segunda-feira, 21 de junho de 2010

Famílias grandes


Isabella Rossellini (1975)

Cresci a pensar que ter muitos irmãos (tenho cinco) era uma tremenda seca. Uma chatice. Uma maçada. Nunca tinha presentes como os das minhas amigas que não tinham ou que tinha só um irmão. Nunca tinha brinquedos só para mim como as outras minhas amigas (pronto, tinha uma ou duas bonequinhas só minhas, o resto era de todos). Uma tremenda maçada. E os meus irmãos eram uns chatos, ainda por cima. E, como se não bastasse, eu andava sempre à porrada com o meu irmão que vinha a seguir a mim em linha crescente (eu sou a mais nova). Sempre à porrada. Sempre.

Hoje penso exactamente o contrário. Acho uma trizteza aquelas famílias pequeninas, com dois ou três gatos pingados à volta de uma mesa no Natal. Acho que uma família grande é um tesouro. Nos momentos bons estão lá todos para partilharem a alegria connosco. Nos momentos maus estão lá todos para nos apoiarem. Nos momentos maus, sobretudo, uma família grande que se apoie pode fazer toda a diferença.

20 comentários:

ffiffas disse...

Embora só tenha uma irmã, sem o que é ter uma família grande, porque tenho muitos primos que são quase irmãos. A família da minha mãe sempre foi muito numerosa e muito unida. No Natal estamos mais de 20 há mesa e também acho que seria uma infelicidade estarmos pouquinhos. E quando há algo a comemorar, lá estamos todos, em peso. Quando há algo a chorar, também e é isso que nos ajuda a ultrapassar os momentos mais difíceis como um que vivemos há poucos meses.

tiago disse...

Parecia que estavas a falar do Natais cá em casa. Pai, Mãe, Tó e eu. A minha Irmã, o marido e o filho dividem-se entre minha casa e casa dos pais dele...
Uma tristeza de Natal.

Silvia disse...

Estou de acordo. Na minha familia somos só 4 e mesmo assim muito pouco próximos, nunca percebi porquê. Sentia muita falta em pequena e julgo ainda mais hoje e por isso sempre quis ter uma familia grande. Mas já vou tarde. Trintona que sou, já não vou conseguir ter os 4 filhos que gostaria.

Marta disse...

Eu tenho uma familia grande e realmente é o melhor do mundo...estão sempre lá...para o que der e vier...Os irmãos, os sobrinhos...é realmente fantastico...
Então se for uma familia unida cm a mnh,é um orgulho...
Nunca estamos sozinhos,qd um sorri os outros ficam felizes,quando um chora,os outros tem uma mão,uma palavra e uma ajuda para dar...
Juntos sempre,nas alegris e nas tristezas...

Rita disse...

E é por pensar como tu que tenho 4 filhos e todos os dias lhes passo a ideia de que são e serão sempre os melhores amigos do mundo... mesmo com a batatada incluida :)

Ice Cream disse...

Eu só tenho um irmão, mas para compensar no Natal quando vou para casa da minha avó somos muitos tenho 9 tios todos casados e um monte de primos. Adoro familias grandes! :D

Helena Barreta disse...

Concordo consigo.

Na minha família, quando há motivos de tristeza, corremos em direcção uns dos outros e montamos um "quartel-general" e quando toca a festas e almoçaradas, que diga-se, é quase a um ritmo semanal, estamos todos presentes, a minha mãe, filhas, genros, netos, mulheres de netos, netas e maridos e bisnetos, somos 27.

Quanto a mim, não há nada melhor no mundo do que a FAMÍLIA.

Borboleta disse...

Desde que a minha mãe casou outra vez passamos a ser 6 cá em casa. Agora posso dizer com toda a certeza o que família significa. Os Natais têm muita mais piada, somos tantos que quase nem cabemos a mesa.

Rubi disse...

O problema e' que nao estamos a perpetuar essa 'riqueza'. Afinal, na nossa casa no dia a dia quantos se sentam 'a mesa? Ou so' nos, ou nos e o mais que tudo...

100 segredos disse...

Eu adoraria ter uma familia grande!

Teresa disse...

Sem dúvida!!!!

Daniela F disse...

Também acho que famílias grandes são um tesouro. No entanto, só assim é quando há realmente união entre todos. Caso contrário, mais vale poucos e bons!

Ariel disse...

Eu adorava ter uma famílias grande =(

***

Armanda disse...

As minhas 3 irmãs, 3 sobrinhos, 20 tios e 40 primos são a maior benção da minha vida :D

Precis Almana disse...

Tens razão. Eu só acrescentaria que uma família grande também aumenta as probabilidades de nos darmos mal, realmente mal, com alguma "ovelha ranhosa". E não me venham dizer que o sangue e a família valem tudo, porque infelizmente eu sei que não... Mas é muito bom haver crianças. E se fosse só eu, não haveria ;-)

Juanna disse...

Eu tenho 4 irmãos e não é por isso que me sinto melhor, aliás só tenho tido chatices. Bom, tudo isto para dizer que no meu bairro (muito Opus Dei) há imensas famílias com 5, 6 e 7 e até 8 filhos. Vejo as mães sempre grávidas, com um bebé "de la teta colgando", a tentar ordenar os restantes filhos, magras que até dói, mulheres de 30 e poucos anos e com caras de 50. Olho para elas e penso "sinto-me melhor por só ter duas filhas". Chacun à son goût :)

rosaamarela disse...

Olá bom dia!

Sou filha e mãe única, com mt desgosto meu, fui mãe tardia e não tive uma segunmda oportunidade, qdo eu era pequena tinha "tudo" incluindo mt amor, tanto amor que eu me questiono se sou capaz de dar o mesmo á minha filha, mas sempre soube que um dia iria ter um "défice" de amor qdo faltassem os meus pais e não tivesse irmãos para compartir, sempre vivi com uma nostalgia por antecipaçãp.

bjs

Vera disse...

Por isso é que tenho 4 filhos e tenho imensa pena de não ter condições que me permitam ter mais um ou dois ;-)
É a melhor coisa. Ter uma mesa grande, sempre cheia de gente!

River disse...

Que inveja :)

Paty Michele disse...

Concordo imenso contigo, Kitty. As vezes sinto pena do meu pequeno, que é filho único, e talvez o seja pela vida toda. Meus irmãos são meu tesouro maior, estiveram presente a vida toda, em todos os momentos e assim espero que continuem por longos anos.
Sds