos e telemóveis todos os dias!

O gajo disse...

São uns palermas... E o querer ir junto à janela? "Importa-se de trocar de lugar comigo?" ou então o ir ao wc umas 5 vezes num voo de 3 horas "Dá-me licença que passe pf?" e lá tem um gajo de dobrar o jornal, levantar-se com ar aparentemente simpático e deixar passar. Uns 2 minutos depois, regressam e se olharem para as mãos elas estão completamente secas... grandes porcos!!! :)
www.diariodeumgajodivorciado.blogspot.com

PPaula disse...

Também me irritam solenemente (adoro esta expressão) as pessoas que teimam em levantar-se e começar a tirar as malas ainda antes de o avião parar.
Num voo recente, ao chegar ao aeroporto, o piloto teve de pedir três vezes para as pessoas se sentarem e apertarem os cintos de segurança e manterem-se assim até a "luz do cinto" se apagar. As pessoas lá se convenceram e sentaram-se. Assim que estava tudo sentado, o piloto, que já deve estar também farto desse comportamentozinho, desligou as luzes do cinto. Adorei, fartei-me de rir com a atitude dele.

Alexandra disse...

De acordo a 100%...!

É super irritante.

ci disse...

nunca me aconteceu esse episodio das palmas :S
só muda quando tiverem um susto a serio..

Cátia Gomes disse...

Não vejo qual é o problema das palmas. Os médicos também fazem o seu trabalho e as pessoas dão-lhes galinhas, vinho do porto, e coisas do género. Assim como aos professores. Grave é desapertarem os cintos antes do tempo e porem-se logo de pé. Isso pode ser perigoso. Agora as palmas...

Johnny disse...

Irrita-me tudo isso. Quando vim de Palma de Maiorca e de Tenerife largou tudo a bater palmas. E os meus ouvidos é que sofrem, que por essa altura ainda estão meio lesados e surdos e ouvem tudo com interferências.

Paulo Nunes disse...

Eu tambem uso sempre o cinto.... durante toda a viagem, não vá um poço de ar aparecer pela frente!
Em relação aos aplausos.. nao vejo mal nisso! Se todos baterem eu tambem bato!
Já agora... para saberes... os maiores problemas são a levantar voo e não na aterragem :))

mary disse...

Discordo do cinto de segurança... Porque razão é necessário o cinto de segurança quando o avião está lá em cima, estabilizado, cuja sensação para nós é como se estivesse parado? É extremamente necessário ao levantar voo, na aterragem e em turbulencia, mas de resto... Não é que incomode, é a sensação de estares presa sem necessidade.
Quanto as pessoas tirarem os cintos e levantarem-se quando o mesmo ainda nem sequer esta parado, concordo. Ate porque "ninguem sai primeiro". Quem sai primeiro é quem esta na primeira fila. O que estiver na ultima bem pode ser o primeiro a levantar que vai ser o ultimo a sair... A modos que é um bocado pointless e faz-me ter pena do pouco bom-senso das pessoas.
O de bater palmas no final... Adiro. É uma forma de agradecimento. É obvio que o trabalho dos pilotos é "conduzirem" o aviao de modo a chegarmos seguros, o que nao invalida a gratidao perante os mesmos e a sensação de satisfaçao. Cheguei ao Brasil no Sabado, sai de lisboa, voei durante onze horas seguidas e quando cheguei a Porto Alegre bati palmas. É uma sensação de alivio. De que podia ter corrido tudo muito mal e correu tudo muito bem. É uma forma educada de dizer obrigada.

Desculpa o testamento mas tudo o que envolve o assunto aviões causa-me espécie e desenvolve em mim um sem numero de argumentos...

Kitty Fane disse...

mary, o que mais há são relatos de aviões que apanharam poços de ar, por exemplo, deixando pessoas feridas (foram projetadas para cima) por não levarem o cinto apertado. E isto é só um exemplo.

