sábado, 24 de janeiro de 2009

Um dos meus alunos parece que descobriu a pólvora neste dia

Sim, eu sei que sou muito conservadora no que a asneiras diz respeito. Sei que há pessoas que as dizem a torto e a direito. Mas cada pessoa tem o direito a usá-las quando lhe apetece. Não aprecio de todo o seu uso frequente e diário, mas cada um sabe de si.

Mas daí a aparecerem num dicionário Académico da Porto Editora, pequenino, destinado a crianças dos primeiro e segundo ciclos, as palavras c******o, c***a (sim, sim, são essas que estão a pensar) e afins, vai uma grande distância. Isto é normal? Digam-me se isto é normal, por favor, antes que eu avance já com uma queixa para a editora.

Adenda: Eu sei que este tipo de palavras é usado por grandes escritores, eu sei que elas fazem parte da nossa língua. Mas estou a falar de um dicionário destinado a crianças, pequenino. Não é um dicionário qualquer. Além de mais este é mesmo o único que existe no mercado (de entre os destinados a crianças) que tem este tipo de palavras. Daí o meu espanto. Só por isso. Mais nada do que isso.

39 comentários:

Ana C. disse...

Não posso acreditar! Normal realmente não me parece. Não terão eles feito uma montagem só para te pregarem uma partida? É a única hipótese que vejo. E prepara-te para mais, porque eles ainda só se debruçaram sobre a letra C.

Gingerbread Girl disse...

Well... the pequenino se torce o pepino?!? ... =D

Olha... não sei se será normal se não.

Uma professora da 4ªclasse leu O Meu Pé de Laranja Lima aos alunos... um dos clássicos da literatura brasileira e em que aparecem palavras como put* por exemplo.
Não sei até que ponto isso fará mal a uma criança... I mean... já todos eles conhecem as palavras em questão, apenas estão proibidos de as dizer.
Só sei que todas aquelas crianças ADORARAM o livro... riram, choraram, aprenderam... e tenho a CERTEZA de que aquele livro as marcou para a vida.
Nenhum pai protestou...
Cada criança tem de crescer e evoluir por si... não podemos pretege-las de tudo.

Saltos Altos Vermelhos disse...

a sério????? realmente não é normal!

.: Mr Brightside .: disse...

a partir do momento a que uma palavra é usada por muita gente, passa a fazer parte da lingua, e daí até estar nos dicionários é um passo.

creio que p**a tb já lá consta. Mas pensa positivo, poucas crianças leem os dicionario à procura de palavrões... digo eu...

.: Mr Brightside .: disse...

ps: n é nos maias que temos cenas de sexo bem implícitas entre o Pedro(acho que era Pedro) e a própria irmã? E isto já depois de ele saber que ela era irmã!! Não queres processar antes o estado português? :p (estou a brincar, obvio)

Escondida disse...

A Gingerbread Girl disse que cada criança tem de crescer e evoluir por si, pois, eu tb concordo.

Mas têm mesmo de evoluir por si, não pelos dicionários.

Eu não concordo com esse dicionario, acho que aumenta ainda mais a linguagem incorrecta.

Eu tambem uso asneiras, mas só em casos de "descontrolo" ou em brincadeiras entre amigos.

Enfim! Acho que quando eles chegarem ao auge da adolescencia, já irão utilizar tanta linguagem incorrecta, que poderiam evitar que ela comece a ser utilizada com eles tao novinhos!

Bjs

Sanxeri disse...

Aparece mesmo? O mundo está perdido... lol

dualitate disse...

Sinceramente o que me surpreende não é a inclusão dessas palavras num dicionário académico.
O que me surpreende pela negativa é o carácter negativo e moralista tanto do post como dos vários comentários. Considero que tanto a autora do blog como supostamente, pelo menos a maioria das pessoas que o comentam tenham uma formação cultural (nem falo em académica, porque essa hoje já não vale o que valia) ampla e diversificada. Por isso a mim choca-me sim, a opinião que essas palavras não deveriam lá estar.
A minha humilde opinião é que que deviam ler mais.... pesquisar... saber a origem entomológica dessas palavras, perceber que são usadas por grandes escritores, em grandes clássicos há séculos.

Para isso, e para não terem muito trabalho, aconselho-vos apenas a leitura de um livro muito bom denominado "sete minutos" do Irving Wallace e que fala precisamente deste tipo de polêmica.

