quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Coisas que realmente interessam depois de ouvir as novas medidas de austeridade

O ministro das finanças diz "tãobem" em vez de "também".

20 comentários:

Menino da Mamã disse...

Na verdade, diz 'tombém' em vez de 'também'.

Frutinha disse...

O gajo é cromo pah!!! Esperam o quê.... oh senhores

Monica disse...

Cromo? Nah...
Autocolante!

Fala bem mas não me alegra!

Dear Daisy disse...

Ele é fino de Lesboá...

R.L. disse...

Não está mal dito. E o Ministro das Finanças foi aquele que interrompeu o 1º Ministro quando este respondia que os cortes salariais eram só em 2011. Interrompeu para dizer a verdade: começa em 2011 e mantém-se.
Cromos são outros.

Justanotherwoman disse...

Foi a única coisa que teve alguma graça. Está mau isto.

rosaamarela disse...

Lembram-se qdo os funcionários publicos e os bancários ABAIXO DOS 50 ANOS, andavam todos a fazer contas e a dizer uns aos outros "mas ainda estás a trabalhar ?... pois era só para vos lembrar.

boa noite

Margherita disse...

Fala tãobem o senhor...

Miss Star Pink disse...

eheheheheh
Eu e o boy (leia-se marido) também estivemos a gozar com isso!

Beijoca

Mais um homem... disse...

Por acaso o ministro das finanças é do Porto, sai algo como "taumbém" é um regionalismo como "puonte" ou "oubir". E não sei porque é que um homem altamente especializado em economia e finanças, mesmo a nível internacional é um cromo :S se ele é um cromo o que serão a maioria das pessoas deste país.

Su M. disse...

É do poerto pois claro...
Um homem do norte que exportamos por não o queremos cá!

Pedro Almeida disse...

Ele é morcon, carago!
Tá explicado.

Ele é tão especializado, mas tão, tão, que no ano de eleições aumentou os funcionário públicos em quase 3%...

Seria uma medida eleitoralista???

mr.Z disse...

epah que futilidade oh kitty... esperava mais um bocadinho de ti


com tanto pa falar sobre este assunto complexo, tu falas disso!!!?

bah, desiludido =X

rosaamarela disse...

mr.Z
Mais um homem

assino por baixo

HOJE APETECIA-ME PÔR AQUI O MEU NOME VERDADEIRO!!!

rosaamarela disse...

Kitty Maria, começo a duvidar que seja professora, o melhor é pensarmos que o teu blog é "um suponhamos".

Ainda não foi á mt que os funcionários publicos achavam que eles eram de primeira e os restantes portugueses de segunda, para os filhos dos funcionários públicos qualquer dôr de garganta era uma laringite e 15 dias de atestado...

tenham um boa dia

Teresa disse...

É uma coisa que se chama pronúncia, Kitty. O senhor é do Porto.

Só um mero exemplo: conhece Nova Iorque. Conhece mais alguma cidade do país? Já ouviu a imensa diversidade de pronúncias. Eu já. E posso garantir-lhe uma coisa, a da Carolina do Norte é tramada, mal se percebe (se bem que seja muito cómica, tão cantada é).

E no Reino Unido? Outro exemplo, só.

Paulo Nunes disse...

A maneira como se diz não interessa. ainda ontem tive com uma amiga minha que também dizia.. bou ali. :P
Rosinha... nem todos os funcionários publicos são assim! e os que são assim.. são mais os da velha geração.. no local onde trabalho ninguem faz isso ou tem mentalidade da função publica! eu...trabalho muito mais que as 7h diárias e as vezes venho fora de horas sem receber.. amor ao trabalho :)
beijinhos

Mami disse...

A pronúncia do sr. ministro é do norte como tantas outras que há pelo nosso país fora, não vejo motivo de chacota. No entanto, é bom que mantenha-mos o bom humor, pois quanto ao resto está cada vez pior!

rosaamarela disse...

Sabe que os espanhóis quase não se entendem uns aos outros, pela diversidade dos idiomas ???

Sabe que os alentejanos dizem "filho de um cabrão"

eu sou ALENTEJANA PORRA!!!

Não quero acreditar que você é das que pensam que Portugal se fica pela linha, Amadora, Telheiras...


bjs

António Prates disse...

Mais Sacrifícios... Tantos Sacrifícios! Sacrifícios dos mesmos de sempre, em prol dos mesmos de sempre e em benefício de quem causou toda esta desproporção social. A uns escassos dias de comemorarmos o Centenário da instauração da nossa república, são-nos ofertadas todas estas notícias sobre os Sacrifícios que teremos de comportar, até que outros mais Sacrifícios atormentem a sopa dos mais necessitados e a vida de quem trabalha para alimentar os deleites dos muitos monarcas repúblicos que reinam a seu belo prazer neste Portugal dos fartos-ricos e dos brandos costumes dos pobres. E perante os Sacrifícios me pergunto: O que é o Socialismo? O que é o Comunismo? O que é a Social-democracia? O que é a Democracia Cristã? O que é a Esquerda? O que é a Direita? O que são todos esses idealismos que se servem dos Sacrifícios alheios? Apregoam liberdade, exultam patriotismo, rejubilam nas suas palavras vãs os ideais de uma ética olvidada nos exemplos do tempo, e os Sacrifícios dos pobres continuam a nutrir os monarcas imperantes e os muitos lacaios desta Corte sem emenda e sem rumo certo.