A. disse...

Tirando umas situações mais excepcionais, as pessoas acabam por estar a bater palmas...aos instrumentos de bordo ;)

Miss Daisy disse...

Há cada vez mais pessoas a aplaudirem no fim dos voos (acho que, excepto as viagens que têm sérios problemas) é uma coisa completamente desnecessária, uma vez que não estamos a assistir propriamente a um espectáculo, mas a um mero cumprimento da função profissional do piloto aviador; quando vou a um banco não aplaudo quem está ao balcão e no cinema não aplaudo o rapaz que me rasga o bilhete antes de entrar;

Quanto aos cintos de segurança, não há dúvida de que se houver um poço de ar ou um temporal, levar o cinto pode fazer a diferença entre chegarmos ao fim da viagem sem um arranhãozinho ou (se não levassemos) chegarmos com um galo na cabeça ou um braço partido.

Anyway, não estou a ver onde é que o comentador Paulo Nunes achou que não sabias que existem (regra geral, será?) mais problemas no levantar voo. Não me lembro de ter lido no post algo em que dissesses isso. Enfim, já vão sendo habituais alguns comentários assim, em posts onde se fala de vacas e o referido comentador responde com relva (é parecido, mas não é bem o mesmo) mas pronto, cada um comenta o que deseja e bem entende! :)

Teresa disse...

Kitty,

Por acaso sou uma das pessoas que desaperta o cinto quando o avião está estabilizado. Não por incomodar mas, tal cmo algum comentador disse, por dar a sensação de estarmos presas. Nem nunca me tinha passado pela cabeça que poderiam existir problemas por causa disso uma vez que a luz dos cintos está apagada nas situações em que ele não é obrigatório acendendo-se quando é necessário que eles sejam apertados.
Quanto às palmas: a primeira vez que viajei de avião o que acontecia era o contrário. Apenas se batia palmas quando a aterragem não era boa. Era uma espécie de ironia ou pelo menos foi assim que me explicaram.
Quanto ao resto não podia concordar mais até porque as pessoas levantarem-se antes pode causar instabilidade no avião (e isso aconteceu quando eu fui a Nova Iorque). O avião é um meio de transporte e as pessoas têm de ter noção que devem manter-se o mais possível sentadas.

Beijinhos

Sofia disse...

Concordo com tudo, mas a parte em que começam a bater palmas é que me surpreende mesmo. Palmas porquê? Não era suposto o avião ter aterrado? É ridículo.

Heidi disse...

As palmas duram pouco tempo, não são aplausos de meia-hora! Acho que se suportam bem! Penso que é uma forma de descompressão.... Os passageiros não gostam da "insegurança" de não ter os pés bem assentes na terra. Não me irrita nada, irritava era ter um problema no voo.

Kat disse...

concordo TANTO com tudo isto! já reflecti imensas vezes sobre isto, especialmente nisso de tirar os cintos de segurança e a pressa em sair do avião e falar ao telemovel!

Alix disse...

o que mais me incomoda são as pessoas que se levantam logo à pressa na tentativa de saírem primeiro do avião. mas como? não saem, pois, ficam ali especadas à espera.
quanto ao cinto, eu também o tiro sempre, até porque quando é necessário colocá-lo de novo em pleno voo, o piloto avisa.
quanto às palmas, não me incomoda nada, e nem acontece sempre, e quando acontece bato também x)

**

Panda disse...

Fossem todos os males desta vida esses :D
Eu quando ando de avião é como dizes, é tão sinónimo de férias e diversão que estou é literalmente nas nuvens.

Agri Doce disse...

Detesto quando o avião pará e tudo se levanta logo para apanhar as malas...mesmo quando têm de ficar uns 20 minutos à espera!E o acto das palmas...simplesmente tonto

She knows disse...

Concordo que é absurda a pseudo pressa que as pessoas têm em sair do avião, até porque quem sai primeiro é quem está mais perto da porta. Mal o avião aterra, ainda com o sinal do cinto aceso já está tudo em pé a tirar malas. E em pé e em fila ficam aquele tempo todo até o avião parar de facto e as portas abrirem.