Pode ser que aprendam qualquer coisinha =)

Um beijo enorme

Espiral

p.s. e viva a liberdade de expressão =)

Kitty Fane disse...

Trata-se de um dicionário para crianças, só por isso. Não é um dicionário normal. Além do mais este é mesmo o único que existe no mercado (de entre os destinados a crianças) que tem este tipo de palavras. Daí o meu espanto.

Mr Brightside o que têm os Maias a ver com isto? (ah ok estás a brincar)

Ervi Mendel disse...

Eu acho muito bem (claro!) e não vejo qual é o problema. Com quatro ou cinco anos eu já conhecia essas palavras e vivia num mundo em que o acesso à informação era muito mais limitado.

Compete a pais, professores e formadores incutir naturalidade/ normalidade na coisa.

Eu sou apenas tio, e como tal as minhas obrigações são outras: deseducar, avacalhar e subverter. Sou bom no que faço.

Angelik disse...

Não!
Eu não acho nada normal... mas como os tempos correm já nada me espanta!
Beijocas

Anônimo disse...

A miss Kitty Fane tem muitos preconceitos, parece adepta daquele ensino em que não se fale sobre "as vergonhas" e se esconda factos da história também, como aquele rei que era impotente e até a crianças recorreu para tentar levantar o membro. O saber não ocupa lugar e quer-me parecer que a si perturba é o significado e não a forma das palavras.

P.S- mas continuo a achá-la uma mulher deslumbrante.
Marco Acates.

Anônimo disse...

Esse é um erro frequente de professores. Se lerem o que diz no site da Editora veriam:

"O Dicionário da Língua Portuguesa, da colecção Académicos, é o dicionário recomendado para os estudantes de Português do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário."

3º ciclo e ensino secundário! Se os professores não sabem o que dizem e recomendam esse dicionário para alunos mais pequeninos ou se os pais não se informam sobre o que compram para os filhos a culpa não é da Editora de certeza!

Carolina

Anônimo disse...

PS - E para os professores e pais que possam ler este blog, os dicionários aconselhados para idades mais pequenas são o Dicionário Básico da Porto Editora ou o Dicionário Escolar da Porto Editora.

Anônimo disse...

Olha estou estupefacta com o teu post, não esperava saber uma coisa dessas e mais estupefacta fico com alguns comentadores, Decididamente há uma geração rasca, á qual eu não pertenço nem os meus filhos .Lamento e acho que deves fazer sentir o teu repúdio. Parabens pelo teu blog e sempre que puderes traz para aqui assuntos que ajudem as pessoas a reflectir um pouco.

apipocamaisdoce disse...

Porque é que terminas sempre os teus posts com letras pequeninas, quase a pedir desculpas por teres opiniões próprias? O que é que interessa o que os outros pensam do que tu pensas?

dualitate disse...

"Decididamente há uma geração rasca."

Adorei. Pelos vistos por ter uma opinião diferente lá fui incluída numa tal geração... Eu e quem deu uma opinião diferente.

E que eu tenha percebido não ofendi ninguém com as palavras que disse. Não chamei ninguém de rasca.

Também adoro anónimos =P Especialmente os moralistas e os que julgam ser superiores (incluindo claro está os seus queridissimos filhos).

Sim, agora talvém já esteja a entrar no campo do insulto. Mas eu não começo batalhas, mas sou bem capaz de as acabar.

A senhora anónima que muito se indignou com opiniões diferentes alargue os seus horizontes. E não desate logo a chamar "rascas" aos que têm opiniões diferentes das suas.

Kitty acho bem que continues a expressar o teu ponto de vista. =)
Também acho que não valia a pena pores adendas.

Beijo ao mundo

Espiral

Teresa disse...

Eu tb sou conservadora nesse aspecto. Por norma, não utilizo palavões e, sinceramente, desagrada-me que os outros os utilizem na minha presença.

Contudo, a sua existência e utilização são factos. E como factos que são, não podemos isolar as crianças do contacto com esta realidade.

Cabe-nos a nós, pais, transmitir valores e hábitos comportamentais - e digo-o enquanto mãe de uma crinça de 7 anos, a quem procuro transmitir, o melhor que posso, as noções de 'certo' e 'errado'.

Em suma, não vejo problema na inclusão destas palavras em qualquer diccionário. Oportunamente, deveremos também associar-lhe um valor moral e de comportamento.

Beijinhos,
T

dualitate disse...

