sábado, 12 de fevereiro de 2011

Dos meus pequenos queixinhas

























United Nations Photo´s

Descobri que tenho uma turma de pequenos queixinhas e de pequenos seres que querem chamar a minha atenção à custa das doenças. Não sei como deixei começar isto, nunca me tinha acontecido com outras turmas, a verdade é que a coisa tem tomado proporções completamente exageradas.

Tudo começou com o Manuel (vamos chamar-lhe Manuel). O Manuel tem imensos problemas de saúde. E por isso tem sempre um tratamento especial da minha parte, uma vez que tem ataques de tosse sem fim, tem falta de ar, tem dores constantes em quase todos as partes do corpo, e nota-se que diariamente faz um esforço enorme para vir para a escola e para trabalhar como os restantes. Com a agravante de o Manuel ser só a criança mais fofinha do mundo, a quem apetece encher de mimos. Bom, inevitavelmente, e por saber como o Manuel vive, por saber da sua necessidade de afecto, fruto dos constantes internamentos e consequente sofrimento, trato-o de uma forma especial. Mas não por ser ele. Qualquer um dos outros seria tratado assim caso se encontrasse na mesma situação que o Manuel.

A verdade é que os outros começaram a aperceber-se deste tratamento especial e agora decidiram queixar-se todos para ver se também têm esta atenção da minha parte. Tudo começa da seguinte maneira: o Manuel começa a queixar-se e seguem-se seis ou sete a fazer o mesmo. Uns queixam-se da cabeça. Os outros da barriga. Outros porque estão com vontade de vomitar. Outros porque lhes doem os braços e as pernas. E eu comecei a aperceber-me de que tudo isto não passava de pequenas chamadas de atenção, quando comecei a reparar que, ao contrário das maleitas do Manuel, todas estas passavam por altura do intervalo. Era vê-los a correr que nem uns loucos. Era vê-los às risadas e aos pulos, quando antes estavam para ali quase a morrer-me nos braços.

9 comentários:

Yasmin disse...

Querida Kitty Fane,

É sinal que és a melhor professora do mundo e que eles têm um carinho muito grande por ti e como tal, têm "medo de te perder" para o Manuel.

Tem um lado bom, a situação, claro que tem! :)

alma-em-4-corpos disse...

não pude deixar de sorrir ao ler este post, pela identificação que me suscita. ainda esta semana constatei o mesmo. a beatriz caíu na piscina e fez um golpe profundo no lábio, como tal tem dificuldade em comer, rir, chorar, falar ... a carolina, para resgatar para si parte da atenção dada à beatriz, diz-me: ana tenho que comer pouco porque me custa a engolir. passado minutos era vê-las em grande gargalhada entoando uns guinchos irritantes. milagre, já estava boa da garganta. são tão fiteiros ... por vezes torna-se difícil saber quando sentem ou quando fingem ...

Fábio Paulos disse...

gostei da foto

Gonçalo disse...

Bons sinais, senhora professora!

Beijinhos e bom fim-de-semana :)

Maria_S disse...

Por isso é que eu nunca me queixo em frente à minha filha mais pequena, senão também qualquer coisa parecida com a minha. Se eu digo que me dói qualquer coisa e ela pergunta o quê, digo logo ai dói-me muito o dedo do pé eheheheh. Bjs.

Fi disse...

As crianças são tão inteligentes para o que lhes interessa.
É incrível...

Love your blog*
http://loveifyoudare.blogspot.com/

Só sedas disse...

E contar-lhes a história de Pedro e o lobo, que tal?

Só sedas disse...

E contar-lhes a história do Pedro e do Lobo, que tal?

Lainizinha disse...

pra ve como o povo é esperto... sacaram logo o lance de chamar tua atenção... hahaha