Nos concertos, teatros e espectáculos ao vivo também é suposto as pessoas estarem a fazer o seu trabalho e as palmas são um reconhecimento. Claro que não há comparação entre um piloto e um músico, mas a parte do reconhecimento e da felicidade por tudo ter corrido bem está lá.

Em relação aos cintos, de facto há uma ligeira hipótese de encontrar um poço de ar e fazer com que uma pessoa que não use o cinto bata com a cabeça no tecto do avião. Mas essa probabilidade é tão remota que não se justifica assim tanto o uso do cinto sem ser na descolagem, aterragem e turbulência. Quando acontece alguma coisa num avião, geralmente não é o cinto que vai salvar...

Rubi disse...

O 'parar' sem acento da-me cabo dos nervos, sorry Kitty, nada a ver contigo. Ainda por cima quando estou num teclado ingles e nao tenho acentos. Mas essa do 'para' (de parar) e 'para' ser escrito da mesma forma...Odeio o acordo ortografico!

Sexy na Cidade disse...

enfim...aha
Viva o Portuga =)) lol...
as vezes tenho vergonha

Maria

Paulo Nunes disse...

Miss daisy:

Parece que te tornaste uma fan minha desde a última disputa sobre “corta-interesses”, até lês os meus posts, fico muito orgulhoso. Tu é que não deves ficar orgulhosa de leres as minhas bacoradas no teu entender.
Aliás.. nem percebes o que quis dizer. Obviamente no post da Kitty não falava se ela sabia ou não que os maiores problemas eram a levantar voo e não na aterragem. Foi apenas uma mera informação. Não vou agora explicar a razão técnica pela qual disse isso… espero então que um dia a Kitty fale de problemas em aterragens e levantar voos para eu te explicar melhor.
Sabes… eu às vezes gosto de responder “relva” porque acrescento algo mais ao que escrevo. Não me limito apenas ao assunto do post…e por acaso nem fugi muito ao conteúdo do que a Kitty escreveu.
Não vale ficares a pensar mal de mim… acredita.. e se queres ficar ainda mais desiludida comigo… passa pelo meu blog também.. e vê as bacoradas que escrevo. Aviso já que escrevo muito mal…..sou mesmo um corta-interesse!

Miss Daisy disse...

Paulo Nunes,

Contrariando aquilo que o Paulo Nunes escreveu na sua resposta, eu não leio os seus posts, eu li alguns (poucos, talvez 4) dos seus comentários e deu-se a coincidência de em todos eles (portanto, 4 em 4) serem comentários normais que no fim (sempre nas últimas palavras) descambam para outras coisas.

Exemplos:
« Canárias... um local que também queria ir. Não estiveste em Fronton? tem belas ondas para o Bodyboard... ou em El Quemao. Se calhar nem sabes o que isso é! Já vi que tu es mais de piscina!! :P »

-Onde é que a Kitty disse que era “mais de piscina”? Não percebi, como acho que qualquer pessoa não percebeu. Por não aparecerem fotos da praia, caso ela tenha ido à praia (não sei se foi)? Também não aparecem fotos do quarto de hotel e eu não presumi que ela tivesse dormido numa tenda.

« Eu sou uma pessoa que facilmente "dô" erros ortográficos. Admito isso.. sem problemas. Sempre foi uma falha minha desde criança que tenho lutado e melhorado. Mas nem sempre é fácil. Será que sou menos inteligente ou com menos capacidade de ter uma relação só porque dou erros? Por amor de deus.. não existe relação nenhuma. »

- Ora onde é que a Kitty no post dela escreveu que quem dá erros ortográficos é menos inteligente ou tem menos capacidade de ter uma relação? Não escreveu.

