quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Pergunta da Semana # 11 - As mulheres são mesmo mazinhas umas para as outras?



Trabalho num sítio que se pode considerar um paraíso. Sobretudo em matéria de colegas. Adoro toda a gente. Mesmo. Cada pessoa à sua maneira. Cada uma diferente da outra. Todas completamente adoráveis. Se precisar de um qualquer favor, vêm logo quatro ou cinco para mo fazer. Há magia ali. Por isso quando me dizem que muita mulher junta dá confusão, e quando me vêm com aquela história horrível, deprimente, vergonhosa, inadmíssivel, de que as mulheres são sempre cabras umas para as outras, eu encho-me de urticária e desato logo a responder que não, que não é bem assim. É que continuo a achar que mais do que mulheres e homens, há pessoas. E, lá está, há pessoas boas e pessoas más.

32 comentários:

Caty disse...

regra geral são... eu também nunca tive razão de queixa em qualquer um dos sitios que trabalhei, mas que há casos terríveis há!!

Sei lá, acho que sobretudo o problema de umas é "dor de cotovelo", o de outras "porem-se a jeito para"... e depois lá vai que num belo dia "zangam-se as comadres e descobrem-se as verdades"... e é vê-las ora aos abraços, ora aos beijinhos...

mas sem dúvida, mais do que uma questão de sexo, nacionalidade ou religião, é uma questão de formação cívica e moral e infelizmente anda por aí muita cobra(male and female) à solta!!!

Adoro o teu blog!!

Nuno disse...

Isso são os problemas das generalizações! :)

Beijitos,
Nuno.

Francisca disse...

Eu gosto mais de trabalhar com homens!Muita mulher junta dá confusão. E eu sei do que falo!!!

MIM disse...

No geral, são... Não nos deixemos enganar pelos sorrisos e pela ajuda prestada, porque na primeira oportunidade estão a cravar a faca nas costas.
Lamento a crueldade das minhas palavras, mas sou mulher e tenho amigas e sei como as coisas se passam e acredito piamente que o meu grupo de amigas não seja muito diferente dos outros grupos...
No entanto, acredito que na maior parte das vezes não seja por maldade, está-nos no sangue e entre conversas sobre roupa, sapatos, malas, estado da economia e afins lá aparece a conversa sobre aquela pessoa que não está presente. Também não quero dizer que falemos sempre mal, mas acredito que temos uma aptidão natural para escamutear o que achamos que está mal.

Finotti, Mariana disse...

concordo! o mundo te oferece o que você oferece a ele! se vc oferece amizade verdadeira, em troca também receberá! e tem coisa melhor do que amizade assim? não não há! e é por essas e outras razões que a vida vale a pena! =)

camaleoa disse...

Na sua maioria.... diria que SIMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM!!!!

Já vi muita coisa desse género... Ahahahahha

:))

I. disse...

Trabalho só com mulheres e adoro as minhas colegas. Se calhar tive sorte, mas a verdade é que isto é uma maravilha, nada de invejites nem calhandrices nem nada. Damo-nos bem, colaboramos, e assim é que se está bem.

Teresa disse...

Claro! Por aqui é igual!
E há homens e homens, caramba! ;-)

ffiffas disse...

Concordo a 100% contigo. E falo por experiência porque também eu trabalho com imensas mulheres. E sem problemas, ambiente fabtástico. Mas já tive que lidar com um local de trabalho cheio de homens e eles eram horriveis,não comigo, uns com os outros. E vejo pelo trabalho do meu marido que os homens são bem mais cuscos, e tem problemas com alguns homens e com algumas mulheres. Ou seja, acredito que muita gente do mesmo sexo - homens ou mulheres - potencia a competetividade e a mesquinhez, mas essencialmente depende da personalidade das pessoas.

Silk disse...

