quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Vamos tapar o sol com a peneira e vamos fingir que combatemos a obesidade infantil

As empresas prometem apenas afastar da TV, no horário das crianças menores de 12 anos, os produtos que tenham sal, açúcar ou gordura em excesso.

Mas quem é que decide o que as crianças comem, é a televisão ou são os pais? As crianças comem o que os pais lhes dão e o que têm em casa. Obviamente que se tiverem pacotes de batatas fritas, chocolates, gomas, em vez de apenas fruta, por exemplo, é isso que elas vão comer. Obviamente que se os pais lhes mandarem, diariamente, para o lanche na escola um bolo em vez de um pão ou de um iogurte, é isso que elas vão comer.

16 comentários:

Fuschia disse...

Concordo e acho que é uma maldade ter a dispensa cheia de bolachas, bolos ou cereais carregados de açúcar e dizer "a menina não pode comer!!".

O exemplo vem sempre de cima.

Miss. Chocolate com Pimenta disse...

Chamo a isto negligência e faz-me cá uma raiva!!
Uma criança obesa será um adulto obeso, cheio de problemas de saúde, com alto risco cardiovascular e com a morte a espreitar a cada esquina....
Bjs.

mãeee disse...

Concordo plenamente! Já ouvi o resmunganço da do meio, que é das poucas no recreio que nunca leva bolos ou bolicaos, ou manhãzitos, ou batatas fritas, ou gomas, ou chocolates, para o intervalo! Como?
Para o intervalo? meio da manhã e meio da tarde?
Em casa, estas coisas estão reservadas a festas, piqueniques, e, de vez em quando a algum fim de semana!
Mas parece que os maus somos nós, porque anormais!

Chila Camomila disse...

É verdade! Tenho uma prima com excesso de peso e apesar de todas as chamadas de atenção da médica de família, continua a fazer todas as vontades á miuda (com 7 anos). Ainda o outro dia chateava a mãe que queria ir ao Macdonald's (mais uma de muitas vezes), e a mamã lá lhe fez a vontade... na hora do lanche da tarde o pai levou-a ao Macdonald's. Depois de tudo isto, vejo a minha tia a sair para ir a uma pizzaria buscar uma pizza familiar, para o jantar! Chamei-a á atenção e qual foi a resposta dela? " Tu não mandas na minha carteira, eu é que sei!"
A educação dos filhos reflecte em muitos casos a educação dos pais. A educação alimentar não podia ser diferente...

Anônimo disse...

Não podia concordar mais! Tal e qual!
Agora é moda culpar os professores, a escola e a tv de tudo o k acontece cm as crianças mas nunca se lembram k quem tem de dar educação sao os pais! Esses sim têm obrigação de educar e zelar plas atitudes dos filhos... Irrita-me tanto agora esta historia dos miudos q andaram aos tiros, entao a escola é q tem culpa d o miudo ter levado a arma?? Para mim os culpados sao aqueles que permitiram que a criança tivesse acesso a essa arma! Mas pronto.. Parece que o nosso povo tenta sempre empurrar as culpas para outro lado...
: )
by: juh

Ana Ribeiro disse...

Sou nutricionista e trabalhei durante um ano num serviço de pediatria. Há histórias que deviam ser o suficiente para retirar a guarda duma criança aos pais. Segui uma criança de 7 anos, que foi submetida a um transplante hepático devido ao excesso de gordura lhe ter provocado uma cirrose, e q os pais continuavam a achar q o miúdo n estava assim tão mal. É necessário mudar comportamentos e consciências. Não é fácil, mas é bem possível. A culpa da má alimentação das crianças é dos pais, avós e restante família que continua a pensar que gordura é sinal de saúde.

Mnemósine disse...

Fora os refrigerantes em vez da água ou sumos naturais.

Alexandre disse...

Concordo! Os pais é que têm de lidar com a alimentação dos filhos!

Frutinha disse...

Nem mais!!!
Ate nos adultos se tivermos doces em casa acabamos por cair na tentaçao e nos atufulharmos disso. Quanto mais as crianças.

prada disse...

Primeiro sensibilizar os pais e até dar formação em nutrição, no minimo quando engravidam, era bom para os pais e os filhos, mas enfim.. estamos cá!

Miss me disse...

Faz-me lembrar o governo espanhol que pretende combater os distúrbios alimentares passando os anúncios a produtos diatéticos apenas de madrugada...

Ainda não perceberam que há um grande trabalho de consciencialização a ser feito.

neobuxer13 disse...

Por um lado dizemos que si, mas por outro enchemos carros de guloseimas no supermercado. Haja dinheiro.

Ana Luísa disse...

Nem mais! Aliás começa tudo em casa e começa tudo desde bebé... Os hábitos alimentares familiares são muito importantes e se não for em casa, não é a publicidade que vai "fazer mal"...
Até breve!

Anônimo disse...

Primeiro parabens pela escrita gosto imenso de te ler.
Por vezes nao e assim tao facil,ha 1 ano que estou a viver em Londres e e completamente de loucos tentar fazer uma alimentaccao saudavel.
Nas escolas em Portugal as minhas filhas tinham sopa e depois mais 1 outro prato e sempre fruta ou iogurtes,aqui sao elas que se queixam que na escola todas as semanas ha lasanha,pizza,douradinhos e hamburgueres.Eles ate comem depois bastante vegetais crus mas assim elas nao gostam.
Eu faco o possivel para compensar em casa com uma alimentaccao mais portuguesa e saudavel mas a verdade e que ja engordaram as 2 um bocadinho.
Agora aumentaram as actividades desportivas para ver se da resultado vamos ver...
Peco desculpa pela falta de acentos mas a culpa e do teclado ; )

Jade disse...

Não tenho filhos, Kitty, e sou bastante radical no que diz respeito à educação das crianças, até porque, dando aulas, tenho exemplos flagrantes do que são meninos estragados de mimo, meninos obesos e também o oposto, meninos negligenciados e mal-tratados. No entanto, acho que a publicidade também é um meio de influência fundamental e concordo com a medida, sabes porquê? Porque deve ser muito difícil dizer a um filho "os teus amigos comem mas tu não", mesmo explicando porquê, mesmo educando para a saúde. Não se trata de ser ou não exigente, trata-se de toda uma cultura social e aí, sim, restringir a publicidade é um começo. Juntamente com a supervisão parental e a educação na escola.
Beijinhos

Ana disse...

Oh Kitty, nem os chocolates lhes perodoamos, coitadas?