terça-feira, 16 de março de 2010

Pergunta da Semana # 15 - Com tanto divórcio, ainda faz algum sentido casar?


Blake Lively e Chace Crawford em "Gossip Girl"

Eu, embora nunca tenha sonhado com o véu e com a grinalda, embora não seja adepta dos casamentos tradicionais (se falarmos em casar em Las Vegas, o caso já muda de figura), acho que o casamento ainda faz muito sentido quando estamos muito apaixonados. Convém é ser levado a sério e convém não desistir dele à primeira contrariedade. Infelizmente, é o que acontece na maior parte dos casos.

36 comentários:

Allie disse...

Tal como tu não sonho com o casamento tradicional. Apesar de tudo, casar faz sentido se sentirmos dentro de nós que é para toda a vida e queremos estar ligadas aquela pessoa não só no nosso coração mas na sociedade.

Mami disse...

O mal é que muita gente quando sonha em casar só pensa no dia da festa,esquece que o importante é o resto, são todos os outros dias em conjunto.

Precis Almana disse...

Há muitos anos que desisti completamente. Na verdade, nunca quis realmente...

rosaamarela disse...

Parece-me que não sou da tua opinião... paixão " é uma coisa do outro mundo" casamento é algo de sério, um compromisso entre duas pessoa,boda é a festa.

A maior parte das pessoas não sabe distinguir.
BOM DIA!

Clara disse...

na edição dos 20 anos do público foi publicada uma estatística do divórcio nos últimos 18 anos: de 12% [em 1990] para 60% [2008] - dados da pordata, o site de estatísticas de portugal.

60% é pensar que quando alguém casa a probabilidade de se divorciar é maior do que a de ficar casado. é muito. é assustador.

para quem já passou por um divórcio [como eu] pensar em casar de novo é quase um salto de olhos fechados por cima de um penhasco apenas com um cordel fininho à cintura [e no entanto concordo com o teu parágrafo final, tipo imenso ;))].

Jojozinha disse...

Claro que depende muito das pessoas, eu não quero casar (para já tenho esta ideia), mas posso mudar de ideias quando encontrar alguém que me faça acreditar que vale a pena! No entanto, hoje em dia também dou muito valor à minha individualidade e se calhar não gostaria de casar enquanto não tiver a certeza, coisa dificil de se conseguir ter!

algodãozinho disse...

Não morrerei se não casar de véu e grinalda, mas que gostava, gostava :)

Silk disse...

O casamento fará sentido enquanto houver amor... enquanto cada um de nós acreditar que é aquele/a, que é desta, que é diferente...
Casamos porque acreditamos.
E amar é também acreditar.
Eu sou divorciada há 11 anos.
Neste momento não faz sentido para mim casar tradicionalmente.
Mas já fez. E adorei cada minuto daquele dia que ainda recordo como um dia feliz.
E adorei cada minuto de casada que correu bem.

Vee disse...

Vale, principalmente à segunda. Os segundos casamentos têm uma taxa de divórcio menor. :D

Filipa disse...

Casar faz sentido...já que meti num enrredo desse ha pouco mais de 3 meses...lol...e apesar de nao achar grande piada ao casamento tradicional compreenda-se "boda" com vestido de noiva, veu, ramo,e todos os adereços que uma noiva tradicional tem direito, e mais uma festa enorme...o casamento na igreja sempre sempre foi requisito, porque isso para mim sim faz parte do camento, lá fui eu qual noiva simples qual quê....foi uma festa enorme bem maior do que eu alguma vez quis...deu imenso trabalho imensas dores de cabeça, mas por um lado foi bom para eu e o meu agora marido já nos irmos habituando a gostos diferentes às varias cedencias que tivemos que fazer pela boa convivencia...Confesso que por mim tinhamos ido os dois mais os pais a igreja e casavamos...mas cedi e no final de contas diverti-me imenso na festa...
Agora a vida a dois, claro que faz sentido...e daí a minha primeira frase...a vida a dois é uma experiencia diaria, em que ha discussoes, sorrisos, zangas, gargalhadas e depois a noite há um abraço reconfortante antes de adormecer! e como isto já vai longo só espero que a vida nao me faça mudar de ideias.... :)

amor disse...

O casamento ainda é uma instuitição que deve ser vivida; porquem a quer viver com sentido responsável..e não o contrario..

beijos

Clara disse...

vee, os segundos é que são, não é? também acho isso. há uma outra preparação para a coisa.

Me disse...

Claro que sim!... porque achamos sempre que connosco vai resultar! E enquanto esse for o sentimento, valerá sempre a pena casar!

Mi disse...

Kitty, posso argumentar a respeito do casamento como algúem que o vive!

Me casei aos 19 anos de idade (à 22 anos atrás) e hoje tenho certeza que fiz a melhor coisa, pois não tenho em casa um "marido", tenho um amante e meu melhor amigo, pau pra toda obra que me conhece como mais ninguém e se empenha para me fazer feliz!

Não imagino minha vida longe dele, as vezes sonho que ele morreu, ou alguma coisa do gênero e acordo molhada com às minhas lágrimas.

