sábado, 3 de julho de 2010

Para finalizar




Não havia necessidade de tanta troca e baldroca. Já toda a gente se enrolou com toda a gente. Como se não bastasse, e quando já todos tinham andado com todos, ainda meteram o casal de lésbicas. Aquele hospital, por vezes, mais parece um bordel.

By the way, nos hospitais reais também é esta pouca vergonha? É que se é, vou ter de começar a ter cuidado quando tiver que me deitar numa maca (não se vá dar o caso de apanhar com restos de fluídos corporais sabe-se lá de quem).

22 comentários:

Colorida disse...

Quem trabalha em profissões em que se fazem turnos e horários não convencionais, sabe que "toda a gente" se enrola. Eu trabalho em hotelaria e é assim, tenho amigas enfermeiras que trabalham em hospitais e é assim. Claro que a série leva ao exagero porque retrata um grupo pequeno de pessoas que se enrolam umas com as outras, mas garanto-te que acontece na vida real. Mesmo!

Andreiazita disse...

Não me admiro nada que aconteça mesmo na vida real. Na minha terra, há muita gente que trabalha num hospital e às vezes há com cada história por aí a circular... Pode não ser bem como as pessoas o contam, porque acrescentam sempre mais do que é na realidade, mas é verdade que há sempre casos e não são assim tão poucos.

Jeanette Zork disse...

Se andas a ver a 5º temporada, espera até chegares á 6ª e sobretudo aos 3 ultimos episódios dessa temporada...não a vejas sozinha, porque é imprópria para cardíacos.

Believe Me, I've been there...

Zork Kissis***

chu disse...

Sim, nos hospitais também é assim. Ou pior. E aqui só vês a parte do corpo médico; faltam os enfermeiros. Heheheheh

A actividade é tão stressante que precisam de aliviá-la de qualquer forma. :))

Pedro Almeida disse...

A avaliar pelos comentários acima os hospitais portugueses são piores do que era o Parque Mayer.
Por outro lado a ver se me lembro de não casar com ninguém que trabalhe num hospital...

ElePhUNk disse...

Sou enfermeira e tenho aqui que defender a minha profissão e o meu local de trabalho... O que se passa na série é um extremo da situação que se passa num hospital, mas situação essa que se passa em todos os outros locais de trabalho. Somos todos humanos e era bom que a pessoa certa aparecesse logo à primeira. Sabemos que a realidade não é essa. E é óbvio que existem pessoas mais promiscuas que outras, mas acontece em todo o lado. Se o fazem no hospital??? Duvido, não há salas assim com tanta privacidade, nem pra uma conversa quanto mais pra enrolamentos.

Ultima Thule disse...

A série é um extremo do que se passa na vida real. Mas sem dúvida que qualquer profissão que obriga a um contacto tão prolongado com outras pessoas....eventualmente algumas "histórias" se vão passar.

cronicasdeumatecla disse...

A anatomia de Grey é um exagero da realidade, como é óbvio. É uma "novela". Sou enfermeira e sei de algumas "histórias", que podem acontecer em qualquer outro local de trabalho...

Roxanne disse...

não! nos nossos hospitais não é nada assim! aquilo é um exagero!

Miss. Chocolate com Pimenta disse...

Eu já assisti a cenas que preferia não ter assistido. Uma delas, como doente, à espera de um raio x num serviço de urgência. Um médico e duas enfermeiras. Triste, muito triste. Senti muita vergonha....

Mas aqui em Inglaterra a coisa não é melhor, em nights out então é que a coisa aquece.

Beijos

Sahaisis disse...

meu deus, quanta fantasia para aqui vai...para mim que trabalho num hospital lamento desiludir-vos, essa então do médico com duas enfermeiras...yeah right...o mais hardcore a que chegamos será eventualmente quando descansos em salas mistas...valhamedeus...

Paula disse...

A história do morto e da Izzie foi mesmo forçada,não havia paciência.Mas com grande espento meu,gostei muito da sexta série(acabou na semana passada na FoxLife)...gostei do final e quero mais!Ora vai lá ver...

Dreia disse...

Posso te garantir que nem todos se enrolam!! Mas que há muita história cabeludíssima, lá isso há!!!
bjim

Dreia disse...

P.S- Mas por favor esqueçam aquele estereótipo que Dr. anda com todas as enfermeiras!! O mais habitual é haver casais enfermeiros!

Dreia disse...

P.S-(2):Estando eu em contacto directo com a vida hospital(o meu namorado, felizmente não), percebo que nasçam lá muitas relações, porque neste género de serviços, as equipas são muito próximas, e um hospital chega a ser uma mini cidade em que se vive e convive lá dentro...muitas vezes passa-se lá mais tempo que nas nossas casas!! Por isso não me espantam as relações, mas sim o quão impulsivo o Homem é, até mais que os adolescentes!

Dreia disse...

Em resposta à colega elepunk: Sim, acontece de tudo às horas mais inacreditáveis num hospital e sem muitos pudores!! Mas lá está...é como diz, acontece o envolvimento de pessoas num hospital assim como acontece em qualquer outra instituição!!

Spiddy Girl disse...

Pedro não vamos exagerar, "não casar com uma pessoa que trabalhe num hospital" essa é um bocadinho demais não??? Toda a gente sabe que aquilo é ficção!!!! No hospital não há tempo nem privacidade para falar, muito menos para chegar aquele ponto de intimidade... claro que se podem conhecer pessoas, mas isso acontece em qualquer local de trabalho e acredito que acontece com mais frequência em qualquer outro sitio, como grandes empresas. Assim te digo Kitty que te podes deitar descansadita nas macas que não vais encontrar fluidos corporais de ninguém!
E Pedro, não cuspa tanto para o ar, talvez um dia lhe caia na testa!!!

Antonio Branco disse...

já trabalhei em vários hospitais e centros de saúde e não dei por nada... mas reconheço que sou um pouco zarolho...

Lieh disse...

OMG ! Mas que grande novela para aqui vai ! Pior que isto só mesmo na própria série ! Por favor , os médicos dos hospitais portugueses estão longe de ser um Sheperd ou um Sloan , na sua maioria são velhos , barrigudos e mal-humorados ! As médicas no máximo dos máximos colocam uma sombra e rimel , um vernizito de vez em quando e sinceramente ! Antes não o fizessem , é que a bota não dá com a perdigota ! As enfeirmeiras têm olheiras de três ou mais noites/tardes/manhãs seguidas e os enfermeiros querem é assistir aos jogos de futebol numa horinha vaga , vão lá andar atrás das estafadas das colegas de profissão ! Os doentes morrem mesmo , não voltam para fantasiar com internas malucas ! E mais , têm na sua grande maioria 65 anos para cima , estão entravados numa cama , com escaras por todo o lado , e mal têm força para dizer bom-dia quanto mais para engatar médicas ou enfermeiras ! Enfim , é este o mundo real ...

ADEK disse...

Ah, não te preocupes, que os lençois são sempre trocados!:P

Poxa...há lá tempo para essas coisas no Hospital? A menos que eu seja muito tacanha, não tou bem a ver como a coisa se poderá processar... Uns flirts já vi, mas isso é em qq sítio!

Joana disse...

Adoro anatomia de grey, mas tenho de concordar que aquilo é um exagero :s

ffiffas disse...

Eu por acaso, que conheço muita gente que trabalha em hospitais, fiquei a saber que a série não está muito longe da realidade. É cada história mais escalabrosa!
De qualquer forma, se estás assim na 5ª temporada, espera até chegar a 6ª... que me deixou sem interesse nenhum na série com tanta confusão!