sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Ainda o Herman

Tendo em conta as ameaças e os comentários (a maior parte deles não publico por serem demasiado insultuosos) que tenho recebido desde que fiz o post acerca do Herman, cumpre-me escrever aqui qualquer coisita. Que eu já tinha percebido que nenhum jornalista ou alguém ligado à comunicação social pode dizer uma unha que seja do Herman, sem que a seguir venha um chorrilho de insultos, quando não é o próprio Herman que aproveita os seus programas para enxovalhar quem ousou dizer mal de sua excelência, como já aconteceu dezenas de vezes, isso já eu sabia. Mas, caramba, eu não sou conhecida, eu sou uma Zé ninguém que escreve aqui meia dúzia de disparates. Portanto, vamos lá ter calma e vamos lá destilar ódio para outras paragens. Eu não sou líder de opinião. Eu não obrigo ninguém a não gostar do Herman. Aliás, houve quem bem entendesse isso e desse a sua opinião, ainda que discordasse do meu ponto de vista. Por isso, quem gosta, só tem de lhe continuar a encher os bolsos para lhe sustentar os seus extravagantes e caros vícios. Acho muitíssimo bem. Se lhe acham piada e se gostam, só têm de o fazer. Eu passo a outro e não ao mesmo.

Por tudo isto, eu ia escrever então qualquer coisita, mas houve uma leitora que escreveu exactamente aquilo que eu penso e tenho a dizer depois desta polémica. Cá vão as suas palavras que aqui faço minhas.


"Toda a gente sabe que o dito senhor foi acusado do que foi, toda a gente que tem olhos e ouvidos na cara sabe que as piadas dele, dia sim, dia sim, metem coisas de cariz sexual. Toda a gente que tenha olhos na cara e que tenha visto o programa (eu vi e até percebi que ele se referia a cadela, mas nem é essa a questao) percebeu que ele se levantou da sua cadeira vezes sem conta para se espetar e esparramachar (so me vêm à cabeça estas expressões) na televisao. Sempre para ser ele o protagonista. Mais: "ai ele foi o rei da comédia", ai foi? Pois lembrem-se que os reis ninguém os elege, metem-se no poleiro como lhes dá na real gana. Lá porque foi o primeiro grande humorista conhecido portugues, é o rei, é o maior. Palmas para ele. Os outros que vierem a seguir nuuuunca serão tao bons (mentalidade de algumas pessoas, ja percebi). Essas pessoas nao percebem outra coisa tao simples:
Ai como ele falou da cadela, pronto, foi só uma brincadeira.

Pergunta 1: qual é a piada em dizer que determinado animal é tarado sexual? pois é, não tem. Aposto que se ele tivesse chamado mesmo o outro de tarado sexual as pessoas achavam na mesma que era uma brincadeira e ele é o rei do humor português e pode dizer tudo.

Pergunta 2: Como cai muito na graça dos portugueses, viu-se safo de muitos problemas (e aqui nestes comentários temos a explicação para tudo).


Paula, na caixa de comentários do referido post.

21 comentários:

Artemisa disse...

Não diria melhor. Eu, sinceramente, não gosto do Herman. Já teve graça? Já. Mas infelizmente não acho que ainda a tenha. As suas piadas agora são muito brejeiras para o meu gosto.

Mas quem gosta, que assim continue. Nem todos podem gostar do mesmo. Caso assim fosse, o mundo era uma pasmaceira. Como diria o outro... O que seria do azul se todos gostassem de branco?

Bjs

PrincesSu disse...

Bem dito!

txticulos disse...

Aplica-se ao dito o que Roberto Begnini disse um dia sobre Berlusconi: "Ele tem sempre de ser o centro das atenções, se fosse a um casamento seria a noiva, se fosse a um funeral teria de ser o morto".

Mama Azul disse...