Gosto de gostar dele.

Também não comecei um relacionamento com a lógica, se não der certo a gente separa - não, começamos para dar certo! E até agora está dando.

Um grande beijo, seu blog é um fofo!

Prezado disse...

Para mim acho que passa por uma questão de encontrar alguém sentido de humor para tal. Se eu me desse ao trabalho de casar, seria com uma gaja doida ao ponto de perceber que o faria no gozo. E isso é que era paixão.

I. disse...

Eu dei o salto de que fala a Clara e não me arrependo. Dez anos depois de ter casado pela primeira vez.
Se o primeiro meteu festa e tudo, foi quase tradicional (só não tivemos igreja) e acabou de uma forma também já "tradicional", o segundo foi como quisémos e porque quisémos. E está-se muito bem, e recomenda-se.
(é verdade que mete medo dar este salto, mas à segunda é que é)

SillyTalk disse...

E qual é a diferença entre casar e viver junto? Uns papeís e entregar os IRS em conjunto?

Marisa disse...

Se amarmos alguem verdadeiramente vale a pena, sim!
Mas casamentos tradicionais com direito a vestido, igreja, convidados e festa não é para mim. Preferi algo mais simples, mas com o mesmo significado

So_Riso disse...

Convém é não ir já com o pensamento de que o divórcio está ali só a um passo.

http://so_risoincognito.blogs.sapo.pt/

madeMOIselle disse...

Claro que faz sentido. Todo o sentido.

Concordo com a rosaamarela.


E acho que quem tem esse tipo de discurso é quem nunca sentiu vontade de construir algo, porque ai normalmente as coisas mudam e a palavra "compromisso" ganha um novo sentido, tão doce, tão doce :)

ainda hás-de por aqui um post com outra opinião, vai ver :)

disse...

Eu só acho que as estatísticas valem o que valem e se as taxas de divórcio aumentaram e bastante, é porque as pessoas passaram a ter coragem de saltar fora de uma relação que não as faz felizes, ou porque o amor acabou. Nos anos 80 e anteriores, quem se divorciava ficava etiquetado para a vida, era mal visto. Hoje em dia já não é assim e isso leva a que haja mais coragem para assumir algo que nunca é fácil para ninguém, mas que por vezes, é a única solução. Por isso as taxas são maiores? Sem dúvida que sim, mas provavelmente as taxas dos casados felizes também será outra. Casar? Sem dúvida, quando se ama outra pessoa e quando sentimos que o devemos fazer. Ninguém casa a pensar que se vai divorciar por causa de estatísticas.

R disse...

Divorciei-me em Janeiro, de um casamento de 11 anos.
Mas, ainda acredito no amor e se fizer sentido, porque não casar? Juntar? Fazer festa... etc

Beijinho
(gosto do teu blogue!)

R_UNIT disse...

Tem que haver muita certeza que realmente é com aquela pessoa que queremos partilhar o resto da nossa vida, isto para não sermos mais uns nas estatísticas dos divórcios.

Paulo Nunes disse...

Faz sentido se o homem:

-Não pensar que o casamento está garantido:
-Não pensar que fica a ver TV e a mulher a fazer tudo em casa:
-Se esforçar por agradar e não entrar na monotonia e pensar que ele é que manda e decide.
etc

Faz sentido se a mulher:

-não meter makakinhos na cabeça a pensar que vai ser uma escrava em casa:
-ser mãe dá trabalho tanto para ela como para ele (nos 1ºs meses é mais para ela e.. se quiser ter filhos, pq mtas n kerem ser parideiras)
-pensar que a vidinha boa de liberdade vai acabar, agora pensa-se a dois e nao apenas no seu umbigo.
etc

estas são algumas bases entre mtas outras! tudo na vida tem os seus momentos bons e maus. No namoro pode-se mandar o outro à fava...mas no casamento temos que viver nos bons e maus momentos, fazer um esforço para que resulte! esta é a chave do sucesso.
beijinhos

Lena disse...

As estatísticas são o que são! Já me casei e divorciei duas vezes. Hoje digo que não volto a casar. No entanto continuo a acreditar que vale a pena e faz sentido!

Atena disse...

Eu não sonho com casamento e alem do mais nem gosto dessa palavra lool!!

Nunca quis casar nem quero!!

O casamento não passa de um contrato celebrado entre duas pessoas e como tods os contratos podem ser quebrados!!

Capitão Microondas disse...

A conclusão que retiro, com a experiência de vida acumulada, é que o casamento em si não é o problema mas apenas uma condição que exacerba o verdadeiro problema para o qual caminha a nossa sociedade: toda a gente acha que ama, mas a verdade é que já poucos amam a sério. O amor não tem nada a haver com essas listas que se vêem por aí do "ele tem que me fazer isto" e o "ela tem de ser assim". O amor é. É amar alguém, e quando amamos alguém podemos estar ou não apaixonados, ir e voltar, aceditar mais ou menos, mas o amor não morre facilmente. O que existe muito hoje é "tesão do mijo", numa era em que quase todos nós nos habituamos a ter depressa e sem chatices, porque se há chatices muda-se para outro objectivo. E aplicamos isto ao amor (que sendo assim não o é). A chatice, a reconstrucção, o lutar contra a maré não só faz parte do amor como é alias o território em que este se comprova. Acharmos que amamos quando está tudo um mar de rosas é fácil, sentirmos que amamos quando está tudo na merda mas sabermos que o que vivemos não modifica o sentimento de base que temos por uma pessoa é que é o teste, e esse é um teste que quase ninguém hoje em dia passa pois... não sabemos amar. O primeiro sintoma do amor não é o tesão. É o perdão.