Em teoria subscrevo. Também tenho a sorte de trabalhar num sítio com muito bom ambiente. Contudo, porém... Há uma grande parte da empresa que está sob a direcção de um homem. Abrange vários departamentos que são maioritariamente constituídos por mulheres. Elas falam mal do chefe pelas costas, todas o acham falso, perigoso e desprezível. O homem é um parvalhão, não tem jeito nenhum para lidar com mulheres, aparece e larga piadolas brejeiras, a roçar o ofensivo. E elas rendem-se! Parecem umas míudas de liceu a disputar a atenção do chefe! E as que não são tanto assim, vão por arrasto com medo de serem postas de parte. Eu costumo chegar cedo e é comum ver o tal director a tomar café SÓ com os homens do departamento. Clube do Bolinha...

Anônimo disse...

Já não li isto algures??

Feiticeira disse...

Nao todas mas algumas sim! Como homens, eu no trabalho já tive que lidar com o demo em pessoa e uma pessoa sobrevive...

Agenda de Mulher disse...

Olá, eu acho q são. As mulheres são mais de tricas e nicas, e diz q disse, os homens chateiam-se, dizem o que tem a dizer e passado um bocado já estão nos copos a rir uns com os outros, as mulheres pensam logo na maneira de pagar na mesma moeda.
Bjs

Agenda de Mulher disse...

Olá, eu acho q são. As mulheres são mais de tricas e nicas, e diz q disse, os homens chateiam-se, dizem o que tem a dizer e passado um bocado já estão nos copos a rir uns com os outros, as mulheres pensam logo na maneira de pagar na mesma moeda.
Bjs

Cate disse...

Por isso é que não gosto de generalizações. Também trabalho num sítio onde a maioria são mulheres e sinto-me muito bem. Pelo contrário, uma amiga minha trabalhou recentemente num lugar onde as mulheres eram todas umas cabras. Há pessoas e pessoas, umas mais bem formadas que outras.

Marisa disse...

Isso é um assunto que tem muito a dizer. Depende de cada um e acima de tudo, depende da nossa sorte com as colegas de trabalho.
Na minha secção trabalham eu e mais 2 homens e até hoje nunca tive motivos de queixa, dou-me melhor com eles do que me daria com mulheres

Woman Once a Bird disse...

Na minha opinião, as mulheres não são nem piores nem melhores com os homens. Mas temos a cartilha bem ensinada: aprendemos que somos mais cuscas, mais fúteis, mais intrigistas, mais sentimentais, menos espertas, menos proactivas...
A melhor defesa é o ataque e nós aprendemos muito bem a nos desvalorizarmos em função do género.
Kitty, percebo bem o seu ponto de vista: no meu ambiente de trabalho, as mulheres não são nem melhores nem piores que os homens. Mas repete-se muito este preconceito pelos corredores, tal como o outro de que as mulheres na chefia são piores que os homens. Não são nada, apenas se espera que sejam maternais e cuidadoras e quando não o são, são diabolizadas. Quando aprenderemos a despirmo-nos de tudo isto?

Olhos Dourados disse...

Eu acho que há de tudo!

Anônimo disse...

Olá
Gosto muito do seu blog e quantos mais conheço e leio é sempre com o seu que comparo...é simples, inteligente, divertido, etc.
Parabéns
Maria Santos

TiTó disse...

É verdade há pessoas boas e há pessoas más e ruins.

bjs

Atena disse...

Dos sitios onde trabalhei posso-te dizer que sim!!!
Não são todas, mas a maior parte sim!!!

Por outro lado com homens nunca houve nenhum confusão!!!

=)

joana disse...

Há mulheres e Mulheres...

Patrícia disse...

Pois eu não acho nada disso, issopara mim é um mito do caraças inventado pelos gaijos para as mulheres se zangarem e eles curtirem à brava

Mak, o Mau disse...

Isso é tão linear como dizer que os homens são, na sua maioria, gente de má índole.

Corre-se o risco de generalizar, embora haja uma boa probabilidade também de estar certo...