CONCORDO PLENAMENTE!
A esse Senhor aplica-se bem um ditado popular: "Antes cair em graça, do que tentar ser engraçado" que é bem o caso dele. Está a tornar-se muitíssimo inconveniente, e por vezes "nojento". Quando está a dar algum programa em que ele participa nem vejo.

I. disse...

Essa coisa do "foi acusado do que foi"... não é bonito. Não é, porque se é para falar das coisas, que seja de forma séria, com os pontos nos ii e traços nos tt.

Diga-se sem medos: foi acusado da prática de actos de homossexualidade com menores, que era um crime que punia este tipo de actos quando praticados por um adulto com um menor do mesmo sexo, ainda que consensualmente, se o menor tivesse mais de 14 anos e menos de 16, previsto e punido no art. 175º do Código Penal então em vigor.

Ora o Herman pediu abertura de instrução e foi ilibado (não pronunciado) desses crimes. Mas, ainda que assim não tivesse sucedido, ainda que tivesse ido a julgamento, o processo teria sido extinto e ele nunca seria condenado, pois entretanto o Código Penal foi revisto e o tal artigo que punia essa conduta foi revogado. Aliás, e esclarecendo ainda mais, esse artigo já era considerado por muitos como inconstitucional, e assim chegou a ser declarado pelo Tribunal Constitucional, visto que fazia uma descriminação entre actos homossexuais e heterossexuais, punindo apenas os primeiros, quando eram consensuais.

Resumindo: ele não foi acusado de violação, nem de coacção sexual sobre menores, mas de ter tido um relacionamento sexual com um rapaz entre os 14 e 16 anos, de forma consensual - sem violência, sem coacção. Isso não resultou indiciado de forma clara, pelo que foi ilibado. Ainda que não o fosse, tal conduta deixou de ser crime, pelo que nunca poderia ser condenado.

Pronto. Deixando de parte antipatias ou simpatias pela pessoa em causa, acho tremendo vir fazer insinuações sobre algo que está mais que esclarecido e encerrado, e sobre o qual um tribunal achou que não havia provas fidedignas.

Celuska disse...

Olá!

Estive para comentar o outro post e depois passou-me. Já te leio há algum tempo, mas nunca tinha comentado e qdo vi o escreveste imaginei logo "que te iam cair em cima"....enfim....
Isto para dizer que concordo contigo....ninguém pode negar que ele foi ( passado) um bom comediante, com os seus méritos e louros....nada a dizer. Mas a partir do momento em que as piadas começam a decair e a roçar o ordinário, em que só consegue arrancar um riso do público se mostrar as cuecas ou exibir mulheres nuas, deixou de ser interessante, deixei de ver. Respeito quem goste e quem queira ver, só acho que para quem se diz tão inteligente e esclarecido, não soube sair de cena na altura certa....tinha sido perfeito e recordado pelos melhores motivos, tenho a certeza!

Beijinhos
Célia

Pipoca dos Saltos Altos disse...

ho que dsicordar de ti. Conheço o Heman, e por trabalho já o entrevistei muitas vezes. Já escrwevi coisas que sei que ele não gostou. Foram publicadas e nunca, mas nunca, me chateou por isso. E mesmo sabendo que fui eu que o escrevi nunca me recusou um trabalho ou entrevista. A nível do trabalho dele, não me ficaria bem a mim dizer se gosto ou não, se tem graça ou não, mas como pessoa, como ser humano, fossem todos como ele.
Beijo

Serena disse...

Ridículo. Só o tom de voz dele já irrita. Não há paciência, completamente fora de prazo,para além de brejeiro já se encontra na fase de contar histórias.

Gosto do Bruno Nogueira. Tem um programa interessante na TV, com a duração certa, pois não maça o telespectador e com temas inovadores.

S

N disse...

Que exagero. Tudo.

Joel de Sousa Carvalho disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

pimenta disse...

