sexta-feira, 18 de junho de 2010

E, como se não bastasse, ainda me encheram a casa de flores

Por vezes eu oiço pessoas dizerem que detestavam ser professores. Eu compreendo. É daquelas profissões para as quais se pede muita vocação. A vontade não chega. São exigidas muitas qualidades. Entre as quais a paciência, muita paciência. Além de mais, a profissão de professor deixou de ser uma profissão reconhecida pela maior parte da sociedade. Os professores hoje em dia estão reduzidos a uma cambada de gente que não quer fazer nada, que só tem é férias ... Por isso compreendo que haja muita gente que detestasse ser professor.

Não é fácil todos os dias. Mas a piada é essa. Eu, cada vez mais, adoro aquilo que faço. Sobretudo pelo prazer que me dá. Pelas gargalhadas que dou com eles, pelo crescimento deles a todos os níveis, pela ausência de rotina diária e pelo reconhecimento do meu trabalho no final de cada etapa.

Sei, tenho a certeza, que aquelas mais de duas dezenas de meninos lembrar-se-ão sempre de mim com um sorriso nos lábios. E isso não tem preço.

10 comentários:

Morcegos no Sótão disse...

É tão lindo! :)

Para mim, ser professor é a profissão mais importante de todas! Sim, eu sei que há os médicos, mas só chegaram a médicos porque alguém os ensinou a ler (e muitas outras coisas!).

Já me passou muita gente pela vida, mas poucos me marcaram tanto como a minha professora primária ou a minha professora de História do 3º ciclo (e devo o meu nazismo gramatical à minha fabulosa professora de Língua Portuguesa do 2º ciclo).

Um professor quando é bom, fica para sempre no coração.

Fico feliz por gostares tanto de ser professora. Acho que é algo que faz falta, dado o olhar de soslaio com que a sociedade vê a classe hoje em dia (como tu referes). Não é nada fácil, mas acho que poucas coisas valem mais a pena do que o deixar partir um grupo de miúdos e saber que partiram melhores e mais crescidos.

MJNuts

margarida disse...

Pois eu adorava ser professora! Quando era pequena não brincava com bonecas, nem carrinhos nem nada: brincava às professoras. Alunos só imaginários mas havia sempre qualquer coisa para ensinar.

2amigas disse...

Sempre sonhei ser professora, e se não me dedico a isso não é por falta de paciência ou vocação. É porque neste país cada vez há menos condições para se ser professor, o que está mal, mas não há nada a fazer.
Sophie

Genéve disse...

É verdade. Lembro-me das minhas 3 professoras da primária com um carinho muito especial e nunca as esquecerei.

disse...

Pois eu acho que é uma profissão maravilhosa e determinante na vida de todos. Antes de decidir seguir psicologia, ainda considerei a hipótese de ser professora primária - e seguir as pisadas da minha mãe - mas quis o destino pregar-me uma partida e apaixonei-me por esta área. Não me arrependo, nadinha mesmo, mas creio que se tivesse seguido a sua área, também não me arrependeria...

ordep disse...

Os professores do 1º ciclo, ficam sempre na nossa memória. Ainda me lembro dos nomes dos dois que tive, ao passo que os dos restantes ciclos, onde é que eles já vão! Foram muitos e só me lembro de alguns e nem todos pelos melhores motivos.O mesmo se vai passar comigo, sou professor do 3º ciclo e da disciplina mais odiada.
Aproveito para dizer que embora goste da profissão, se soubesse a volta que isto deu, nunca me tinha metido nesta vida.
Parabéns cara colega, pois hoje em dia há poucos professores satisfeitos com o actual estado da (des)educação.
Bom fim de semana.

pat disse...

Oi, cheguei aqui através do blog vai melhorar e sorri com sua postagem - tive uns professores tão geniais que um dia eu tentei ser professora ( artes ) e é verdade - é preciso MUITA paciência e MUITO equlíbrio. Adorei acada instante, mas ainda me falta equilíbrio principalmente.
Então a experiência foi boa, mas me recomendei não repetir. Parabéns, ser professor não é para qualquer um!

rosaamarela disse...

Lamento dizer que eu sou das que não tem boa impressão dos professores e não tenho uma só boa recordação, as que tenho são más...

Susana Canhola disse...

Ser professor não é mesmo para qualquer um e dizer que o mais importante é o reconhecimento no final de cada etapa, só significa que existe dedicação.
E é maravilhoso quando nos lembramos e recordamos a primeira professora, aquela que deixou marcas para toda a vida. Eu não posso dizer o mesmo e o meu aperto no coração diz-me que com o meu filho vai ser igual. E fico profundamente triste quando penso nisto.

Lieh disse...

É definitivamente uma profissão que exige muita esforço e dedicação. E nada melhor do que nos sentirmos apaixonados por aquilo que fazemos (estou longe de ser professora, até porque sou ainda aluna, de enfermagem, mas se estou onde estou devo-o a muitos dos meus professores e a tudo que me ensinaram).

P.S.: Amo o seu Blog xD