quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

É nisto que eu quero que acredites


Penélope Cruz

Era um dia de Junho. Um dia quente. Tão quente. Havia greve de camiões e o país estava à beira da loucura. Lembro-me de o médico me ter dito que eu ia ser operada, depois ia fazer tratamentos e depois ia ficar bem. Iam fazer tudo para que eu ficasse mesmo bem, dizia-me ele. Eu estava de rastos. As estudantes de medicina que costumam estar lá na sala também estavam. De certeza absoluta que se puseram no meu lugar - mas como é possível uma rapariga assim tão nova estar a passar por isto? - eu teria feito o mesmo. Pediram ao médico para sair porque estavam mal dispostas. Foi então que o médico me disse que eu era a segunda rapariga nova que naquele dia tinha uma daquelas notícias. Mas vai ficar bem, repetia ele. Disso não duvide. Estava calor. E eu sentia frio. A minha amiga S. que tinha ido comigo estava a chorar quando eu saí. Eu é que tive de a consolar. É que eu nem chorar conseguia, tal não era o novelo que tinha dentro de mim. Hoje rimo-nos com aquilo. Eu é que ia passar por aquilo tudo e ela é que chorava. É tão chorona que, por vezes, só me apetece bater-lhe. Eu saí e só me lembrava daquelas palavras dele - vai ficar bem. E acreditei nisso. Apesar dos maus momentos, correu tudo bem. É nisso que eu quero que tu acredites neste momento. Que vai ficar tudo bem.

17 comentários:

Anônimo disse...

Os maus momentos físicos serão mais facilmente combatidos e ultrapassados com uma boa capacidade psicológica, ou seja, com bom ambiente e frescura mental.

Estou viciado no teu blog e gosto.
Mo

Su disse...

Mesmo não sendo para mim este post, assim que o acabei de ler vieram me as lágrimas aos olhos. Porque eu preciso mesmo de acreditar que vai ficar tudo bem!

Kikas disse...

é preciso nunca perder a esperança! odeio quando me dizem 'a esperança é a última a morrer', mas é verdade.. mesmo sendo realistas e pensando que pode sempre acontecer qualquer coisa de mau, se um médico (que, regra geral, é bastante objectivo, se for competente) diz que vai ficar tudo bem, há que acreditar :)

Lady disse...

è preciso acreditar, espero que acabe td bem..Bjinhos

Miss Kitty disse...

Lindo o post... sentido.

Espero que fique tudo bem.

**

Marta disse...

Porque uma atitude positiva é meio caminho andado para que tudo corra realmente bem!

Paula F M disse...

E é tão verdade isso! ;) Eu sou a prova http://signedbypaulaminnemann.blogspot.com/2009/08/capitulo-iii-1-parte.html

Ana Patrícia disse...

Acho que este teu post vai ajudar muitas pessoas. E agradeço-te por isso.

Alexandra disse...

O positivismo compensa. Nem sempre mas mais que o negativismo.

Boa sorte e tudo de bom para ti e o(a) visado(a).

Helena disse...

Quando falta a saúde é difícil manter a calma e tranquilidade, mas é muito importante palavras de ânimo e esperança e acreditar que se consegue dar a volta.

Espero que tudo corra pelo melhor ao destinatário desta mensagem.

Um beijinho

Helena

margarida disse...

:'(
Beijinhos

Miss G. disse...

Mas há alturas em que não é fácil pensar assim. Sei que tu sabes isso muito bem. E no entanto é muito preciso acreditar.

wednesday disse...

Muitas vezes o acreditar parece que faz milagres... temos é de ser positivos e olhar em frente... :)

Precis Almana disse...

Cada minuto, hora e dia em que acreditamos que vai ficar tudo bem é um minuto, hora e dia que a doença não nos conseguiu tirar.

Silvina disse...

Também tive um médico que antes de me operar me disse que eu ia ficar bem, que ia fazer tratamentos e ia correr tudo bem. Acabei os tratamentos ha 4 dias. E acho mesmo que vou ficar bem. Força e coragem para o teu amigo (ou amiga)!!!!!

Marieine disse...

Quando nem se tem a certeza onde o mal reside, é muito dificil ser-se optimista. E quando a pessoa em questão sempre foi pessimista, não há nada nem ninguém que lhe tire os maus pensamentos nem lhe anime o espirito. Como se já não bastasse estar numa incerteza, nem sequer tem às condições que esperava que tivesse (sistema de saúde sobrelotado é uma coisa mesmo fofa).
Lamento ser a única a fazer um comentário mais negativo..

de resto, adoro o blog e vou continuar a acompanha-lo

Esperemos que fique mesmo tudo bem

LuLu disse...

Caiu uma pedra no poço do meu sentimento. Fez um estrondo.

Quando eu recebi a notícia sobre o meu problema de saúde, nem sei descrever. Até hoje, passado 1 ano ainda não sei pôr por palavras o que era tudo aquilo.
Ninguém me olhava nos olhos e dizia o que ia acontecer depois. Fui operada mas ainda não me livrei.

Houve pessoas que sairam do meu caminho ao saberem, outras aproximaram-se. Hoje estou mais forte mas choro. Como agora chorei.

Um beijo doce e um abraço forte!