Gostari de deixar a minha modesta opinião sobre o Hermam.
Já houve tempos em que eu lhe achava muita piada, delirava com os programas, depois passaram alguns anos, e o mesmo senhor deixou de ter piada alguma.
Seguiu um caminho diferente e sinceramente auilo eu não chamo humor, mas sim ordinarice.
Não opino sobre os seus gostos sexuais, também acho que se foi acusado, o tribunal o julgou, isso são aspectos da vida de cada um, e apesar de ser uma figura pública, há que dar alguma privacidade à pessoa.
Agora que neste momento os programas são muito brejeiros isso eu não tenho dúvida.

Bom final de semana
manuela

Rafa disse...

Caro(a) I. independentemente do que o Código Penal diz - e dos modos pelos quais foi alterado para beneficio, ou não, de alguns - ele "foi acusado do que foi" sim..!

Porque a acusação tem também uma dimensão moral que não pode ser desprezada de modo algum.
Porque diga o código o que disser - relembro que não é dogmático, mas produto cultural que durante muitos anos legitimou a violência doméstica, o abuso sexual, entre outros actos horrendos - ter relações sexuais com uma criança, relembro, criança, à luz da lei portuguesa, entre s 14 e 16 anos É CRIME, e se for o for à luz da lei é à luz da moral das pessoas.

Rita G. disse...

Confesso que continuo a achar muita graça ao Herman, e que muitos dos novos humoristas que hoje conhecemos o copiam em muita coisa. Sim, também acho que em certas situações é incoveniente e que tenta ser o centro das atenções, mas certamente que não é o único na Tv em Portugal que o faz. Quanto à pessoa que é não sei, não o conheço, mas a nível profissional sempre o achei um humorista inteligente e com muita graça. E é pena que em Portugal não se dê valor a quem criou realmente algo novo, que essas pessoas sejam postas em 2º plano só porque aparecem caras novas na mesma área. bj!

Rita disse...

Não gosto dele e acho uma estupidez esta polémica que se criou. *

salgados disse...

Ó meu Deus!
Tanta azia que anda por estas bandas. Tão a ver, tão a ver, não compraram salgados de calidade no Natal e agora estamos assim. Com uma azia tremenda!

Concordo com a Pipoquinha dos Saltos Altos, o dito senhor - nem me atrevo a escrever o nome, a ver se o comment é autorizado pela administração -, é excelente, como pessoa. E sabe vender muito bem a sua imagem.

Pronto. Era só isto.

Bom ano 2011

I. disse...

Rafa, os julgamentos morais, cada um faz os que quer. Eu não faço aqui nenhum, porque não é o local apropriado nem gosto de fazer conversa de porteira.
Aquilo contra o que me insurgi e insurjo, é a facilidade com que as pessoas fazem insinuações. Só a expressão "foi acusado do que foi" é do mais baixinho que há. Mas, tal como os julgamentos morais, cada um é livre de usar as expressões que muito bem entender. Só que esta deixa no ar uma suspeição. E eu só me dei ao trabalho de escrever preto no branco o que aconteceu.
Já agora, e no rigor dos princípios, um indivíduo de 14 anos não é uma criança, é um adolescente.

Quanto ao código penal, é o que temos. Por acaso acho que cometi um erro, my bad, há muito tempo que não mexo nesta matéria: não foi revogada a previsão. Mas ainda posso estar errada, não tenho nenhum código actualizado: mas esta discussão existiu.

E o assunto está encerrado, ou não? Ele foi ilibado; estar a fazer insinuações com base em factos que já estão arrumados? Ora! Então para que serve o princípio da presunção da inocência?

S* disse...

O que raio têm as acusações de pedofilia... que entretanto se provaram NÃO ser verdade... a ver com o humor ou falta de humor dele?

Não tragam para a conversa coisas que nada têm a ver. Pode-se gostar ou não gostar do Herman, mas não peguem em falsas acusações de pedofilia. Lá porque é gay e gosta de ir aos prostitutos, não é pedófilo.

Vespinha disse...

