sábado, 23 de julho de 2011

Das tristezas do mundo

Natalia Vodianova fotografada por Jean Baptiste Mondino

A melhor palavra que define Oslo é paz. Foi paz que eu vi naquelas pessoas quando estive lá em 2009. Naquelas mães que, no parque, logo pela manhã, faziam jogging empurrando os carrinhos dos seus bebés. Naquelas crianças que passeavam tranquilas com os pais no Mercado de Natal sem fazer qualquer tipo de birras como é frequente vermos por aqui. Nas pessoas que falavam baixinho nos tranportes públicos e que evitavam ao máximo falar ao telemóvel para não incomodarem. Em tudo. Mesmo apenas com aquelas seis horas de luz (pouca luz) e com aquele tempo sempre nublado e frio, muito frio, as pessoas pareceram-me muito felizes e tranquilas, sem pressas. Por isso, a Noruega seria o último país onde eu imaginava que pudesse existir um massacre deste género.

9 comentários:

Martine disse...

Nunca fui à Noruega, mas sempre imaginei que fosse um país muito pacífico e socialmente muito respeitador.

Realmente foi um choque a notícia...

Sofia disse...

Estes atentados são tão despreziveis que estão para além de qualquer compreensão. :(

Military Life style disse...

Realmente tens razão porque não tem explicação o que esta a acontecer!
beijoca*

Midnight Sun disse...

Perfeita descrição. Foi a minha casa durante seis meses. Era dos últimos sítios que esperava que fosse atingido por este tipo de violência.

Ana disse...

Gente má há em todo o lado. E loucos.

Vespinha disse...

Tenho a Noruega como um modelo de civilização. E, pela reação dos noruegueses a este massacre, vou continuar a ter.

Agri Doce disse...

Realmente foi horrivel...anda tudo maluco!

Girls' Things disse...

É horrível a situação vivida nos últimos dias. :/

Sandra disse...

Foram momentos de puro terror e desespero.
Infelizmente acordámos para a realidade dura e cruel de não existirem, de facto, locais verdadeiramente seguros para viver.Em qualquer lado e a qualquer momento poderemos sentir a dor da perda, ás mãos de loucos como aquele Anders...