Ah, e só agora é que reparei que as letras pequeninas foi por causa do que eu disse. Eu não pus em causa os teus conhecimentos Kitty, Simplesmente para explicar o meu raciocínio tive que expor alguns argumentos.

Não me choca a integração dessas palavras num dicionário. Mas, como provavelmente a ti também te acontece, choca-me o uso ordinário que é feito delas. Também não as uso no meu dia-a-dia.
Mas o seu significado por si só não tem nada de ofensivo.

Beijo beijo outra vez ^^

Sónia

Anônimo disse...

Desculpa a intromissão...

Dualitate, secalhar querias dizer outra coisa quando escreveste entomologia...

do Gr. éntomon, insecto + lógos, tratado

s. f.,
Zool.,
tratado dos insectos.

O mais provável é quereres dizer:

etimologia


do Lat. etymologia < Gr. etymología


s. f.,
parte da gramática que trata da origem e formação das palavras.

Cumprimentos...

Anônimo disse...

Dualitate devia ter um pouco mais de bom senso e capacidade de saber ler o que indignou a kitty .Se gosta dessa forma de estar na vida continue e bom proveito. Defenda o indefensável e viva feliz e já agora aprenda a ser um pouco mais democrata.
Fiquemos por aqui ok?

Kitty Fane disse...

Credo, eu que fui à BTL ( feira de turismo de Lisboa) ver possíveis destinos de viagens, chego e deparo-me com uma guerra aqui instalada. oh meus amores, não há necessidade disso. Cada um tem a sua opinião. Não nos vamos zangar por meia dúzia de tostões, não acham? :-D

Carolina, obrigada pelo esclarecimento. Eu não recomendei dicionário nenhum, cada um comprou o que quis. Mas estou a ver que vou ter de começar a recomendar.:-D

Pipoca, não é pedir desculpas por ter opiniões. É que há alturas em que quase temos de fazer desenhos para tudo aquilo que dizemos. E eu cá gosto de ter sempre tudo esclarecido, só por isso. :-D

Marco Acates , preconceituosa? Ñão me parece. Mas tem razão, não vou falar do que esse dito rei fez e afins a crianças de 8 e 9 anos, como é natural. :-D

dualitate disse...

Sim, tens razão =). Foi o corrector do google que me corrigiu a palavra e eu não me apercebi. Obrigada.

Hum, não percebi a parte do bom senso e de ser mais democrata. Eu acho que cada pessoa tem a sua opinião e pode demonstra-la. Mas sem ofender os outros. Quem começou a usar expressões ofensivas como "rasca" não fui eu... E sim, sou ligeiramente susceptível a insultos.

E eu percebi o que indignou a Kitty. Mas acho que isso já foi respondido por outros comentadores (que o dicionário em questão não é para crianças tão jovens, que os pais e educadores devem saber e escolher o que dão aos filhos, etc etc)

Não percebo porque acho que defendo o indefensável... opiniões diferentes posso ter. Agora indefensável? Oh Deus... indefensável é defender maus actos com más consequências e/ou intenções. Agora achar (e não defender, não é meu cavalo de batalha) que não é chocante essas palavras estarem num dicionário?

Mas sim, fiquemos por aqui, que a minha auto-estima e ego não estão dependentes de conversas em comentários de posts.

Espiral

p.s. Kitty, tá interessante a feira? Disseram-me que sim Se calhar dou um salto lá amanhã.

Gingerbread Girl disse...

Pá... já li aqui cada coisa, que sinceramente já me apetece dizer uma valente de uma asneira!!!

Não foi por acaso Gabriel García Márquez, prémio Nobel da Literatura, que escreveu "Memória de Minhas Putas Tristes"?!?

Não foi por acaso o Miguel Esteves Cardoso que escreveu "O Amor é Fodido"??

Bem... deve ser de mim mesmo... devo ser uma rasca, uma javarda e uma iliterada!

Sunrise disse...

Duvido que as crianças leiam o dicionário todo de uma ponta a outra. Não stresses!!! As crianças n são tão inocentes como nós as fazemos. Sabem muito bem o que são todas essas palavrinhas e se calhar até outras que nós nem conhecemos.

R.I.P.per disse...

Tenho por opinião que o calão não deveria ser incluído no dicionário pois é meramente uma especificidade linguística.

No entanto não me choca.

Carlos Rangel disse...

Não, não é normal. Ou melhor, é mas não deveria ser...

Beijinhos.

Anônimo disse...

