domingo, 3 de julho de 2011

Sobre o casamento de que todos falam

Nem o epíteto de príncipe consegue salvar Alberto do Mónaco. Criatura mais fria e mais sem graça, nunca se viu. A Charlene estava linda, mas dava pena. Aliás, a avaliar pelas partes que vi, foi um casamento triste. Ela estava demasiado tensa, o rosto sem vida, mas, mesmo assim, na altura dos beijos lá demonstrava alguma emoção. Já ele não. Parecia uma pedra. Fiquei com a sensação de que, para ele, beijar a Charlene ou beijar uma parede ia dar ao mesmo. É que nem uns olhares de cumplicidade entre os dois, nem nada. Era evidente que ele estava mais preocupado com os convidados do que com a noiva. Vamos ver quanto tempo dura e quantos mais filhos bastardos se irão descobrir pelo caminho. Mas cheira-me que vem escândalo a caminho.

13 comentários:

Corina de Oliveira disse...

Se for só 1 escandalo, ja vai com sorte!

Satine disse...

E dos grandes.

Também não gosto nada daquela cara de sonsa que ela tem.

Um beijinho

aespumadosdias disse...

A Charlene estava deslumbrante

t disse...

metia pena ao olhar para ela... estava claramente triste

A Tulipa Azul disse...

Ela is lindissima:) mas parecia triste... e ele sempre muito frio e distante:( http://atulipaazul.blogspot.com/

Agri Doce disse...

Ela parecia que ia para a forca...um semblante pesado, triste e sem qlq emoção!Desgraçada, não lhe invejo o casamento!!

prada disse...

Não sei porque estava triste, tem 33 anos deve saber por onde caminha.Ingénua é que ela não deve ser.
Agora que estava e é linda, não há qualquer dúvida

Ana C. disse...

Ela parecia estar com uma depressão e ele só piscava os olhinhos para toda a gente. Não entendi se eram tiques nervosos, ou se ele estava mesmo numa de piscar o olho durante o próprio casamento.
Foi uma cerimónia estranha e sem ponta de emoção.
Constrangedor.
E o que é que se passava com a boca da Charlene? Ela botoxizou?

Alice disse...

Eu achei-o muito mais descontraído do que a ela, que parecia que ia para a forca e muito mais simpático também.

Antes de trocarem as alianças, ele olhou várias vezes para ela e ela nada, parecia que estava noutro sítio qualquer. Ele piscou-lhe o olho e tudo, e piscou o olho aos convidados também a torto e a direito.

E os beijos que mal tocaram os lábios? Foi tudo muito pão sem sal, como eu escrevi no meu blogue.

Claro que ela só casou porque quis, certamente ninguém a obrigou, por isso pelo menos podia ter sido mais simpática.

Catarina disse...

Ela estava linda. Mas triste... Muito triste. Ele... tem ar de ser, absolutamente, frio e distante. Não gostei nada.

Sempre Evelyn disse...

Eu concordo plenamente com seu post. Na verdade o mundo está muito assim: casamentos sem vida, sem emoção, pela razão, pelo medo de ficar só, pela sociedade que cobra, pelo governo, em fim, o mundo está cavando seu próprio abismo porque depois que se casa é que se vê realmente o valor de um casamento e muitas vezes ele não consegue ser sustentado pela aparências e isso não importa a classe social..Bem vindo ao mundo dos casamentos sem casai.

S* disse...

Coitada, tenho pena dela.

Sara disse...

Não podia concordar mais. Não queria estar na pele dela.