Como te compreendo... Há anos escrevi um tópico em que referia por alto o Herman e em que elogiava o Bruno Nogueira e podes ler os comentários que recebi: http://vespaaabrandar.blogspot.com/2008/01/incorrigveis.html

De facto, parece que há figuras intocáveis. Felizmente existem os blogues, onde podemos dar a nossa opinião e fundamentá-la.

Helena disse...

Ia tentar dizer qualquer coisa, mas nada que vá referir consegue acrescentar algo aos comentários da I.
Acho preferível chamar as coisas pelos nomes e utilizar determinadas expressões como "foi acusado do que foi"... não fica nada bem. Foi acusado de pedófilia. E foi ilibado. E o mais engraçado é que foi o único que nunca negou que mantinha relações sexuais (consentidas!!!) com adolescente. Aliás creio que foi a Ana Bola que o confirmou expressamente numa entrevista. Ao ponto de ser pedófilo vai outro tanto.

Que o humor dele se tornou brejeiro quando esteve na SIC disso ninguém dúvida. Mas que adoptou uma atitude diferente agora que voltou para a RTP1 também não se pode negar.

Se tem piada dizer que a cadela do manuel marques é tarada sexual? Não! Se teve piada no contexto da conversa? Alguma. Se ele é excêntrico? Sempre foi.

Suspeita disse...

Confesso que li o outro post sobre o Herman um pouco à pressa mas deu para perceber que não gosta dele. Está no seu direito. Eu já não o acompanho como antes. Acho que ele se tornou preguiçoso. Repetitivo. O que não significa que não seja um homem extremamente inteligente e um humorista de excepção. Ainda é. Eu acho. É a minha opinião. Mas claro que vale tanto como as pessoas que pensam o contrário. Só não percebo bem o conteúdo de alguns comentários que parecem misturar tudo: o não gostar do humorista com o facto de ele ter sido acusado de pedofilia (temos que chamar as coisas pelos nomes) e ser mais ou menos um homossexual assumido. O que é que uma coisa tem a ver com as outras? Não será o preconceito a falar mais alto?! ... Dos tribunais livrou-se com aparente facilidade porque ficou provado que a única acusação que recaía sobre si não tinha fundamento. Fica o facto de ser homossexual. E depois? Tem menos graça por isso? Não pode dizer piadas de cariz sexual por ter essa orientação? ... Desculpem mas acho que é de um preconceito enorme quem assim pensa. E é mais que natural que não goste de Herman...

Pecadora disse...

Estou muito atrasada, eu sei. Mas tinha mesmo de comentar.
O Herman foi grande, foi um Senhor! Mas eu deixei de o ver, não foi pelas piadas mais fracas, não, não foi. Foi quando o vi nos seus programas de entretenimento a enxovalhar quem lá levava, a diminuir os convidados mais simples que tinham o azar de aceitar ir aos seus programas, a gozar com a Marília Gabriela porque ela dizia que, para fazer as suas entrevistas, tentava colocar-se sempre ao nível dos seus entrevistados... eu vi, ninguém me contou! É claro que tinha de gozar com ela, porque mesmo em relação aos entrevistados mais "importantes" o Herman teve sempre de sobressair, tentar ser mais importante que eles (não me esqueci nunca da figura rídicula que fez ao entrevistar o Mark Knopfler), o que dizer dos personagens mais "simples" que ele lá levava e que foram literalmente enxovalhados! Depois disso nunca mais consegui ver o Herman, pode continuar a ter muita piada, mas pra mim acabou.
Pode ser filho único, ser muito mimado e habituado a ter tudo, mas isso não lhe dá o direito de gozar com os outros.
E não acho que o gosto humorístico dos portugueses tenha mudado para a brejeirice... continuamos como sempre: há quem goste dos Malucos do Riso, do Prédio do Vasco, do Aqui não há quem Viva, e etc. e quem goste dos Gatos, dos Contemporâneos e dos Homens da Luta e etc. Não há desculpa para o baixo nível que atingiu o humor do Herman. Com bastante pena minha, que gostava muito dele.