Bem Kitty, falemos de coisas mais agradáveis. Também estive na BTL hoje e fiquei deveras interessada em fazer um cruzeiro, algo diferente 8 dias 7 noites. Trouxe muita "publicidade" do Brasil Cuba Marrocos Tunisia e Grécia. Vamos lá ver se me decido.:)

Mnemósine disse...

Eu acho que devias avançar com uma exposição da tua opinião para a editora. Não sei se uma queixa te levará ao fim pretendido.
Mais importante do que isso, no teu lugar escreveria uma cartinha aos pais para os informar daquilo que os filhos têm em mãos. É natural que estas coisas escapem à maioria dos pais e professores e cada encarregado de educação deve estar na posse desta informação para poder tomar uma decisão (seja manter ou retirar/substituir o dicionario ou mesmo avançarem eles próprios com queixas ou exposições à ou da editora).
É o que eu acho.

Bruno disse...

Bom, parece-me que um dicionário é um dicionário. Não julguei que pudesse haver dicionários destinados a crianças, a padres, ou a pessoas mais sensíveis, dicionários parciais. Se essas palavras fazem parte do nosso léxico, acho que devem aparecer no dicionário. A mim, chocava-me bastante quando por volta dessa idade pedi o primeiro dicionário aos meus pais, folheá-lo à procura desse tipo de palavras e não as encontrar lá. Como em tudo, acho que a melhor solução não é censurar, é mostrar a realidade e informar às crianças como devem agir com responsabilidade.

Porque será que ninguém se indigna com a profusão de seres esventrados em telejornal à hora das refeições, ou com a falta de carácter de algumas figuras públicas

Ensinemos as nossas crianças com responsabilidade. Chega de falsos moralismos.

Karlytus disse...

Olá Kitty e já agora boas a todos (uma vez que calculo que ainda venham até aqui durante algum tempo pra ver decorrer dos acontecimentos..).

Tal como cada um de vocês tenho a minha opinião sobre este assunto porem penso que de uma forma geral já se encontra expressa em alguns dos vossos comentários..


Lanço apenas uma questão: olhem para os miúdos de hoje e digam-me se é mais provável descobrirem esses palavrões no dicionário ou na internet? Ou por exemplo no café? Em casa.. na escola.. enfim..

Faz-me recordar de uma anedota:

O pai e a filha de 4 anos passeia de rua quando junto a uma sarjeta se deparam com um preservativo.. o pai tenta desviar a atenção da criança mas esta pergunta:
- Papá o que é isto?
- O pai, que não gostava de mentir nem de esconder nada, responde, um pouco atrapalhado:
- Um preservativo numa sarjeta filha.
Preparava-se para explicar o que era um preservativo, ainda não sabendo bem como, quando a criança atalha:
- O que é uma sarjeta ?

...

Um bem haja a todos e viva a liberdade de expressão!

;)

Laidita disse...

Acho horrível! E depois admiram-se como as crianças conseguem ter vocabulários tão abrangentes!

River disse...

Bom, a Pipoca tirou-me as palavras da boca (ou melhor, dos dedos! :))Não te justifiques tanto moça! :D Isto aqui é teu, portanto é óbvio que expressas a TUA opinião, e não a do Papa! :)

River disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GATA disse...

RECLAMAÇÃO JÁ!!! Porto Editora ou Porco Editora?! :-)

Anônimo disse...

heheh Adorei as vossas intervenções...com algumas fartei-me de rir...realmente essa de incluir essas palavras num dicionario destinado a crianças nem lembra ao diabo...nao que eu seja puritana mas acho que um pouco de bom senso nao faz mal a ninguém...agora achei piada ,pus a primeira palavra aqui no dicionario Priberam online e a palavra nao foi encontrada..levava para baralho,carvalho..enfim um dicionário muito púdico..lol bjs

Trintão disse...

Não me parece de todo apropriado.

Nem sequer concordo que deva aparecer num dicionário "típico" só naqueles xpto que têm tudo incluíndo "calão"...

Firehawk disse...

Eu lembro-me de ter um dicionário em pequeno e essas palavras já lá estarem. pelos vistos continua tudo na mesma..

nika_liu disse...

sim fazem parte do vocabulário, sim são utilizadas na literatura, mas mesmo assim não vejo a necessidade de consultar o significado das mesmas num dicionário para crianças...sim vão-se fartar de as dizer no futuro, mas isso não quer dizer que devam!