Sobre o facto do Paulo Nunes bater palmas se os outros baterem palmas, pois está no seu direito.
Uma adenda: não fiquei a pensar mal de si, de maneira nenhuma. Porque haveria? O Paulo Nunes não fez mal a ninguém, apenas comentou, como eu ou como qualquer pessoa. Quanto a esse ponto, não se preocupe :)

Tem de notar que o tom que usou “só para saberes…” traduzido dá num “olha e só para que saibas, isso não é como dizes, porque os problemas até acontecem mais no descolar, toma toma”

É tudo :)

dysa disse...

Eu bato palmas e n vejo problema algum.
Sou uma mariquinhas quando ando de avião e é um alivio muito grande aterrar em seguranca.
Há coisas piores.

Paulo Nunes disse...

Bom.. não quero fazer do blog da Kitty um local onde se debatem outros assuntos que não o post em questão.
Mas para terminar....fico muito contente por não pensar mal de mim. Já ganhei o dia.. porque aqui anda tudo muito morto! :P Afinal podemos ser amigos...:)
Em relação ao que escrevo, e derivado à minha maneira de ser, gosto de "brincar", "picar" e escrever de maneira diferente. Os meus comentários muitas vezes podem não fazer sentido, mas se me conhecesses pessoalmente.. ias ver onde queria chegar. Admito que muitas vezes o que se escreve é mal interpretado por outras pessoas e não é minha intenção causar isso. Em relação ao "copy paste" dos meus comentários, ficaria aqui a tarde toda a explicar a razão pela qual escrevi isso! mas como deve calcular.. são assuntos para se ter em privado e não encher o blog da Kitty, sim porque a Kitty já deve estar pelos cabelos por minha causa :)
Miss Daisy, não sendo eu um cavalheiro charmoso, aceite contudo uma rosa sem espinhos, vermelha e bem cheirosa(tudo bem explicado) como forma de podermos continuar a ter uma boa relação no cyber espaço :)

Sonhadora disse...

Eu nem sempre bato palmas, mas na última viagem que fiz de avião, vinda da Paris, bati e com muita força...Era mesmo para descomprimir. Tivemos uma viagem péssima( estava muito vento) e estava a ver que íamos acabar por aterrar no mar...seria amarar?.... Antes de aterrar o avião balouçou, tremeu, abanou...sei lá...quando por fim aterrou...foi o alívio. Os passageiros bateram palmas e eu também. Ufa!

Belicious disse...

Eu não viajo muito mas concordo inteiramente... Irrita!

Europe Calling disse...

Ai se eu fosse a contar todas as "tontices" que os pessoas fazem dentro de um avião dáva pano para mangas. Sou Assistente de Bordo e vejo esses comportamentos ignorantes todos os dias..e por experiencia própria, os portugueses até são dos mais espertos que há..agora imaginem!!

Sentimento de Mim disse...

Onde é que se assina por baixo do texto? :)

Cor do Sol disse...

Também já tive esse tipo de sentimento em relação aos cintos, telemoveis e palmas. Agora, que ando de aviao regularmente quero lá saber, aprendi a relativizar as coisas e a perceber que as pessoas vivem os voos com diferente intensidade. Para mim é so mais uma oportunidade de dormir e chegar onde quero, para muitos é a primeira vez e a vontade de que o voo corra bem assim como o nervosismo é exacerbado.

tiago disse...

Limito-me a alargar um pouco o cinto para ir mais folgadinho, não me sinto preso e vou mais confortável e seguro. QUando é para sair uso o método do cinema, espero que todo o mundo esteja fora do avião e aí saio do lugar, pego na bagagem de mão e lá vou eu. Se for na janela é óptimo, não tenho de sair do meu lugar para que os outros dois passageiros saiam, se for no corredor passo-me para um lugar atrás ou a frente no qual possa permanecer sentado até que chegue a minha altura de sair.
As palmas também não percebo, tal como nos concertos ou noutro espectáculo qualquer, porquê bater palmas quando as pessoas só estão a fazer o seu trabalho?! A mim também não me aplaudem de cada vez que faço uma factura ou atendo um telefone. Ou agradecer a qualquer pessoa que me sirva. Não lhes pagam para isso?!