Su disse...

Tenho esse sonho, casar em Vegas! Adorava mesmo! Mas assim uma coisa inesperada, nada programado! Enfim acho que será impossível!

A NaNi disse...

Olá Kitty! Se vale a pena ou não, acho que depende das pessoas. Há quem sinta vontade de passar o resto da vida com uma pessoa,abdicar de coisas típicas de pessoa solteira, fazer as coisas em conjunto e lutar por objectivos semelhantes (eu sou assim)e há quem preze a sua individualidade acima de tudo e que não esteja disposta a ceder em nada. Assim é difícil. O casamento é uma coisa a 2 e vai ter que o ser para sempre, se for para durar.

Beijinho

omundodanani.blogspot.com

Flor disse...

Se houver amor, o casamento faz todo o sentido...Sempre :)

A Força Suprema disse...

Boa. É isso mesmo. Sem dramatismos, mas é um facto: vivemos a era do "eu mereço (...)"....e merecemos, mas temos que nos esforçar para isso.

Projecto de Blogger disse...

Dizem que a principal causa do divórcio é o casamento.

O casamento, hoje em dia, será cada vez mais encarado como uma transacção comercial, invés de um acto de reconhecimento perante Deus (caso se opte pelo religioso) ou perante a sociedade (pelo civil), da decisão de duas pessoas viverem juntas, para constituir família (ou não)(ou partilharem uma economia comum). Whatever...

De qualquer forma, o casamento, seja qual for a modalidade escolhida, não é sinónimo de romance. Na minha singela opinião, será quanto muito sinónimo de compromisso, cedência, paciência (como aspectos menos bons) mas também de cumplicidade, companheirismo e, muito importante, amor (como aspectos menos maus).

Será mais ou menos óbvio que, entre lençóis (caso a casa não tenha aquecimento central ou ar condicionado), convém que as coisas corram bem, mas isso nem sempre é o mais importante e com o passar do tempo até acredito que vai perdendo a seu peso na relação(no entanto não se deve menosprezar a sua importância na mesma).

Voltando ao tópico, penso que as pessoas divorciam-se por uma miríade de razões, mas pelo que observo à minha volta, será pela correria que estes dias de hoje nos demandam, pela intolerância, falta de paciência, como mas acima de tudo pela facilidade com que se conhecem pessoas hoje em dia. Será, com as ressalvas devidas, consequência do paradoxo da escolha.

Claro que nem tudo se resume a isto, mas tenderá para. Digo eu. Até nem sou casado... (mas um feliz(mente) amancebado).

Sapatos e Chocolate disse...

Os meus pais divorciaram-se a mais ou menos 2/3 anos e sinceramente a minha vida melhorou imenso. Hoje a minha mãe é casada, para além de ter mais dois maninhos, tenho uma melhor relação com o meu padrasto de que com o meu pai. Se sonho com um vestido branco e véu? Nem por isso, mas não é por isso que vou deixar de acreditar no amor...

Sentimento de Mim disse...

Fazer sentido até faz, tanto aos olhos da Lei, como da Religião. Mas principalmente deverá fazer sentido aos olhos (e de preferência) e no coração de quem se casa.

rosaamarela disse...

Tive uma GRANDE PAIXÃO que durou muitos anos da qual nasceu uma filha, NUNCA me quis casar… mas agora à noite faz-me FALTA um marido na cama.

Good luck

Cátia disse...

Boa pergunta!!!!

Olha que penso mt nisso...mas no fim, fico sempre com a ideia de que sim, ainda faz sentido casar. Pelo menos para mim. Eu vivo com meu namorado e sei mt bem o que é viver 24h com uma pessoa, viver com as suas virtudes e principalmente com os seus defeitos, por isso, sei bem que o casamento é mais do que um simples dia, isso é só o principio de uma grande jornada. E devo dizer que é uma jornada com altos e baixos...mas no fim o balanço é sempre positivo, com os momentos felizes a dominarem por completo os momentos mais atribulados. Por esse motivo e porque sou mesmo mt romantica, adorava casar...com vestido branco e td a que tenho direito. Não é preciso ser um casamento de gala, mt tradicional, com igreja e 300 pessoas convidados, mas uma coisinha modesta, só com os amigos e a familia mais proxima deixava-me mt feliz.

Olhem podem chamar-me de tola, mas ainda tenho a ideia de que é bonito assinalar o amor entre duas pessoas, perante a familia e os amigos.

****Catz****

Parabéns!!! Gosto do blog, vou começar a seguir.