sábado, 5 de fevereiro de 2011

Ainda o "Black Swan" (contém "spoilers")

Natalie Portman em "Black Swan"

O problema do filme "Black Swan" é mesmo o realismo de todas as cenas. O Darren Aronofsky é perito nisso. Consegue fazer com que os seus filmes deixem de ser ficção e se tornem realidade para os espectadores. De tal forma que, de repente, esquecemo-nos que estamos numa sala de cinema e que é apenas um filme que estamos a ver, e vivemos aquilo como se estivesse mesmo a acontecer ao nosso lado, com um amigo, com um conhecido, ou até mesmo connosco. E quando estamos perante um filme absolutamente perturbador e intenso, como este, o caso torna-se grave. Sobretudo para quem anda atormentado com outras coisas, como eu ando. Tapei os olhos em imensas cenas. Sofri com os seus dedos dos pés feridos pelos sapatos de pontas. Fiquei apavorada com as peles das unhas ensanguentadas e arrancadas. Tremi com a presença do personagem interpretado pelo Vincent Cassel (completamente assustador e desprezível). E ainda hoje tenho pesadelos com aquelas asas negras que lhe nascem nas cenas finais, ou não sofresse eu de ornitofobia. E se a Natalie Portman não ganhar o óscar com este papel, então posso dizer que não percebo mesmo nada de cinema.

14 comentários:

Juanna disse...

Não achei piada ao filme mas achei q a Portman fez um belo papel. Como n conheço o trabalho das que concorrem com ela, n posso dizer se acho q ela merece um Oscar.

Maria Fonseca disse...

Não que me aborreça, porque eu vi o filme antes de estrear, mas a descrição do pormenor das asas é um grande "spoiler", para quem ainda não viu.

Nia disse...

É garantidíssimo que Miss Portman levará para casa a almejada estatueta dourada.

E é oficialíssimo que eu não percebo mesmo nada de cinema porque fui ver ontem o filme e também não lhe achei piada nenhuma, foi quase uma desilusão - tinha algumas expectativas mas como o género "terror" não me diz muito, acabou por não ser; e sim, tb virei a cara a peles arrancadas e afins.

Saudações cinéfilas.

R disse...

vou ver hoje.

Phil disse...

Bem com tantos comentários controversos tenho mesmo de ir ver :)

Martini Bianco disse...

Excelente filme. Intenso e perturbador mas com um realismo e grafismo visual exagerado para a temática e uma cena lésbica das mais bem conseguidas que vi no cinema mainstream. Já há muito tempo que não via um filme com F grande.Resumindo: Perfeito.

_ba_ disse...

Estou com bastante curiosidade para o ir ver...ainda por cima li que ela teve que deixar o ballet por ter sofrido bastantes lesões e, para fazer este papel, andou em treinos durante 1 ano, 15 a 16 horas por dia, tendo partido 2 costelas.
Tem crescido tanto a nível pessoal como de interpretação (ainda vai a caminho dos 30 anos) portanto só de pensar no que ela passou para fazer isto vale bem a pena ir ver o filme que, pelo trailler, dá bem para ver que é bastante intenso, dramático e bem real :-)(mas prefiro este tipo de filme a outras chachadas que por aí andam ...)

Belicious disse...

Que trauma que foi este filme. Também o vi de mãos à frente dos olhos e não o esqueci durante umas boas horas. Muito intenso

Aileen disse...

Só pelo trailer é daqueles filmes que nos eriça até os cabelos da nuca! Simplesmente sensacional, com uma interpretação pormenorizada e minuciosa, que conotaram Natalie Portman de uma capacidade artística e desenvoltura surreais!

Incógnita disse...

O grande problema deste filme é que para a maioria das pessoas é difícil ver para além do aparente terror deste filme. Este filme fala *spoiler daqui em diante* da dificuldade de uma jovem de 28 anos em libertar-se da influencia da mãe e do síndrome "menina da mamã". Daí toda a luta interior que atravessa quando é obrigada a explorar esse lado mais sexual e "adulto" que tem de encontrar dentro de si para conseguir interpretar esse personagem negro. Eu gostei muito do filme, é um retrato intensíssimo e perturbador da dificuldade de vencer o complexo de édipo fora de tempo.

Concordo que o óscar deve ir direitinho para as asas da Portman este ano. Vamos ver*

Analog Girl disse...

Vi-o ontem. Achei-o duro e violento, mas arrebatador. A Natalie está perfeita. E essa cena das penas tanto é assustadora como bela. Como todo o filme, aliás...

Deb disse...

Bem... vi o filme antes de estrear e gostei muito.
Quem conhece a "obra" do Darren Aronofsky não se espanta com o filme, muito pelo contrário.
Sim, ela faz um GRANDE papel, parece que merece o Óscar e só não concordarei se ganhar o Óscar de melhor filme e lamento que o Clint Mansell não esteja nomeado para banda sonora...
but oh well... não se pode ter tudo :)

C. disse...

Um filme que preciso mesmo de ir ver :-)

Parabéns pelo blog. Já venho passando por cá há imenso tempo e gosto sempre*

Carla Pinto De Andrade disse...

Sem duvida, também fiquei suprendida com o filme,não estava nada a espera de tanto suspense.
Acho que a menina merece ganhar, o tão esperado Oscar..