Ou não.

Cláudia disse...

Na minha opinião o problema não está no facto de serem homens ou mulheres mas sim boas ou más pessoas e (aproveitando para comentar o post anterior), quando são más pessoas, o pior que pode acontecer é serem daquelas que acham que todos são iguais a elas, isto é, más essoas;consequentemente são também desconfiadas e, se forem invejosas (o que não é de todo exclusivo das mulheres!) podem tornar a vida à sua volta num verdadeiro inferno.
Tenho uma boa amiga, daquelas que ficam contentes quando eu estou bem e tristes quando estou mal mas não estamos juntas muitas vezes,a maior parte dos meus companheiros de viagens e conversas, confidentes e "compreendedores de alma" sempre foram homens! Alguns, com quem nunca houve sequer a intenção de "qualquer outra coisa" e que me apoiaram em alguns dos piores momentos da minha vida com palavras que ainda hoje me enchem os olhos de lágrimas...e que também escreveram coisas lindas sem qualquer motivo especial, que me ofereceram livros maravilhosos cuja escolha revela um carinho desmesurado, que não tinham vergonha de demonstrar sentimentos, que me diziam que o seu objectivo de vida era fazerem feliz a mulher da vida deles (perdoa a redundância!) e a profissão era tão só mais um acessório para esse efeito; alguns conseguiram e, engraçado, são os que mais se destacam a nível profissional, outros nem tanto, outros ainda procuram...e ajudam-me tanto a não perder a fé no ser humano quando nos deparamos com as supra descritas!

Brisa disse...

Miss Kitty Fane,
Por fim, resolvo-me a comentar.
Também me causa urticária a imediata generalização de que nós, mulheres, somos más por natureza. Não é verdade. As cabras são burras e mal-formadas; as outras são um primor. No reino dos homens é precisamente o mesmo: há uns muito fixes e depois há os machistas, os engatatões e os quadrilheiros (se dizem que elas são as rainhas do diz-que-disse, é porque ainda não se cruzaram com um homem destes!) Já trabalhei com grupos de todos os tipos. Os meus melhores chefes até hoje foram duas mulheres (em alturas diferentes). Como alguém disse e muito bem, não há homens ou mulheres, há pessoas merdosas e pessoas como deve ser.

cristina disse...

pois...a isso chamo eu de ingenuidade. Também pensava assim no meu antigo emprego(90% eram mulheres), era tudo maravilhoso, todas lindas , todas umas queridas, até que, um belo dia, fui "escaldada" pela minha própria chefe. Não consegui dormir nos dias que se passaram pla "injustiça". Sim, é tudo um paraiso, até alguem nos acenar com a realidade. ´Por essas e por outras é que, nas próximas vezes, terei mais "cautela" e inteligência a lidar com "pessoas".É que, da mesma forma que nos surpreendemos com as nossas próprias reações, tb é válido em relação à atitude dos nossos "semelhantes".A isso se chama de maturidade. Nunca ouviste a expressão: carneiro amigo, anda tudo ao mesmo? :) pois é...isso tanto é válido para a politica como para a vidinha dos conterraneos

LuLu disse...

Oh oh oh que grande tema..

Já apanhei de tudo mas o que realmente aprendi é que há trabalho e amizades e eu não as misturo.

Quando estou no local de trabalho, praticamente falo de trabalho e cinjo-me às minhas obrigações. Quando chega o horário do almoço ou da saída lá me desinibo mas nem comento nada do trabalho. O que lá ficou, ficou.

Comigo não há o "disse que disse" e tento nunca misturar, o que é certo é que fiquei com boas amizades depois que mudei de emprego mas continuamos a "dividir as bolas".

Não creio que seja uma característica de género. Acredito que seja uma característica de pessoas mal formadas e sem muito para ocupar a mente. São pessoas que têm uma vida e um íntimo por preencher e então há que preenche-lo com o que de mais fútil existe.

