segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

A vida é muito curta para ser assim desperdiçada


Foto de Solve Sundsbo com Gisele Bundchen

Há mulheres que se tranformam por um homem. E isso dá cabo de mim. Mulheres independentes e cheias de confiança que se tornaram nas pessoas mais inseguras e mais dependentes do mundo. Mulheres que gritavam aos sete ventos que não eram empregadas de ninguém e que agora se transformaram numa criada para todo o serviço dos namorados/maridos. Mulheres que estão dois ou três dias bem com os seus amores e depois estão três ou quatro semanas a fazer perseguições, a ver telemóveis às escondidas, a cheirar roupa, porque têm a certeza que eles as andam a trair. Mulheres inteligentes que, de repente, se sujeitam aos caprichos de um homem que não perde uma para as rebaixar diante dos outros, ainda que, palavras dele, esteja a brincar com elas. Todos nós conhecemos algum caso destes. Eu conheço vários.

É óbvio que ninguém tem de andar sempre feliz e apaixonado. É evidente que as relações não são fáceis. Mas será que vale a pena isto? Será que não é melhor seguirem outro caminho? Será que não é melhor tentarem encontrar um homem que as leve ao colo, em vez de as deitar para baixo, um homem que as mereça e que as trate bem? É que, afinal de contas, a vida é muito curta e os homens não são todos iguais.

19 comentários:

margarida disse...

:'/

Podem não ser todos iguais, mas são muito parecidos.

Vitor Frazão disse...

Apercebas-te ou não acabas de descrever a estupidez da condição humana e irracional tendência para ceder a liberdade em detrimento do desejo de aceitação.

http://cronicasobscuras.blogspot.com/

Paula disse...

Gostei... aliás, adorei este post!

Também conheço alguns casos assim... acho que o medo/pavor da solidão que as "obriga" a adoptar essa postura, na realidade não se apercebem que conseguem o efeito contrário, com muita mágoa, insegurança e desonestidade à mistura, para já não falar na auto-estima que fica nas lonas, das bocas ditas e ouvidas que destroem o pouco que resta, enfim... é por aí abaixo, na minha opinião, quando as coisas entram nesse sistema.

Felizmente encontrei quem me traga ao colo... quer dizer, também não pode ser sempre... 90 Kg não facilitam a tarefa!

;)

Maçã e Canela disse...

Concordo ctg

LDS disse...

Todos muito parecidos? Voçês mulheres pintam mesmo um cenário .... Até parece que são todos assim.
Há um monte de argumentos que refutam essa ideia, mas não os vou estar a enumerar todos, basta dizer que isso é mais um preconceito que as mulheres tem em relação aos homens ... (Não estou a dizer que o contrário também não se verifica.)

Abraço,
LDS

ANA disse...

Concordo com cada palavra!

Anônimo disse...

Estava a começar a acontecer-me isso. A vida em comum durou 10 meses. Com muitas discussões, que eu sou cá rapariga para calar?!

Agora, vida nova. Irra, siga caminho com passo largo...
E acrescento que, realmente, o sentimento mais próximo do amor é o ódio. Se há uns meses era o que sentia, odeio-o por tudo o que tentou fazer-me, de mal. Mas felizmente ainda fui sábia para não o permitir. Estou bem melhor agora e toda a gente devia não ter receio de fazer o mesmo. A vida não acaba por causa disso!

De resto, muito bom post :)

Beijinhos Kitty!
Cátia Afonso

Paulo Nunes disse...

Porque é que será que essas mulheres inteligentes acabam dessa maneira? se calhar muitas vezes por desespero....eu conheço muitas assim :)
Não acho bem serem escravas e á disposição do homem, mas uma coisa é verdade, mulheres muito independentes, com mania que são elas que mandam etc etc... têm sempre dificuldade em arranjar parceiro. Sim já sei... o homem tem mentalidade do seculo passado, mas a realidade é esta! ainda vai demorar muitos anos.. até que o homem moderno aceita essa diferença! são cada vez menos... mas ainda existem muitos assim!
Eu não sou assim... mas tambem te digo... mulheres com nariz empinado e com mania que são elas apenas que controlam a relação... vão logo de patins! :)
Beijinhos

Fuschia disse...

Concordo.Não há como não concordar.

Mas, tenho a certeza que a maioria das mulheres que falas, se lessem este post também concordariam.

Onde quero chegar é que, o grande problema dessas relações, é que muitas delas, não se apercebem da dependência que têm dos namorados e das relações. Só vêem isso nas outras mulheres e nas outras relações. Nunca nas delas. As outras é que são tontinhas e têm maus namorados.

Só quem está de fora consegue ver. E quem está de fora não pode mudar nada.

Anônimo disse...

os homens não são todos iguais

Quanto às mulheres não sei... mas quanto aos homens tenho a certeza: os homens NÃO são, de facto, todos iguais!
Existe uma grande e fundamental diferença que separa os homens:
- existem homens que gostam de mulheres atrofiadas...
- existem, pelo contrário, homens que consideram que as mulheres devem ser quanto mais livres e independentes melhor... isto é: se a pessoa que está ao nosso lado se sente bem com isso... tudo bem; caso contrário, mais vale estar sozinho.

siceramente disse...

dito e feito! tu andas a melhorar :D

Catarina disse...

Costumo dizer "se estás apaixonada, vive isso. Se não estás, ainda melhor". Acho que os homens, na sua generalidade, fazem isso numa tentativa de se afirmarem, porque sabem que as mulheres, de alguma forma, lhes tocam em todos os seus pontos fracos. Elas sentem que a culpa é sua, rebaixam-se. E depois? Vem a sensação de desespero. Rebaixam-se mais ainda. Eles sentem-se mais homens. É a tristeza das relações e da impotência dos homens assumirem que são fracos, que também falham e não conseguirem lidar com isso.
Mas se nós, mulheres, assumirmos as nossas posições, metermos o emocional de lado e formos um bocadinho mais racionais em determinados momentos, há coisas que os superam...
A culpa não é das mulheres.Ninguém pode achar isso. Há sempre culpa de parte a parte. Culpa delas porque acham que fizeram mal, culpa deles porque agem sem pensarem no porquê das suas acções.

