quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Que susto

Ainda não recuperei do susto. Preparava-me eu para sair da sala e vir para casa, quando ouvi um estrondo. A dona N. - auxiliar de acção educativa - que subia as escadas carregando com ela o balde cheio de água, a esfregona e um pano, caíu por ali abaixo. O nariz ficou aberto e a testa com um grande galo. Lá fui eu com a minha colega para o Centro de Saúde com a senhora que não quis que nós chamássemos a ambulância. Saímos de lá uma hora depois. Confesso que cada vez admiro mais as pessoas que trabalham neste tipo de sítios. Lidar diariamente com as fragilidades da vida e com a morte não é, definitivamente, para mim. Aquele cheiro a doença deixa-me logo nauseada.

5 comentários:

prada disse...

Teres de lidar com isso ao fim dum dia.. mas, por hoje já fizeste uma boa acção!

Clau disse...

Chiça.... que a primeira palavra que me ocorreu quando li começa por F...

Anônimo disse...

Não será "Assistente Operacional"?

Lady Bennett disse...

Não se ganha para sustos desses, continuo a não saber como consigo reagir em certos momentos...

Quanto ao pessoal hospitalar... tendo gente de família na área da Saúde, digo que, de facto, não é fácil. Só que há sempre o outro lado, o lado de quando ganha a vida e a saúde e não a morte ou a doença :)*

Dive disse...

Não me imagino a trabalhar noutra area...:)