quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ainda o futebol



Esta coisa do quando ganham são os maiores, mas quando perdem são todos uma cambada de ignóbeis, vamos mas é dar-lhes porrrada, é coisa para me deixar nauseada. A sério. Não percebo este sentimento. Faz-me lembrar aquelas pessoas que só gostam dos outros quando eles estão bem. Nos maus momentos, quando as pessoas mais precisam, escapa cada um para seu lado, baixam a cabeça e ficam todos cheios de trabalho para ajudar seja no que for. É por isso que eu nunca poderia gostar de futebol. Não pelo desporto em si, mas pelo sentimento que anda à volta dele. Não sei se acontece noutros desportos também, mas no futebol é notório. E não são só os adeptos mais ferrenhos das claques que o fazem.

(Sintam-se à vontade para me apedrejar, mas tenham em conta que eu tenho uma pele sensível e que já tenho cicatrizes que cheguem.)

18 comentários:

Vegan Wolf disse...

Já fui jogador, daqueles com inscrição na federação e o diabo a sete, já ajudei a criar uma claque que ainda hoje continua. Deixei de gostar de futebol. Não do desporto (mas a esse quase ninguém liga) mas do ambiente que se vive em volta dele. Os romanos tinham o circo com leões e gladiadores, o povo de hoje tem estádios de futebol. E quando perdem, não apontam com o polegar para baixo, fazem e dizem tudo o que podem ou lhes deixam. Ainda assim, o nosso seleccionador foi um anjinho. Tinha vontade de lhe chamar pior mas isso era dar-lhe demasiada importância. =)

rosaamarela disse...

O melhor jogador deste mundial, EDUARDO, que humildade, que riso, que personalidade !!!! Os guarda-redes têm “um não sei quê” qualquer coisa que me agrada.

bjs

tiago disse...

"Nos maus momentos, quando as pessoas mais precisam, escapa cada um para seu lado, baixam a cabeça e ficam todos cheios de trabalho para ajudar seja no que for."

Peço desculpa, peguei nesta pequena frase que escreveste, e creio ser esse o problema, mas é um problema que começa dentro do próprio campo. Por vezes são mais crueis os jogadores que o povo!

margarida disse...

Concordo tanto!
Quando foi do 7-0 já éramos os maiores e ai Portugal e ai que orgulho. Eu acho que o jogo foi bom, já chegámos onde outras equipas bem mais favoritas não chegaram. Não se pode ganhar sempre, que coisa. Eu fiquei orgulhosa pronto. Mas se calhar é só o meu coracão cheiinho de saudades a falar.

Smurf disse...

seja onde for, é sempre assim, infelizmente! Passar de bestial a besta é tão rápido que acontece em menos de 1/2 segundo! Concordo com rosaamarela. O Eduardo é sem dúvida o melhor jogador do mundial. não é só de técnica que se faz um bom jogador.

prada disse...

Tive o mesmo tipo de sentimento
Trata-se mesmo de uma cambada.
Aplaudo-te!

mara disse...

Quando um médico não faz bem o seu trabalho é chamado à responsabilidade. Quando um advogado não faz bem o seu trabalho é criticado, até a kitty, que é professora, se não fizer bem o seu trabalho vai ter de se justificar. A selecção não é excepção! Se jogassem por amor à camisola entao tudo o que viesse era bom! Mas não... jogam a peso de ouro! Por isso se não cumprem tem de ser criticados como nós, simples mortais!

Girls Next Door disse...

Claro que isto do apedrejamento nao é no sentido literal, estamos é todos tristonhos por termos uma equipa fantastica e ela nao ir mais longe, muito devido a uma falha do treinador. beijinhos

Andie disse...

Concordo contigo. Contra a Coreia eram os maiores, agora são umas bestas. Por isso, é que eu não fiquei demasiado entusiasmada com essa vitória, achei mesmo que podiam ter guardado 2 ou 3 golinhos para quando fizessem falta. A verdade é que passamos à fase seguinte à pala desses 7 golos. O Queiroz nunca me inspirou confiança, o Ronaldo na selecção é uma nódoa, as substituições nunca tiveram pés nem cabeça...enfim...Até podíamos ter perdido como perdemos, mas que tivéssemos mostrado sempre garra e querer! O que não se viu! Tenho muita pena do Eduardo e talvez do Coentrão e do Meireles, eles sim mereciam muito mais.

Menina do Norte disse...

Acho que é assim em todo o lado. Se fizeres um bom trabalho vão-te elogiar. Se fizeres asneira, vais para o olho da rua. O futebol não é excepção. É um desporto de paixões que quem não gosta não entende.

Um Beijinho*

Roxanne disse...

Oh Rapariga, o problema não foi perceber! Foi a selecção ter lá ido passear o esqueleto em frente à Espanha e não terem feito nada para ganhar!

JAV disse...

E quando é um homem a expressar isto?
Apedrejamento colectivo e ostracismo imediato. Para não falar de uma adjectivação não menos pejorativa. Mas eu arrisco.

alexandra disse...

Para ser sincera, até achei que a selecção vinha mais cedo para casa.

Nunca dei um caracol por esta equipa, fiquei foi surpreendida ter durado tanto.
Quem não cria ilusões não tem desilusões.

rosaamarela disse...

Carissimas,

Estão a esquecer-se de uma coisa, a selecção de Espãna, não é uma selecção, com tudo o isso traduz, É METADE da equipa do Barça, que treina todos os dias, joga todas as semanas, ainda fazem peregrinações mundiais juntos e ainda são amigos uns dos outros...

besus

Susana disse...

Eu, pessoalmente, adoro futebol, vibro com futebol e adoro a festa do futebol. Mas, quando se perde, paciência, outros foram melhores. Também não entendo essa atitude que a maioria dos adeptos tem, sempre com 2 pedras na mão, prontas a atirar quando as coisas não saem bem.

Enfim, daqui a dois anos a festa continua, no Euro2012.

João disse...

fica descansada que daqui não sai nenhuma pedrada, porque me estou borrifando para eles e para este fenómeno bizarro, que muito resumidamente e bem, mencionas.

Trintão disse...

Isso é o "Povo"... Psicologia de Massas... O Povo é volátil.

Quanto a algumas pessoas que criticam é natural pois já há muito se sabia que só uma golpada de sorte podia levar Portugal a fazer um brilharete. É que o Queiroz é um péssimo Líder Técnico e já muita gente adivinhava isto ou até pior...

Há também o direito à crítica das pessoas que com certeza é mais agudo quando as coisas correm mal e os técnicos e jogadores falham...

ffiffas disse...

Nest não foi bem o caso, porque o Queiroz nunca foi o maior... e só se estava à espera que ele caísse para se afirmar que era uma besta.
e o problema não foi ter perdido com quem perdeu, que até não esperávamos mais, etc. O problema foi terem perdido muito bem, porque chegara, ao campo cheios de medo. Não lutaram, principalmente quando perdiam (excepção ao Coentrão e ao Eduardo)... e é essa falta de vontade, de empenhamento que é grave...