Remeto para o texto http://aeiou.expresso.pt/nos-cedemos=f549300 que fala precisamente desta posição das mulheres face às atitudes dos homens.

E para http://recuperardasdependencias.blogs.sapo.pt/4106.html que de certa forma ajuda a perceber o porquê de continuarmos a agir assim...

Em parte, faz parte dos padrões da vida dos nossos avós... Mas já começam a aparecer as Sarahs ("single, rich and happy"), mulheres completamente independentes, de fazer inveja a muitas mulheres presas.

Faz falta o carinho de um companheiro, o amor. Mas que isso não seja símbolo de perdemos o amor por nós próprias.

Z...! disse...

...(retomando o comentário da Margarida)parecidos, principalmente nos defeitos!

Mas talvez as mulheres tenham também culpa, pois muitas vezes anulam-se perante os namorados/maridos ou adoptam os comportamentos que referiste (e outros tantos que conhecemos...).

Vivemos nums época onde o sexo é fácil e acessivel, descomprometido. Mas dificilmente se encontra alguém genuíno que se possa abraçar.
Ora, tudo isto gera insegurança, sentimentos mal resolvidos, e muita solidão.
O facto de se encontrar alguém é associado a ter-se um rumo na vida. Oiço muitas vezes a expressão: ele/ela é a minha vida. Quando, na verdade, um relacionamento, por mais maravilhoso e profundo que seja, não é a resolução dos problemas.

Oh...
mas que atire a primeira pedra quem nunca errou;-)

Boa semana!
(mais "nadas" em inesgotavelsouvenir.blogspot.com)

Inês Sofia disse...

Verdade :x

S. disse...

Conheço alguns casos onde as mulheres se transformam naquilo que não são, perdem a sua personalidade, aquilo que as fazia especiais por homens que provavelmente as vão deixar porque se não aceitam como elas são nunca as vão aceitar, não há futuro numa relação assim.

Lorelai disse...

Para mim já nem é somente a questão de o homem em questão as tratar bem ou não (ainda pior quando as trata mal, claro). O que me choca de qualquer modo é alterarem-se por um homem. Às vezes no espaço de semanas ou mesmo dias, de uma forma que ao fim de um mês ou pouco mais já não resta nada da pessoa que antes ali morava. É triste, mesmo muito triste.

O verdadeiro amor e a verdadeira felicidade não vêem às custas de sacrificarmos toda a nossa identidade. Mas isto digo eu - e que sei eu, não é verdade?

Bárbara disse...

Homens e mulheres são IGUAIS numa coisa... na suprema necessidade que sentem em estar acompanhados, há o pavor de se estar sozinho, como alguém dizia!

Há mulheres assim, mas também conheço alguns homens que eram independentes, super racionais e "depois" se tornaram inseguros e completamente dependentes!

É a natureza humana! Que fazer... o desejo de aceitação que nos é muito próprio e inculcado desde a infância, infelizmente, a isso nos parece obrigar!

Felizmente, ainda há quem não pense assim... bem-vind@s ao clube dos inconformandos com a natureza humana! =)

Ricardo B. disse...

E quando a mulher tem um homem que não se cansa de a carregar ao colo mas que, ainda assim, o troca pelo melhor amigo? Desperdício ou nem por isso?

Vim ler-te pela primeira vez e, logo após o post sobre "se é ou não possível uma mulher e um homem serem os melhores amigos", li este. Não resisti a comentar.

Vou continuar a aparecer. Talvez vos entenda melhor... ;)

Anônimo disse...

Boa tarde a todos! Antes de mais, concordo com o que se tem dito acima!
Também não resisti em comentar. Mas a minha situação é exactamente da que se fala no post.
Estou numa relação com o homem que amo e muito! O homem por pensar no qual tenho arrepios... Mas, entendo muito bem que não é a pessoa certa p me fazer feliz. Ele é daqueles "machos" que não passa despercebido e que consegue ter ao seu lado qualquer mulher, basta querer!!
Estamos juntos há um ano. Primeiro como "amigos coloridos". Passando mais de meio ano passamos a ser namorados. Mas, até agora ele nunca me disse que me amava (o que eu respeito mas não consigo aceitar), nunca me dá a mão (diz que não gosta de andar de mãos dadas), sempre que vamos a algum lado ele põe-se a olhar p os lados e "pás gajas boas". Uma X que eu não sou propriamente a bruxa com uma verruga, talvez muito pelo contrario, sinto imensos olhares de homens quando ando na rua (e até de mulheres, o que acho um pouco incomodativo). Temos discussões umas atrás das outras com o meu querido namorado. Sim porque eu mudei muita coisa por causa dele. Mudei quase todos os meus comportamentos, pontos de vista, vestuário etc. Isto tudo acaba por destruir aos poucos a minha personalidade. Várias X que já lhe falei em terminarmos com a nossa relação. Ele não quer! E eu feita apaixonadinha-tapadinha rendo-me aos paleios e continuo a sofrer.
A minha pergunta é: será que eu sou completamente tapada pelo amor e mesmo não se sentindo bem com a pessoa que amo, devo continuar ao lado dela p não me afundar no mar de lágrimas?
Sim, tenho medo de terminar a relação. Tenho medo de sofrer ainda mais por saber que ele nunca mais vem ter comigo, nunca mais me telefona, nunca mais o vejo......