sábado, 25 de setembro de 2010

Dúvida

Eu não percebo muito bem a febre à volta dos concursos tipo Ídolos no nosso país. É que, mal os programas acabam, nunca mais se ouve falar de nenhum dos concorrentes. Nem dos próprios vencedores.

15 comentários:

Kikas disse...

é só mesmo um programa de entretenimento.. depois acabou, infelizmente.

Spike Blck disse...

Eu não percebo nada da televisão deste país.

Paty Michele disse...

Aqui no Brasil são conhecidos como "celebridades instantâneas". Idolos, BBBs e afins.

C. disse...

é uma moda...e como todas elas, têm um prazo!

cabra-nazi disse...

Infelizmente este tipo de programas que até podiam ser uma rampa de lançamento para os seus concorrentes acabam por consumi-los em tretas e publicidade e quando se vai a ver já eles não cantam fazendo outros "papéis" que em nada tem a ver com o seu original... veja-se o caso luciana abreu, a rapariga cantava bem (não apedrejem mas no casting fez um brilharete) mas depois o costume: abimbalharam-na,uma actriz de meia tijela e vips manicures e mais não sei o quê e "prontus" com o dinheiro abriu uma loja de roupa e assim se desperdiçou uma carreira que podia ter sido mais interessante. É o país que temos.

wednesday disse...

Eu vi um numa festa popular lá por Torres Vedras...

Mary Jane disse...

Nós somos de consumo rápido. Queremos os Ídolos enquanto entram em nossa casa e nós estamos confortavelmente instalados no sofá. Aí são um fenómeno e motivo de muitas conversas à segunda-feira. Agora quando os meninos deixam de dar concertos pela televisão em horário regular, já não é nada connosco! E com eles também não, já que aparentemente saem a dar concertos bem diferentes daqueles que faziam as nossas delícias ou então desaparecem mesmo.

PomPix disse...

O mais engraçado é ver as figuras do pessoal no início do programa, aqueles cromos que aparecem por lá.

PomPix disse...

O mais giro é ver as figuras do pessoal no início do programa, aqueles cromos que aparecem por lá.

Unknow disse...

Se pensares um pouco entendes. Primeiro é o que as pessoas querem ver, mesmo os que dizem que não vêm ( embora existam mesmo aqueles que não vêm) e depois é uma rampa de lançamento,embora muitas vezes a burrice de quem ganha não os deixe aproveitar a ajuda que tiveram. Sabes o que é que eu não entendo? As pessoas que passam a vida a dizer que não entendem

António Prates disse...

É a sede de subir ao cimo de um andaime periclitante... Os métodos não importam, o mais importante é conservar a ilusão. Penso eu!

Ana disse...

Mas enquanto duram, são um espectáculo!

Precis Almana disse...

O Filipe foi agora para Londres, para o tal curso que ganhou (até Março de 2011).

Dulce disse...

Tenho para mim que «este país não é para ídolos». Já os palermas que conseguem os seus 5m de fama nos programas desse género, esses são levados em braços e até se lhes estendem passadeiras vermelhas. Vá se lá perceber!..

Dulce disse...
Este comentário foi removido pelo autor.