Um abraço!

so_risoIncógnito disse...

Na minha opinião são! E regra geral em sitio que são postas à prova devoram-se muito mais que tentam unirem-se para vingar ambas...

Sentimento de Mim disse...

As mulheres quase sempre são más umas para as outras. Em matéria de gajos ou de trabalho, principalmente. Não suportam que sejam melhores que elas, mais bonitas ou mais inteligentes. Então se for tudo isto junto, temos guerra. Tu que trabalhas numa escola e onde habitualmente estão pessoas com diferentes funções esbate-se um pouco a rivalidade. Mas há tenha que trabalhar em equipa com pessoas que não conseguem aceitar a igualdade ou a superioridade e isso é muito mau. Considera-te uma privilegiada.

Guerreira disse...

Concordo quando dizes que existem pessoas boas e pessoas más, não necessáriamente só mulheres ou só homens. Claro que existem excepções, mas por acaso existe muitos casos assim, aonde trabalha muita mulher é confusão na certa, neste momento trabalho só com homens, mas na altura do meu estágio, a maior parte era 90% mulheres e digo-vos metia medo, pareciam animais às vezes, é certo que eu fui parar assim a uma terra um bocado mais no interior, eu sabia sempre quando chegava a minha coordenadora, era quando elas se calavam, porque até lá, estavam a "cortar na casa" forte e feio, mas como sabia que o meu tempo ali não ia ser por muito tempo, então ficava quieta no meu canto, mal abria a boca durante o meu trabalho :) mas por ex ando num ginásio que é só de mulheres e já andei num ginásio misto, mas prefiro sem duvida o que é só de mulheres, além de ser mais divertido, não temos "bois" ao nosso lado aos berros, prestes a rebentarem, porque estão a pegar em não sei quantos kilos, que parece que foram atacados por um enxame de abelhas, porque estão todos aos altinhos (musculos), bem defenidos tudo bem, uns musculuzitos ainda aceito, agora armários, não a sério, isso não, o que é de mais é erro. Mas voltando ao assunto :) uma coisa é certa as mulheres são muito mais cabras que os homens, as mulheres quando lhes calcam os "calos" ui ui, eu falo por mim, eu sou a melhor amiga amiga, aliás às vezes deixo de fazer para mim, para ajudar os outros, mas se me calcam os "calos" é melhor fujir, sou do pior que há, sei que devia ser meio termo, mas não consigo!! Como diz uma amiga minha que quando eu estou furiosa e começo a "descascar" em alguém é "espeto a faca e rodo, rodo..." :)

Anônimo disse...

Bem pessoal, só queria convidar-vos a virem conhecer o meu local de trabalho.... é só gajas, em que a chefe é gaja...

É a minha primeira expericência de trabalho e estou mortinha por sair daqui...desde o primeiro dia que entrei aqui, as que cá estavam tiveram o dom de separar logo as águas, não houve cá misturas...e começou-se a jogar o jogo do elo mais fraco... estarão a perguntar como assim?

Pois é, as mulheres (e eu que sou mulher) tem o dom de manipular tudo e todos, fazerem-se amigas, para depois na oportunidade certa espetarem o ferrão. O ideal mesmo era haver um homem no meio desta gente, isto porquê? Acho que os homens (alguns, não vou generalizar) não ligam as mesquilhices/ aldrabices/ cusquices que as mulheres tem o prazer de promover, são neutros, não tomam partido de A, B ou C...

Acho contudo que isto resultou do facto de eu não ter cedido a manipulações (devo acrescentar que não sou a única que está nestas circunstâncias, tendo-se criado 2 grupos), das quais não lembram ao diabo, então fui vista como o alvo a abater... e por adiante, chegando-se em alguns casos ao ASSÊDIO MORAL...

Espero que esta experiência profissional seja única e que nunca se repita...e não desejo a ninguem mesmo...