terça-feira, 28 de setembro de 2010

E por falar nas relações homens/mulheres















Julia Stiles e Michael C Hall fotografados por Michael Muller (2010)

E é nestas alturas que me vêm à ideia aquelas mulheres (e aqui falo de mulheres, porque lido mais com elas no meu dia-a-dia, mas haverá homens assim também de certeza) que passam a vida a apregoar para quem quiser ouvir que os namorados/maridos são isto ou aquilo. Que são uns vermes. Uns chatos. Uns estúpidos que não as valorizam. Que são más pessoas. Uns sem carácter. Que não tarda se vão divorciar porque já não os aguentam. E depois os anos vão passando e elas, não só continuam casadas, como ainda fazem lembrar pulguinhas amestradas ao lado deles. Não seria melhor ficarem caladinhas?

12 comentários:

Juci Barros disse...

Seria sei... rsrs
Beijos.

hierra disse...

Seria bastante melhor, poluição sonora já temos que chegue!

Rubi disse...

Esse tipo de atitude so' revela fraqueza. Quem nao esta' bem muda-se!

MissBlueEyes disse...

Miss Kitty Fane Maria, nunca ouviu dizer que pito gabado sai carriço??? Por isso à que falar mal, para espantar a concorrência! lol

M. disse...

Muitas vezes, dizemos o que não sentimos e sentimos o que não dizemos... são tramados os dias grandes para sentimentos pequenos, quando outrora eram pequenos os minutos possíveis, para enormes enredos...
Diz-me o que achas disto.

Mami disse...

Há gente que nunca está bem com a vida que tem, e o defeito nunca vem delas...

António Prates disse...

Confesso que casei muito novo, e como estou quase a comemorar as minhas bodas de prata de namoro e de dissenções, penso que esses pequenos atritos servem para fortalecer a relação e actuam como um pretexto para uma reconciliação. - E as reconciliações são vitaminas conjugais!

cristina simões disse...

Entendo. Esses são os palcos privilegiados para as mulheres (algumas). Pode parecer que são partilhas de estados de alma, mas é só um faz de conta. A serem verdade, é preciso coragem para ser feliz.

zic disse...

É porque não querem que outras estejam a conbiçar seu homem. Então fazem a propaganda ao contrário. Diga "ele me bate" aos ventos e poucas irão querê-lo.

Mas pior são aqueles casais lindos e perfeitos, que andam grudados o tempo todo, inventam e dizem eu te amo e fazem uma mega festa de casamento. E depois de um tempo se separam.
Assim sem mais nem menos, acabou.

alexandra disse...

Engraçado... a minha opinião é contrária. Vejo mais homens a falar das respectivas para lá de mal francamente mal, já elas não me vem nenhuma à memória de falar horrores do dito, o máximo é de não ajudarem nas tarefas domésticas.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Claro que sim, deviam ficar caladinhas/os. Mas...depois, qual seria o assunto deste post?! :)

Maria Sem Frio Nem Casa

Uma Rapariga disse...

Sempre achei uma coisa deprimente, ouvir falar mal assim dos companheiros/as. Eu tinha os meus problemas mas como não andava a bradar aos 7 ventos, quando me separei ficou tudo de boca aberta...afinal porque não me queixava publicamente decerto não tinha motivo nenhum para me divorciar tst! :)